Dicas de como fazer um bom planejamento anual




Um planejamento deve ser a primeira coisa que você precisa fazer no começo do ano, ou no começo de tudo, afinal, a vida é sempre um recomeço para aqueles que lutam e sabem onde pretendem chegar.

Na verdade, você tem a opção de fazer vários planejamentos, e não apenas um só, pois assim fica mais fácil de você manejar sua vida. Esses planejamentos todos juntos podem se tornar seu planejamento anual, um grande projeto para cumprir durante o ano. Veja agora como você pode fazer isso:


1. Faça uma análise geral de tudo:

Primeiro, faça uma análise geral de sua vida e separe por categorias, incluindo a parte financeira, amorosa, espiritual, profissional, etc. Coloque tudo o que você achar que precisa ser mudado ou alterado para ocorrer mudanças positivas em sua vida. Não tenha medo de ser sincero com você mesmo. Caso houver necessidade, envolva outras pessoas que fazem parte de sua vida atualmente, como esposa ou marido, filhos, amigos, sócios, parentes, clientes, etc. Especifique tudo quanto for necessário.

2. Organize-se de maneira correta:


Depois que estiver tudo especificado, comece a anotar tudo o que você quer que mude em sua vida, por etapas. Por exemplo, se você precisa de uma promoção ou um aumento de salário, coloque isso na categoria profissional (já que envolve um emprego), caso queira aumentar seus rendimentos líquidos, então nesse caso deveria ser anotado na categoria financeira, pois nesse caso, você está especificando algo independente (se você for um empreendedor ou trabalhar por conta, por exemplo).

Veja que as categorias podem ser diferentes se separadas corretamente, assim você terá uma visão maior de como agir, conforme determinada área. Anote tudo e vá agindo conforme as estratégias que você criar, as quais devem ser diferentes para cada uma das situações. É como diz a maioria dos livros de autoajuda: “Se quer um resultado diferente, faça algo diferente”. Não se esqueça de acompanhar suas progressões constantemente nas anotações que você fizer. Compare-as três meses depois, seis meses depois ou um ano depois.

Por Daniela Almeida da Silva

Relacionados



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *