Processos trabalhistas já podem ter fotos e e-mails como provas





Provar coação, assédio moral, discriminação, entre outros motivos que resultam em um processo trabalhista, já podem ter outros tipos de provas, além das testemunhas. Na era contemporânea em que o mundo vive, a internet tem se tornado instrumento importante até mesmo em causas judiciais.

Agora, são consideradas provas lícitas, fotos, e-mails, gravações, recibos e documentos. Porém, qualquer medida tomada que vá ferir a privacidade do empregador, como um grampo instalado no telefone do ‘chefe’, sem o consentimento dele, não é permitido.




Assim, àqueles que possuem causas trabalhistas podem usar dos novos artifícios para comprovar os abusos sofridos pelos empregadores, que vão desde ao assédio moral, até as horas extras trabalhadas e não pagas no momento da demissão.

Fique atento e garanta seus direitos.




Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *