Empresas exigem bom português e segundo idioma dos candidatos




O número chega a ser alarmante: 40% dos candidatos de processos seletivo são desclassificados devido a erros de português. Já para quem precisa aprender inglês, cursos grátis e de baixo custo são boas opções.

Na hora de participar de um processo seletivo o português “em dia” pode ser a salvação do candidato. É algo muito óbvio, mas as análises mostram que os erros em relação à língua portuguesa estão mais do que presentes nas entrevistas de seleções. O pior é que além de prejudicar o candidato pode até mesmo ser motivo para a sua desclassificação. Para ser ter uma ideia melhor da situação basta considerarmos o fato de que logo nas etapas iniciais dos processos seletivos quatro entre dez participantes não são selecionados por faltas com o português. Ao menos é para esse cenário que as estatísticas apontam.


Isso apenas demonstra o fato de que a cada dia as empresas estão cada vez mais exigentes no momento de escolher seus futuros colaboradores.

A coordenação do Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube) destaca um fato interessante: até pouco tempo atrás o português era exigido fundamentalmente para candidatos para postos de trabalho direto com o público como, por exemplo, os atendentes de call center. Com as coisas mudando diversos outros setores também estão cobrando cada vez mais o português como é o caso de áreas como Tecnologia da Informação e Engenharia.

Segunda língua:


Outro detalhe é o fato de que o candidato deve ter a opção de uma segunda língua em seu currículo. De fato, a maioria dos brasileiros não fala inglês, mas, isso não é desculpa para quem quer ingressar no mercado de trabalho com sucesso.

Uma segunda língua é uma exigência primordial em muitas empresas. Com a crescente demanda de interessados em aprender a oferta de cursos também cresceu. Um detalhe interessante é que não há muitas desculpas para não se preparar da maneira que for possível. Hoje em dia são oferecidos diversos cursos de idiomas com preços até muito baixos ou ainda de graça. Uma simples busca na internet mostra o tamanho da oferta.

Vale ressaltar que quanto mais cedo a pessoa começar a aprender uma segunda língua mais rápido e melhores serão os resultados.

Por Denisson Soares

Relacionados



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *