Profissões que demoram para ter recolocação no mercado



  

Com a crise atual, algumas profissões foram afetadas e os profissionais demoram mais tempo para voltar ao mercado de trabalho.

Depois da demissão, a expectativa dos profissionais é a recolocação o mais breve possível no mercado de trabalho, mas algumas profissões oferecem tempos um pouco maiores para que o profissional volte às suas atividades. Os motivos são diversos: falta de novas oportunidades, processos de contratação longos ou maior demanda de profissionais no mercado. Conheça as profissões que demoram mais para recolocar o profissional no mercado.

– Supervisor de Obra: O motivo principal da demora é a falta de novos lançamentos no setor imobiliário, já que um grande volume de obras já foi lançado. O profissional dessa área demora de 6 meses a um ano para se recolocar no mercado.

Engenheiro de Projetos Industriais: O cenário político atual faz com que a indústria passe por uma acentuada queda de investimentos e, consequentemente, um aumento nas atividades produtivas. Como a crise atingiu esse mercado, as empresas estão preferindo investir em manutenção, ao invés de lançar novos projetos. O tempo médio de recolocação do profissional é de 6 meses.



Analista ou Coordenador de Marketing: Esse profissional pode esperar até seis meses para uma nova oportunidade profissional, e isso ocorre porque em cenários de crise a área de marketing e comunicação é sempre mais comprometida.

Analista de Suporte: Embora as empresas tenham alta demanda de profissionais de suporte, a exigência de profissionais fluentes em espanhol e inglês dificulta a recolocação de profissionais fluentes em só um dos idiomas. O profissional dessa área pode ficar até 5 meses à procura de uma nova vaga.

Analista de Recrutamento e Seleção: Seis meses é o tempo médio de recolocação dos profissionais de RH. Essa área é afetada pela própria precaução do mercado em novas contratações. Se não há grande demanda de contratações, essa área perde um pouco mais de sua importância e as empresas acabam por chamar pouco esses funcionários. Deixando os funcionários à procura de novas vagas mais tempo desempregados.

Por Patrícia Generoso



Post Comment