É preciso ser honesto e objetivo quando for mencionar a empresa antiga em uma entrevista.

Todo candidato a uma vaga de emprego sabe que corre o risco de, durante a entrevista, ser questionado sobre a empresa antiga. É nessa hora que vem a dúvida, pois sempre temos algo a reclamar, mas será certo criticar a antiga empresa? Se fizer isso, o que o entrevistador pensará a seu respeito?

Entrevista de emprego é assim mesmo, o candidato sempre precisa explicar porque saiu do antigo emprego, ou  porque está querendo sair. Nessa hora, o importante é não fugir da resposta, porque se o entrevistador perceber que você não se sente confortável para falar sobre este assunto, não acreditará em nada do que disser e vai ser difícil conseguir a vaga desejada.

O ideal, na hora de falar da antiga empresa em uma entrevista de emprego, é dar respostas curtas, mas que sejam objetivas e principalmente honestas.

Se você deixou o antigo emprego porque o salário não era compatível com suas necessidades, não há mal nenhum em expor a situação, até porque, se você está se candidatando a esta nova vaga é porque o salário que é oferecido te agradou.

Quando for comentar sobre a antiga empresa, fale de uma forma coletiva e nunca demonstre nenhum tipo de ressentimento ou faça críticas mais severas. Procure comentar sobre colegas de trabalho com os quais você manteve bom relacionamento e faça elogios.

O importante é nunca falar mal da última empresa em que trabalhou, por mais que você tenha vontade, contenha-se! Criticar o antigo chefe, a política da empresa, não vai ajudar em nada neste momento, pelo contrário, poderá é lhe atrapalhar.

O que a maioria dos candidatos respondem, quando são questionados em uma entrevista, do motivo pelo qual abandonaram o último emprego, é que está em busca de novos desafios ou de área profissional e você pode até dizer isso, mas o selecionador vai querer saber mais, já que esta resposta é muito vaga e pouco objetiva.

Se usar esta resposta tão comum aos candidatos, exponha mais alguns detalhes, dizendo a verdade e se for preciso dizer que não estava bem no último emprego, diga, mas sem falar mal de ninguém.

Explique que não seria bom nem para você nem para a empresa onde trabalhava e que você conversou com seus superiores ou seu patrão, expôs o problema e eles concordaram e de comum acordo você deixou o último emprego para buscar novas oportunidades.

Por Russel


Dependendo da empresa e do cargo para o qual a pessoa está concorrendo, ter tatuagem e piercing pode afetar negativamente na seleção.

Não importa se elas estão em evidência ou em locais "escondidos", o fato é que tatuagem e piercing podem vir a prejudicar um candidato a uma vaga de emprego.

Por mais que o mundo tenha evoluído e que as tatuagens e piercings tenham se popularizado, dependendo da empresa onde o profissional for se candidatar a uma vaga, ele poderá ser desclassificado pelo uso destes adereços, ainda que a empresa não revele isso para ele, alegando ser um outro motivo.

A tatuagem e o piercing ainda dividem opiniões no mercado de trabalho, gerando polêmica, mas é importante lembrar que cada caso deve ser analisado de forma individual, pois há vagas no mercado de trabalho onde a tatuagem ou o piercing não irão atrapalhar em absolutamente nada.

O veto de uma empresa a um candidato pelo simples fato dele possuir uma tatuagem ou usar piercing seria discriminação, por isso que as empresas nunca irão assumir que este seja o motivo.

Apesar das empresas não assumirem ser este o motivo, todos sabem que dependendo da situação, dependendo da vaga de emprego e ainda, dependendo da empresa, o candidato pode ser reprovado se nele for observado a presença de uma tatuagem ou piercing.

Se o profissional já está empregado, já está na empresa há algum tempo e deseja fazer uma tatuagem, dependendo da situação ele precisa avaliar os riscos e até conversar a respeito com seus superiores, imagine então alguém que está tentando uma vaga de emprego, que está na entrevista sendo analisado. É realmente um risco muito grande.

É importante ressaltarmos que atualmente, não é a empresa propriamente dita que evita contratar um profissional que tenha tatuagem ou piercing, quando isso acontece é porque a empresa está pensando nos clientes dela.

Se você vai se candidatar a uma vaga de emprego, cuja função é operar uma máquina dentro da empresa ou ficar no escritório cuidando da parte burocrática, o interesse da empresa é na sua produção, sua responsabilidade, pontualidade e sua capacidade de trabalhar em equipe e executar bem suas tarefas.
Porém, se você está candidatando a uma vaga para recepção, setor comercial, enfim, se for uma função onde você irá lidar diretamente com fornecedores ou clientes, então a empresa poderá fazer certas restrições aos candidatos que possuírem alguma tatuagem ou piercing.

Por isso, é sempre bom se informar sobre todas estas questões, para que você não perca seu tempo indo a uma entrevista de emprego, cujo candidato para ser selecionado não possa ter tatuagem ou piercing.

Por Russel


O entrevistado pode e deve fazer algumas pergunta ao entrevistador, mas deve ter cuidado e saber exatamente o que quer perguntar.

Todo entrevistado para uma vaga de emprego pode e deve fazer perguntas, afinal é mais do que comum que ele queira conhecer melhor a empresa onde pretende trabalhar e também saber mais detalhes sobre a vaga oferecida e até esclarecer algum ponto que não tenha ficado bem explicado pelo entrevistador, mas é preciso muito cuidado nesta hora, pois algumas perguntas devem ser evitadas no momento da entrevista de emprego.

Alguns candidatos querem demonstrar interesse pela vaga e acabam exagerando e isso é extremamente prejudicial à sua candidatura à vaga. Há perguntas que jamais devem ser feitas, ou então, poderão até ser feitas, mas em outra oportunidade, por exemplo, querer saber o que a empresa faz. Esta é uma pergunta que deixa claro para o entrevistador que o entrevistado não sabe absolutamente nada sobre a empresa, na qual deseja trabalhar.

Outra pergunta que deve ser evitada na entrevista é "Você não viu no meu currículo?". O candidato costuma fazer esta pergunta quando é questionado sobre algo que já está no seu currículo, acontece que muitos entrevistadores gostam de perguntar novamente, ou de uma forma diferente, para testar o candidato. Mesmo já tendo lido seu currículo, o entrevistador poderá lhe fazer perguntas sobre temas já abordados por você no currículo e se isso acontecer, responda apenas o que lhe foi perguntado.

Não pergunte quando será promovido durante a entrevista de emprego. Neste momento você está sendo avaliado para saber se será ou não indicado à vaga em aberto. Somente quando você já tiver sido efetivado e depois de um determinado tempo demonstrando seu trabalho, seu potencial, é que poderá pensar em tratar com a empresa a questão da promoção.

Cuidado ao perguntar sobre horário. Tudo bem que você tem outros compromissos fora da empresa, mas é bom dar prioridade para o horário do trabalho, porque há muitos outros candidatos, além de você, àquela vaga e eles estarão se apresentando totalmente disponíveis para a empresa, inclusive quanto ao horário. É normal você querer saber o horário de trabalho, mas se estiver precisando muito do emprego e o horário não for muito bom para você, melhor tentar negociar esta questão depois que já estiver trabalhando e já tiver demonstrado ser um bom funcionário.

E cuidado redobrado na hora de perguntar sobre o salário. O ideal é até mesmo não fazer pergunta sobre sua remuneração, durante a entrevista de emprego, mas se o anúncio não informava o salário para a vaga em questão e o entrevistador também não tocar no assunto, seja o mais natural possível em perguntar sobre o valor do salário.

Por Russel


Entrevistas por videoconferência estão em alta atualmente, por esse motivo os candidatos devem se preparar e saber se portar para ter sucesso na seleção.

A entrevista por videoconferência está se tornando muito comum para várias empresas no mercado. Nos últimos três anos, por exemplo, esse método aumentou 52% e apresenta vantagens como agilidade e diminuição de custo. Desta forma, as empresas que optam por entrevista através de videoconferência conseguem entrevistar candidatos de várias partes do mundo.

Você vai encarar alguma entrevista por videoconferência? Confira as dicas para ter sucesso na seleção.

– Não deixe nada para última hora:

Na véspera da entrevista, é comum muitos candidatos ficarem ansiosos e nervosos. Portanto, programe-se para não passar nenhum tipo de aperto. Adicione o entrevistador antes, confirme o horário da entrevista e esteja conectado no horário marcado.

Além disso, não se esqueça de testar os equipamentos como a câmera, microfone e a conexão da internet. Desta forma, o candidato evita que a entrevista seja interrompida por algum problema técnico.

– Escolha um ambiente tranquilo:

O local da entrevista deve ser um ambiente tranquilo, silencioso e que não tenha ruídos. Converse com outras pessoas para não entrarem no cômodo durante a entrevista. A concentração é fundamental para manter um bom desempenho durante a entrevista.

– Vista-se de forma adequada:

Não é porque a entrevista é através de videoconferência,, que você não deve cuidar da imagem. Lembre-se de que você está vendendo seu peixe, por isso, vista-se de forma elegante e formal, como se fosse uma entrevista presencial.

– Cuide da imagem: seja profissional

Seja profissional durante a entrevista e tenha a mesma postura que em uma entrevista presencial. Além disso, tome cuidado com o seu nome de usuário online, procure ter uma conta para o pessoal e outra para o profissional.

– Tenha segurança e confiança em si:

Durante a entrevista, mostre segurança e autoconfiança ao falar. Lembre-se de que você estará sendo avaliado e filmado, por isso, procure argumentar bem durante a entrevista, cuidado com a postura e articule bem o seu vocabulário.

Boa sorte e muito sucesso na seleção!

Por Babi


Após uma entrevista, os candidatos ficam ansiosos esperando uma posição da empresa, nesse momento, é preciso ter frieza, tentar se controlar e saber o que fazer.

Uma entrevista de emprego sempre gera muitas expectativas, mesmo antes de você participar de um processo seletivo. Quando você recebe um contato de uma vaga que está esperando, a ansiedade já começa, e mil e uma coisas passam pela sua cabeça.

Até aí tudo bem, pois você fica especulando como será o processo seletivo, se terá entrevista, dinâmica, testes e todas aquelas etapas que muitas vezes são até cansativas. Pois bem, você passou em todas elas, mas e agora, o que você deve fazer?

Muitos candidatos criam grandes esperanças e deixam o impulso dominar suas ações. Infelizmente nessa hora é preciso usar a frieza e tentar se controlar. Você deve se atentar às palavras do selecionador durante seu último encontro.

Se a pessoa disse que a empresa estipula um prazo para a conclusão do processo seletivo ou a abertura para uma próxima etapa e entrará em contato informando o resultado, aguarde pacientemente esse período, até que entrem em contato.

Caso esse prazo passe e ninguém entre em contato com você, não é muito comum nem recomendado que você entre em contato com a empresa, mas caso queira fazê-lo, tudo bem, você não está quebrando nenhuma regra, e está apenas querendo se informar. Porém, faça esse processo de maneira discreta, se possível por e-mail, caso tenha o da pessoa que te entrevistou. Não envie e-mail para um contato qualquer dentro da empresa, pois muitas vezes a pessoa que o receberá nem sabe que está acontecendo aquele processo seletivo, e pode ser até que seja ela a que será substituída.

Por telefone você também pode entrar em contato, mas de preferência com o número ou ramal direto da pessoa. Seja qual for a sua forma de contato, seja breve e não faça cobranças, apenas peça informações sobre o resultado do processo seletivo e mostre-se calmo e seguro. Se a pessoa não te retornar o contato, não insista, pois provavelmente você não foi aprovado na entrevista.

E se ninguém informou sobre prazos nem passou contatos, como e-mail e telefone, prefira não entrar em contato, pois o selecionador provavelmente não quer ser incomodado.

Por Felipe Villares


É essencial ser criativo e fugir de respostas padrões para ter sucesso em uma entrevista de emprego.

A entrevista é um momento de extrema importância que antecede a conquista de uma vaga de emprego que almeja, por isso, é fundamental saber o que falar sobre você no momento de seleção, e acredite isso pode não ser tão fácil como imagina.  

Muitos entrevistadores já conseguem ter muitas informações de um candidato assim que ele entra no ambiente de seleção. Por exemplo, se a pessoa não é de falar muito ou não faz perguntas, ele logo será considerado como tímido.

Em outros casos, os participantes que tomam a iniciativa podem ser considerados com o perfil de liderança, que é a característica mais procurada para vagas de diversos departamentos.  Um bom profissional precisa pensar e treinar para se sair bem nas próximas entrevistas que for convocado, e para conseguir esse resultado é preciso se autoconhecer.

As principais perguntas de uma entrevista de trabalho são:

Quais são as suas qualidades e seus pontos fracos?  E o que você tem feito para superar seus defeitos? Através dessas questões é possível passar ou reprovar um participante.

Para responder é necessário não usar a falsa modéstia, pois existem aqueles que chegam relatar não ter nenhum tipo de defeito. Essa é uma grande mentira, pois todo ser humano tem algo que deve ser melhorado. Esteja atento a esse detalhe.

Você deve conhecer quais são essas características negativas muito bem, reconhecendo que são falhas que podem ser melhoradas. Na sequência de uma pergunta como essa, é preciso falar com bastante ênfase quais são suas qualidades, e o que poderá fazer, caso seja contratado (a), para ajudar na melhoria da empresa.

O candidato ainda deve fugir de respostas que são padrões, ou seja, aquelas que todos os candidatos acabam aprendendo através da internet, ou que são citadas com frequência em processos seletivos. Aqueles que possuem maior jogo de cintura e forem diferenciados serão os aprovados.

Fale também com quem mora, quais são seus hobbies, o que gosta de fazer no tempo livre, quais foram as experiências anteriores, se teve algum tipo de promoção, entre coisas relacionadas.

Por Yasmin Fernandes Robles





CONTINUE NAVEGANDO: