Trabalhar demais pode ser prejudicial à sua carreira




Trabalhar muito não significa que o profissional irá produzir com qualidade. Com isso, além de problemas psicológicos, a saúde também pode ser afetada.

O mercado de trabalho fica a cada dia que passa mais complicado para os profissionais. Com uma concorrência acirrada a saída é mostrar que eles (os profissionais) estão mesmo aptos a realizarem as tarefas quase sem fim do dia a dia. É exatamente nesse ponto que vamos encontrar um aspecto interessante e muitas vezes desconsiderado: trabalhar muito não significa que o profissional irá produzir com qualidade. Nessa mesma linha de pensamento também é preciso considerar que trabalhar muito pode ser prejudicial para a carreira.

Como saber se está sendo prejudicado? Basta ficar atento aos sinais do dia a dia. Pessoas que têm aumento significativo de suas tarefas, que ficam estressadas com o trabalho ou pior, pensam nele 24 horas por dia, podem estar sofrendo com as consequências de um excesso mesmo que ele seja por um bom motivo.


De acordo com o médico Marcelo Dractu, que é especialista em Medicina Comportamental em comentários feitos sobre o tema para um site especializado no setor, é fundamental para um bom funcionamento de uma equipe que o profissional se identifique e goste do que está fazendo. Cumprir as metas estabelecidas também entra nessa linha de atuação. Porém, segundo Dractu, o problema pode começar quando o profissional começa a agir como um “workaholic”. Esse simples fato pode prejudicar não apenas o profissional, mas também a equipe. Ele chama a atenção para um ponto bem interessante: Quando a pessoa vira um “workaholic” a ideia que se tem desse profissional é que ele será mais produtivo e capaz porque trabalha muito, às vezes é até valorizado por isso. Em contrapartida, é desconsiderado o fato que apontamos anteriormente: a queda da qualidade do serviço.

Apenas por esses breves comentários pode-se perceber que trabalhar muito pode ser prejudicial para a carreira em muitos casos. 

O que pode piorar com tudo isso?


Segundo o médico, além do fato de que nem sempre quem trabalha demais atinge seus objetivos, o que acaba frustrando o profissional ainda tem o lado relacionado à saúde. Doenças e diversos problemas orgânicos podem surgir. O excesso de trabalho afeta diretamente até mesmo a forma como o profissional encara o lazer, achando que este tempo livre é uma perda que está tendo e não uma oportunidade para recuperar as energias físicas e mentais.

O médico sugere que pessoas que apresentam problemas vindos desse excesso de trabalho devem procurar uma ajuda clínica e conforme o caso até o aconselhamento profissional. Ele ainda destaca que nem sempre a pessoa vê que está doente, comendo mal ou quase não dormindo. Então é preciso prestar atenção no que os colegas andam dizendo. Nem sempre é inveja, às vezes o profissional está tão mal é que impossível não perceber.

Por Denisson Soares

Relacionados



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *