Geração de vagas por candidato teve queda em agosto



  

Índice Catho-Fipe indicou que houve uma queda de 38,8% nas ofertas de vagas de emprego por candidato.

A atual situação econômica do país refletiu na geração de vagas por candidato, é o que mostra o índice Catho-Fipe, que teve uma queda de 38,8% no mês de agosto, em comparação ao mesmo período em 2014.

A demanda por empregos cresceu. Há uma busca por oportunidades de trabalho em contrapartida com a diminuição da oferta de trabalho, resultado da queda da economia brasileira que foi de 0,2% nos três primeiros meses de 2015 e pelo resultado negativo do setor de serviços e da indústria que não estão crescendo, mas retraindo, gerando demissões nos setores e assim as contratações não acontecem.

Analisando o gráfico de índices da Catho-Fipe há uma percepção das quedas que ocorreram de 3,4% em agosto e 16,1% no período de 2014, o que reflete a diminuição das ofertas de vagas de emprego por candidatos, nos meses de janeiro a setembro de 2015, com queda de 15% em relação ao período de nove meses em comparação a 2014. Esse índice de 38,8% mostra um recuo nas vagas de trabalho ofertadas e essa diminuição se equipara a 2011. No mês de julho de 2015, o índice mostrou que a relação de ofertas de trabalho por candidato atingiu 288 pontos e houve queda de 11,0% com relação ao mês de junho deste ano, reflexo da sexta queda do ano. 



Os indicadores refletem a atual política econômica do país, o alto índice da inflação, os juros exorbitantes, a falta de investimentos nos setores da indústria e comércio, as demissões em massa na área automobilística. A reforma tributária não aconteceu e, com isso, o Brasil não anda, os setores se estagnam ou retrocedem. Os investimentos por parte do governo não estão acontecendo e os investidores, principalmente do exterior, não sentem confiança e não enxergam atrativos para investirem no país. Há uma sensação de medo por parte dos investidores, que temem colocar capital de investimento nos setores, temendo não obter lucros. 

O setor da economia brasileira precisa melhorar e criar condições para que o pequeno e grande empresário invista nos setores e ofereça ao trabalhador uma maior oferta de trabalho, gerando mais oportunidades e crescimento e as expectativas se tornarão mais positivas para os investidores do exterior  apostarem no país. 

Por Marisa Torres 



Post Comment