O tema ainda é pouco abordado, mas há muitas pessoas que são assediadas  moralmente no ambiente de trabalho e sequer se dão conta do que se trata o fato. Mas ao conhecermos diversas atitudes que constituem assédio moral, nos damos conta de como ele é comum.

Que dizer de ter sido lhe imposto uma meta quase inalcançável ou um horário de trabalho injustificados ou mesmo ter-lhe atribuído um erro imaginário? Essas atitudes por mais comum e às vezes ‘normais‘ dentro da empresa são consideradas assédio moral e a freqüência de acontecimentos pode trazer sérios danos ao trabalhador, desde depressão à perda de motivação e bloqueio da criatividade.

O assediado pode denunciar a empresa, mas deve reunir provas. Primeiramente deve fazer a denúncia no serviço de recursos humanos da empresa, se o problema persistir o trabalhador deve denunciar para o Ministério Público do Trabalho. Em casos graves que há comprovações, a justiça pode conceder indenização ao reclamante.

Por: Zilmara Filisbelo


Em um ambiente de trabalho todos devem se policiar para que não ocorra o assedio moral.

Todo comportamento repetitivo e sistematizado que visa a coação e a condenação de algum comportamento de forma dominadora é uma forma de assédio moral.

O assédio moral pode ser efetuado de chefes para iguais ou subordinados, mas também pode ocorrer de subordinado para chefe, mesmo sendo bem mais raro.

Quando uma situação é abusiva e humilhante, mas foi executada apenas uma vez, é considerado um ato grosseiro e de falta de educação, mas não se caracteriza assédio, pois o requisito é a sistemática repetição.

Por José Alberi Fortes Junior.





CONTINUE NAVEGANDO: