Créditos serão concedidos a empresas que não demitirem



  

Novo programa do Governo visa à criação de crédito cedido por bancos públicos com taxas de juros competitivas para as empresas que se comprometerem em não demitir funcionários.

O Governo Federal está preparando um programa novo que visa ajudar os grandes setores de indústria do Brasil. Uma das primeiras medidas foi anunciada na terça-feira, dia 18, que consiste na criação de crédito cedido por bancos públicos com taxas de juros competitivas para as empresas que se comprometerem em não demitir novos funcionários.

Usar bancos públicos como financiamento ao setor produtivo não é uma tática nova, pois isso fez parte da política entre 2008 e 2014 como incentivo ao crescimento econômico do País. A iniciativa tinha sido abandonada e foi bastante criticada pelo Banco Central, pelo Ministério da Fazenda e pela atual equipe econômica.

A previsão é que a Caixa Econômica Federal libere R$ 5 bilhões para financiar o setor automotivo, esse montante é composto por recursos dos trabalhadores, FGTS e FAT, e dinheiro próprio. Na quarta-feira, dia 29, o Banco do Brasil também deve anunciar as novas linhas de crédito para esse setor.

O governo está negociando com os setores de construção civil, máquinas e equipamentos, papel e celulose, químico, fármacos, telecomunicações, eletroeletrônico, energia elétrica, alimentos e petróleo e gás.



De acordo com Miriam Belchior, presidente da Caixa, essa política foi discutida por muito tempo e tem como principal objetivo ajudar as empresas nesse momento de crise que a economia brasileira enfrenta. Segundo ela, o assunto foi debatido com o Ministério da Fazenda, por isso é um consenso do atual governo.

Para o setor automotivo estarão disponíveis quatro linhas de crédito. A previsão é que a economia comece a se recuperar em seis meses, pois isso em três das quatro linhas de crédito o empresário só começará a pagar o empréstimo após esse período.

A condição para ter acesso às taxas mínimas é o comprometimento em não demitir funcionários até que o empréstimo seja quitado. O governo fará o controle disso através da folha de pagamento. Caso a empresa demita dentro do prazo, a taxa de juros deve subir.

Por Jéssica Posenato



Post Comment