Grupo OVD oferta vagas para jovens em busca de seu primeiro emprego em Curitiba (PR).

Essa vaga é especialmente para os jovens que estão localizados na região de Curitiba. Se você está em busca do seu primeiro emprego e não sabe bem o que fazer, o Grupo OVD está com oportunidade para jovens que estão buscando sua oportunidade no mercado de trabalho.

A oportunidade promete ser boa, pois pretende fazer que os jovens aprendam os mais variados serviços da empresa, lidando com diversos setores, angariando experiência. Os requisitos é ter ensino médio completo ou ainda estar cursando. Não é necessário ter experiência. Não há informações sobre salário é benefícios, mas acredita-se que seja compatível com o que o mercado oferece a partir de outras empresas.

O regime de contratação, os dias de trabalho, se existirá algum tipo de capacitação através de cursos e o horário dos dias trabalhados também não foram informados, mas acredita-se que seja informado durante o processo seletivo.

O Grupo OVD possui quase 50 anos de mercado, marcando seu nome a partir de grandes investimentos e aperfeiçoando seus produtos dentro dos seus processos de logística. Por isso são referência no mercado e oferecem o que tem de mais eficiente e moderno para executar trabalhos com excelência em equipamentos, máquinas e utensílios.

A empresa possui 5 sedes próprias, além de duas filiais que se localizam em regiões de acesso facilitado para polos estratégicos, atendendo com eficiência máxima e com rapidez todo o território brasileiro.

Se você se interessou e quer se candidatar, você pode clicar no link a seguir (www.vagas.com.br/vagas/v1491686/menor-aprendiz) para se candidatar. Caso você deseje deixar seu currículo para futuras oportunidades que tenham seu perfil, também é possível, é ó clicar no mesmo link, mas é importante correr, pois as inscrições só vão até o dia 22 de maio.

Quanto antes se candidatar, mais chances para poder ser chamado para o processo seletivo.

Com a reforma do ensino médio, mais oportunidades devem ser abertas para profissionalizarem jovens que desejem ingressar no mercado de trabalho de forma quase que imediatamente a conclusão do curso. Se esse for o seu caso, fique atento às oportunidades. Quanto mais cedo você começar a trabalhar, mais cedo a aposentadoria bate a sua porta.

Os programas de Jovem Aprendiz costumam ser bastante respeitados no Brasil por apresentarem regulamentos similares a de um trabalho integral, além dos benefícios e cuidados com o trabalhador.

Por Yamí de Araújo Couto


A previsão é que a taxa de desemprego entre os jovens encerre o ano de 2015 em 15,5%, acima da média mundial, que é de 13,3%.

Os jovens estão adiando a sua entrada no mercado de trabalho para terem uma maior qualificação, mas estão sendo os mais atingidos pelo desemprego. A falta de qualificação e a baixa escolaridade são os principais pontos responsáveis por estes resultados, já que o jovem que não tem instrução acaba tendo mais dificuldades em ter uma colocação profissional.

Em 2015, a taxa de desemprego entre jovens no País deve ficar acima da média mundial, que é de 13,3%, por conta da piora da atual crise econômica brasileira. Segundo a OIT – Organização Internacional do Trabalho – os números devem ficar em 15,5%, em relação aos jovens com idade entre 15 e 24 anos. Mas, mesmo no alto da crise econômica mundial, o índice brasileiro não ultrapassou 17%.

Dados do IBGE, da Pesquisa Mensal de Empregos apresentaram que a taxa de desemprego em seis regiões do Brasil como São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre foi, em abril deste ano, de 6,4%. Mas, entre os jovens ultrapassou os 16%, sendo duas vezes e meia maior.

Um alerta que a organização faz é para o número de adolescentes, entre 15 e 17 anos, cerca de 12,5%, que ocupam funções em trabalhos considerados insalubres ou perigosos, até com risco de enfermidades ou morte. Isso não acontece só no Brasil como também em países como Bangladesh, Uganda, Togo e Vietnã.

Na atual situação, quem consegue emprego acaba tendo que ser menos exigente, às vezes até optando por trabalho em tempo parcial, como meio período ou vaga temporária, já que não podem ficar sem renda.

As consequências, a longo prazo, aos jovens desempregados é o enfraquecimento de sua capacidade de trabalho e a perda de experiência profissional.

Outros dados da OIT apontam que deve haver 201,6 milhões de desempregados no mundo, um pouco mais de 2 milhões do que comparado em 2014. Deste total, acredita-se que 73,4 milhões correspondem a jovens de até 24 anos.

Por Kika Akita


Quantidade de jovens com carteira assinada diminuiu 2,41% em 2014, correspondendo a 190.900 empregos a menos em todo o Brasil.

De acordo com o próprio Ministério do Trabalho, o número de jovens com carteira assinada caiu muito no decorrer de 2014 em comparação com o ano anterior. E os mais prejudicados continuam sendo os jovens com idade entre 18 e 14 anos que tiveram uma queda de 2,41% que corresponde a 190.900 empregos a menos em todo o Brasil.

O que mais preocupa nestes dados é que em 2014 a crise ainda não tinha atingido o país como agora e uma das principais características desta crise é que as empresas estão preferindo demitir os funcionários mais jovens, já que os mais antigos já estão acostumados com este tipo de situação e sabem lidar melhor com as medidas de redução de custos que as empresas precisam tomar, como o corte de horas extras, entre outros.

Mas o desemprego afetou também os jovens com idade um pouco mais avançada, com idade entre 25 a 29 anos, só que nesta faixa etária as demissões em 2014 foram menores, ficando 0,7% a queda, representando 54.475 vagas perdidas. Situação difícil também para os jovens com idade até os 17 anos, pois foram 4.510 vagas a menos, o que representa 0,84%.

Todos estes dados foram obtidos através da Rais – Relação Anual de Informações Sociais, que é um impresso fornecido pelas empresas de todo o país, independente do setor de atuação.

Mais uma vez ficou confirmado que quando a crise começa a apertar as empresas dão preferência por profissionais mais velhos, experientes tanto no que diz respeito à profissão como também no quesito de terem capacidade de lidar com o novo cenário de dificuldades e, principalmente, serem capazes de buscar formas para reverter a situação e ajudar a empresa a atravessar o momento de maior dificuldade.

Para este ano de 2015 o resultado deverá ser ainda mais complicado para os jovens trabalhadores, pois foi neste ano que a crise se agravou e tende a continuar até meados de 2016, fazendo com que haja novos cortes de vagas, prejudicando diretamente a população mais jovem que se antes já encontrava dificuldade para entrar no mercado de trabalho, agora terá que batalhar mais ainda para conseguir uma oportunidade.

Por Russel


Algumas pessoas pensam que as empresas buscam apenas uma boa formação acadêmica, idiomas fluentes, entre outros requisitos que vão além disso, principalmente na hora de contratar um jovem. Mas a verdade, é que as empresas aproveitam da contratação desses jovens visando em investir em suas capacidades de criatividade e inovação para a empresa, pois um jovem profissional não tem limitações e possui mais flexibilidade para criar novas ideias.

Muitos programas de incentivos criados pelas empresas tem o intuito de desenvolver esse "empreendedorismo jovial" para os projetos da própria empresa. Vale lembrar que os jovens possuem uma capacidade de liderança extraordinária e por isso vem cada vez mais ganhando espaço no mercado de trabalho, pois essa capacidade se dá pela boa comunicação e pela forma de se interagir com as pessoas que os jovens têm para trabalhar em uma equipe. Por isso que os jovens devem investir na capacidade de trabalho em equipe, pois não adianta nada ter grandes ideias e não saber compartilhá-las com outras pessoas.

Se você é um jovem e está em busca não só de um simples emprego mas uma boa posição no mercado de trabalho, esse é um momento certo para pensar nisso.

Mantenha sempre o foco e corra atrás de seus objetivos. Adquira conhecimento sobre a área e estude muito, mas não fique parado, informe-se, procure referências, mas, acima de tudo, procure ser o profissional que as empresas querem e buscam.

Estimule sua criatividade e sua comunicação e vá em frente. Antes de mais nada, lembre-se que mesmo assim muitas pessoas podem não acreditar na sua capacidade por você ser um jovem, neste caso, demonstre que você tem ética e seriedade logo no início e imponha respeito para evitar divergências. Você não pode deixar escapar uma oportunidade de se tornar um grande profissional só porque algumas pessoas te acham jovem demais. Lembre-se que é aí que mora a vantagem.

Depois que você estiver nessa empreitada, seguirá seu caminho facilmente com segurança e confiança, você só precisa acreditar.

Por Daniela Almeida da Silva


A Seja Trainee em parceira com a Page Talent, unidade de negócios da Page Personnel, empresa focada em recrutamento de estagiários e trainees, realizou uma pesquisa de opinião chamada de Trainee do Futuro 2014, esta pesquisa serviu para apontar que a força da marca e a identificação com a cultura da organização são fatores principais considerados por jovens no momento de realizarem a participação em um Programa de Trainee.

Os números apresentados pela pesquisa mostram que a marca, bem como a identificação com a cultura da companhia e a sua área de formação tem peso de 59% segundo os jovens entrevistados. Aspectos como a estrutura do Programa, segmento de atuação, módulo internacional e remuneração receberam pesos de 54%, 47%, 32% e 31%, respectivamente.

A pesquisa também apresentou um espelho do perfil daqueles que conseguem chegar às finais de um Programa de Trainee e mostrou que 98% destes finalistas possuem fluência ou nível no mínimo avançado da língua inglesa e possui idade média de 24 anos, 46% destes finalistas residem em São Paulo, capital, em seguida 19% deles é de Minas Gerais, três em cada quatro dos aprovados no processo estudaram em universidades públicas, ou seja, o equivalente 72,34%. No quesito formação 49% vêm da área de Humanas, 47% de Exatas e 4% Biológicas.

Os cursos predominantes na área de Humanas são: Publicidade e Propaganda, Administração de Empresas, Ciências Econômicas e Relações Internacionais. Na área de Exatas são: Engenharia de diversas especialidades como Produção, Química, Elétrica, Mecânica, Civil, Agrônoma, Ambiental e de Materiais e na Biológica: Bioquímica e Ciências Biomédicas.

Cerca de 84% dos finalistas declaram já terem vivenciado a experiência de conhecer outro país, 45% alegam já terem residido fora do Brasil, 33% moraram no exterior até três meses; 15% residiram fora por mais de um ano e 15% cursaram faculdades estrangeiras.

No quesito idiomas a fluência em outra língua equivale a 33% em espanhol, 8% em francês e 5% em alemão, além do inglês. 

Por Igor Lima


É tempo de Copa do Mundo, mas nem por isso o mercado de trabalho está parado. Pelo o contrário, é época de se aquecer e ir atrás de uma boa oportunidade. Principalmente os jovens, que ainda estão em fase de desenvolvimento, podem contar com diversas chances de se inserirem no quadro profissional adquirindo mais conhecimento.

Como estão iniciando nessa nova etapa da vida, o jovem encontra dificuldades em muitas situações, não contam com auxílio adequado. Para dar uma alavancada e obter maior pontuação quando for procurar emprego, fique atento às informações a seguir.

Conheça o Programa “Time do Emprego”:

A SERT (Secretaria de Estado do Emprego e Relações do Trabalho) anunciou que está com inscrições abertas para o Programa “Time do Emprego”, para profissionais de Cotia, em São Paulo. Os interessados poderão se inscrever até o dia 4 de agosto, para o preenchimento de 80 vagas.

Jovens a partir de 16 anos podem participar. De início, quatro turmas serão formadas para preparar o trabalhador. A ideia é desenvolver suas habilidades, qualificando-o para o mercado de trabalho. Os pontos positivos serão identificados, assim como os negativos, para serem trabalhados a favor de quem tem vontade de crescer e obter uma posição melhor, já que a disputa é grande.

De acordo com o secretário de Estado do Emprego, o diferencial do “Time do Emprego” se dá devido a enorme troca de informações e experiência entre os que procuram por uma oportunidade.

O Programa funcionará por meio de encontros que irão acontecer uma vez por semana, com duração de 3 horas cada um. Nestes eventos, os orientadores irão apresentar aos participantes técnicas que os auxiliarão no direcionamento ao mercado de trabalho, aperfeiçoamento de habilidades, produção de currículo, noções de empreendedorismo, dicas de como se comportar em uma entrevista, apresentação pessoal, comunicação e expressão, dentre outras atividades.

Para quem tem interesse, as inscrições podem ser feitas no Posto de Atendimento ao Trabalhador de Cotia, que fica na Rua Mosenhor Ladeira, 38. É necessário apresentar RG, CPF, Carteira de trabalho e para os que possuírem, o número do Programa de Integração Social (PIS).

Para mais informações ligar no (11) 4243-7666.

Por Juliana Alves de Souza


Empresários de várias organizações como IBM, Stefanini e Natura estão passando a visitar escolas para conhecer melhor os futuros profissionais. Instituições como o Sesc de Ensino Médio, que está localizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, recebem esses executivos e apresentam como funcionam o ensino da escola.

O Sesc de Ensino Médio possui 500 alunos e praticamente todos vêm de colégios públicos e de famílias com renda entre um e cinco salários mínimos. Dentre oito mil candidatos que concorrem a uma vaga na instituição, apenas 165 são selecionados. Os estudantes veem ali uma oportunidade de se formarem no ensino médio com uma qualidade maior, já que o Sesc foi eleito uma das dez melhores escolas do Rio de Janeiro.

A escola possui todas as disciplinas tradicionais, com um para a aplicabilidade do dia a dia. Até mesmo existe uma miniagência de publicidade para que os alunos pratiquem a criação de materiais e conteúdo para a comunicação interna da entidade. Há também um laboratório de fabricação de biodiesel para auxiliar as aulas de física e química. Na parte de História, Geografia e Biologia, os alunos visitam locais que possuem o legado dessas matérias.

Além de aprenderem com esse estilo prático de ensino, os estudantes acabam experimentando habilidades como autonomia, criatividade e trabalho em equipe. E isso é visível. Segundo a diretora de recursos humanos da IBM, Luciana Camargo, aqueles alunos estão bem mais preparados que a maioria dos adolescentes fora dali. “Fiquei impressionada com os alunos”, afirmou.

A experiência de ensino aplicada pelo Sesc mostra que dá resultado, contudo a realidade brasileira é bem diferente disso. Até mesmo a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) já discute alterar o exame Pisa para melhorias e outras exigências dos resultados.

Exames como o Pisa querem que as escolas invistam nesse diferencial para o desenvolvimento e amadurecimento das pessoas para o mercado de trabalho, mesmo que pareça um desperdício, já que apenas 10% dos alunos no Brasil concluem o ensino médio com conhecimento básico de matemática.

Mesmo que isso esteja longe de virar uma realidade por aqui, a mudança começa assim: mudando a relação entre escola e trabalho, dando mais qualidade ao ensino. E essa atitude precisa vir tanto do governo quanto das empresas que querem mostrar responsabilidade social.

A fabricante de softwares Totvs, por exemplo, seleciona cerca de 2 mil alunos por ano de várias escolas públicas para participarem de cursos. Essa aproximação de escola e mercado de trabalho pode dar bons frutos e abrir portas para uma nova educação. 

Por Carolina Miranda


Muitas empresas usam os altos salários para atrair jovens talentos, contudo não é só isso que faz com que os profissionais fiquem instigados a trabalhar na organização. É preciso investir em comunicação da marca e cultura da empresa. Esses dados são da pesquisa “Trainee do Futuro 2014” em que se ouviu, entre os meses de novembro do ano passado e fevereiro deste ano, cerca de 1.060 candidatos dos quais 813 foram finalistas em programas de talentos.

Os jovens acreditam que a principal situação que os atraem para concorrerem a uma vaga de trainee é o nome da empresa e a força da marca, em que 59% responderam assim. Logo depois vem a identificação com a organização (56%) e por fim a estrutura do programa e o que ele oferece (54%). O segmento da empresa segue com 47%, a existência de uma experiência internacional com 32% e o mais interessante é que a remuneração ficou em último lugar para esses jovens: apenas 31%.

A conclusão da pesquisa é que esses profissionais têm interesse em se identificar com a empresa, quais suas atividades, a sua interação com eles. Um exemplo é a organização abrir suas sedes pelo menos algumas vezes no ano para visitação e conhecimento da rotina.

Os valores também estão entre os assuntos importantes para esses jovens. Entre os primeiros ficaram o reconhecimento profissional (59%), bem-estar e meritocracia (54%) e a ética na empresa como algo importante, com 51%. O empreendedorismo, criatividade e responsabilidade social também estão entre os quesitos que eles consideram essenciais dentro de uma empresa.

A estrutura aparece como um item de relevância. A maioria dos pesquisados avaliaram que a principal ocorrência para que eles considerem boas as estruturas dos programas de trainee são os processos de coaching e mentoring.

O resultado mais interessante é a avaliação dos jovens na parte de seleção para esses programas. Eles acreditam que as empresas deveriam se apresentar de baixo para cima, ou seja, começando pelo setor mais baixo da pirâmide hierárquica. Outra questão importante é que, na opinião deles, esses programas poderiam ser encurtados, já que alguns chegam a durar até quatro meses, o que se torna desgastante.

Por fim, os jovens profissionais acham interessante se houvesse um feedback da empresa para com eles. Os candidatos gostariam de saber melhor como eles se saíram em cada etapa e o porquê. A transparência em todo esse processo é essencial. 

Por Carolina Miranda


Atualmente o mercado de trabalho está com diversas oportunidades que nos deixam confusos em relação à escolha de uma nova carreira profissional, principalmente os jovens que estão iniciando agora.

A busca incessante por uma estabilidade e as competições do dia a dia fazem com que normalmente as pessoas tentem o lado mais fácil da moeda. Veja algumas dicas funcionais para você que está neste meio:

Primeiramente não vá em busca da disponibilidade financeira logo que você não possui experiência e capacitação suficientemente para isso. Prefira primeiro as vagas que oferecem oportunidades de crescimento profissional em uma carreira promissora, dessa forma, sua estabilidade financeira futura estará mais garantida.

Se você terminou o ensino médio agora, invista em seu treinamento para o futuro com cursos de capacitação profissional ou técnico para que as portas do mercado de trabalho se abram com mais facilidade. Se você não tem certeza de qual faculdade deseja cursar então invista primeiro em um curso, e deixe a faculdade para quando você apenas tiver certeza.

Faça um currículo com todas as informações necessárias, e se você for convocado para uma entrevista seja o mais sincero possível, pois você está sendo avaliado o tempo todo.

Se você for contratado, muito cuidado com seu comportamento na empresa, pois o seu crescimento vai depender muito da sua postura.

Quando você estiver trabalhando na empresa procure desmontar totalmente seu interesse pelas tarefas, pois através do seu esforço contínuo você poderá atingir grandes metas e até ganhar uma promoção, se for o caso.

Valorize muito a ética e o respeito pelo próximo. Faça amizades na empresa, mas nunca se esqueça de separar o pessoal do profissional.

Enfim, a responsabilidade está em suas mãos, mas isso não quer dizer que você tem que fazer todas as coisas sozinho. Faça pesquisa sobre aquilo que mais te interessa, converse com pessoas interessantes, estabeleça prioridades na sua vida, para que assim você consiga se sentir mais confortável para chegar aonde você quer.

Por Daniela Almeida da Silva





CONTINUE NAVEGANDO: