Algumas empresas estão com vagas disponíveis para diferentes funções em determinadas cidades. É o caso da CSM Brasil, companhia especializada em e execução gestão de eventos e que atua em diferentes cidades, está com inscrições abertas para mais de 12 mil vagas para profissionais que irão atuar nos setores de alimentação e bebidas nos estádios que receberão os jogos da Copa do Mundo, realizada em diferentes estados do Brasil, nos meses de junho e julho de 2014. A Copa será uma ótima oportunidade para quem precisa de trabalho temporário e quer acompanhar de perto os jogos.

As vagas são para a campanha "Quero Vestir a Camisa", com postos disponíveis em todas as cidades sedes dos jogos: Brasília/DF, Belo Horizonte/MG, Curitiba/PR, Porto Alegre/RS, Recife/PE, Rio de Janeiro/RJ, São Paulo/SP, Salvador/BA, Fortaleza/CE, Natal/RN, Cuiabá/MT e Manaus/AM. Cada cidade terá um número aproximado de 1.00 vagas, para os setores operacionais dos bares e lanchonetes, em diferentes funções, como supervisor, coordenador, vendedor e operador de caixa.

Somente é exigido dos candidatos, a idade superior a 18 anos. Não é necessária experiência prévia, por essa razão, jovens de todas as idades em busca do primeiro emprego e trabalhadores de outras áreas podem concorrer as etapas do processo seletivo.

Os interessados podem se inscrever pela internet, no site www.querovestiracamisa.com e aguardas. Após as inscrições, o candidato selecionado na triagem será chamado para entrevista presencial com gestores responsáveis. Aqueles que forem selecionados participarão de sorteios realizados em todas as partidas e receberão certificado de participação, contudo não foi informado os valores da remuneração.

Nos meses de maio e junho, os recutados passarão por treinamentos, para desempenhar cada função, enfatizando o atendimento ao cliente, transporte e manuseio de alimentos e operação nos bares.

Não foram divulgadas mais informações quanto a seleção, somente o fim do prazo de inscrições, que irá ocorrer no dia 15 de março. Dúvidas podem e mais informações podem ser obtidas no e-mail para [email protected]

Por Robson Quirino de Moraes


Para ser a sede da Copa do Mundo do ano de 2014, o Brasil precisará investir muito em sua infraestrutura. O valor a ser investido é de aproximadamente R$ 30 bilhões e mais de 700 mil vagas de emprego deverão ser criadas para suprir as necessidades de profissionais em diversas áreas.

Há uma previsão de que serão criados 332 mil empregos fixos e 381 mil oportunidades temporárias. No caso do Estado de Cuiabá, a área que mais oferece vagas de trabalho é o setor de construção civil, inclusive há cursos de capacitação sendo oferecidos, mas falta pessoal para suprir a necessidade do setor.

Já no Ceará, 10 mil pessoas estão realizando cursos para recepção dos turistas que chegarão para o mundial.

O Estado de Santa Catarina apresenta um crescimento maior da área de tecnologia da informação, mas ainda há falta de mão de obra qualificada para suprir uma necessidade de mais de duas mil vagas.

Por Elizabeth Preático

Fonte: G1


Assim que as empresas definirem suas estratégias para os funcionários assistirem aos jogos da Copa do Mundo, se programe e tome muito cuidado com os exageros que podem acontecer em algumas confraternizações.

Apesar do ambiente festivo e de descontração, não esqueça que ainda é seu trabalho e que seus colegas e chefes estarão presentes.

Qualquer atitude de desrespeito ou preconceito, seja com colegas ou seja com as equipes que o Brasil venha a enfrentar, deve ter um tom comedido, afinal, nenhum coreano gostaria de ser ouvir um xingamento como “amarelo safado”, por exemplo, quando o Brasil jogar contra a Coreia do Norte. Os outros adversários do Brasil serão Costa do Marfim e Portugal e procure torcer, sem ser agressivo, afinal as pessoas podem se ofender.

Por José Alberi Fortes Junior


Agora com tudo encaminhado para a realização da Copa do Mundo deste ano, na África do Sul, cabem às empresas e instituições brasileiras decidirem sobre como lidar com a situação junto com os seus funcionários.

Não há como negar que o país todo se volta para o mundial e que proibir as pessoas de assistirem aos jogos da seleção brasileira no período de trabalho pode gerar uma insatisfação a ser refletida na produção e nos resultados esperados pelos empregadores.

Por isto, algumas empresas já estão se organizando para lhe darem com a situação, seja colocando televisores espalhados pela empresa para que os funcionários tenham acesso aos jogos da copa, ou até mesmo, adotando a liberação dos mesmos nos horários das partidas.

Por Elizabeth Preático





CONTINUE NAVEGANDO: