Inúmeras vezes nos sentimos perseguidos e discriminados pelo chefe, superior ou patrão.

Na maioria das vezes isso essa perseguição está somente na nossa cabeça e não na realidade. Nossos atos e ações sempre serão questionadas e os resultados serão, sem exceção, cobrados de forma a atender às necessidades da empresa.

O melhor sempre será o diálogo e a empatia. Tente se colocar no lugar de seu chefe, para verificar se a posição dele é compreensível, depois disso, caso ainda fique algum tipo de dúvida em relação ao modo como foi lidada a sua atitude, converse e exponha sua opinião e seus sentimentos.

Por José Alberi Fortes Junior


É um verdadeiro juramento quando você entrega um currículo ou participa de uma entrevista pessoal. Porém, muitas pessoas insistem em mentir quando vão citar as experiências profissionais ou cursos realizados no curriculum vitae. Atire a primeira pedra aquele que nunca colocou um curso fantasioso aqui, uma experiência inexistente ali, muitas são as façanhas de um candidato a uma seleção de emprego.

Vale lembrar que com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo e a “multifuncionalidade” fazer parte do vocabulário dos empregadores atuais, mentir no momento da entrevista ou na entrega de um currículo pode ser fatal para a sua vaga pleiteada. Uma pessoa que não tem domínio de programas específicos de informática e os coloca no currículo, como vai conseguir trabalhar com essa ferramenta caso seja pedido na empresa?

Para evitar situações constrangedoras como essa e inclusive manter sempre a honestidade e idoneidade diante do seu empregador, fale sempre a verdade. Mesmo que você não tenha nenhuma experiência profissional ou nenhum curso tão relevante, opte sempre pela transparência. Com isso, você vai conquistar a confiança do seu futuro patrão e não vai ser surpreendido com nenhuma atividade extra que não seja da sua competência.





CONTINUE NAVEGANDO: