Como os Programas de Trainee são vistos pelos jovens




Muitas empresas usam os altos salários para atrair jovens talentos, contudo não é só isso que faz com que os profissionais fiquem instigados a trabalhar na organização. É preciso investir em comunicação da marca e cultura da empresa. Esses dados são da pesquisa “Trainee do Futuro 2014” em que se ouviu, entre os meses de novembro do ano passado e fevereiro deste ano, cerca de 1.060 candidatos dos quais 813 foram finalistas em programas de talentos.

Os jovens acreditam que a principal situação que os atraem para concorrerem a uma vaga de trainee é o nome da empresa e a força da marca, em que 59% responderam assim. Logo depois vem a identificação com a organização (56%) e por fim a estrutura do programa e o que ele oferece (54%). O segmento da empresa segue com 47%, a existência de uma experiência internacional com 32% e o mais interessante é que a remuneração ficou em último lugar para esses jovens: apenas 31%.


A conclusão da pesquisa é que esses profissionais têm interesse em se identificar com a empresa, quais suas atividades, a sua interação com eles. Um exemplo é a organização abrir suas sedes pelo menos algumas vezes no ano para visitação e conhecimento da rotina.

Os valores também estão entre os assuntos importantes para esses jovens. Entre os primeiros ficaram o reconhecimento profissional (59%), bem-estar e meritocracia (54%) e a ética na empresa como algo importante, com 51%. O empreendedorismo, criatividade e responsabilidade social também estão entre os quesitos que eles consideram essenciais dentro de uma empresa.

A estrutura aparece como um item de relevância. A maioria dos pesquisados avaliaram que a principal ocorrência para que eles considerem boas as estruturas dos programas de trainee são os processos de coaching e mentoring.


O resultado mais interessante é a avaliação dos jovens na parte de seleção para esses programas. Eles acreditam que as empresas deveriam se apresentar de baixo para cima, ou seja, começando pelo setor mais baixo da pirâmide hierárquica. Outra questão importante é que, na opinião deles, esses programas poderiam ser encurtados, já que alguns chegam a durar até quatro meses, o que se torna desgastante.

Por fim, os jovens profissionais acham interessante se houvesse um feedback da empresa para com eles. Os candidatos gostariam de saber melhor como eles se saíram em cada etapa e o porquê. A transparência em todo esse processo é essencial. 

Por Carolina Miranda

Relacionados



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *