Muitas pessoas acreditam que apenas o ensino da sala de aula e atividades práticas que fazem um profissional a ter conhecimentos e aprender em questões de tarefas diárias da carreira. Há outras formas inusitadas de aprender sem ser por esses meios, um deles é com o universo lúdico.

Segundo o especialista da Academia de Estratégia, Alessandro Saade, o profissional consegue, por jogos, simular situações diferentes e fazer com que essa pessoa consiga perceber tudo isso na prática e o mais interessante, de forma divertida.

Existem três jogos no mercado que são muito usados em treinamentos empresariais. Os games funcionam na mesma lógica de aprendizagem usada nas salas de aula, só que de uma maneira mais descontraída.

O primeiro deles é o “Quarto”. Ele é parecido com o jogo da velha, só que vai além: possui as variáveis de altura, cor, superfície e forma. O jogo inclui três regras simples e parecidas com o que um profissional pode passar dentro da empresa. Ninguém possui peças diferenciadas, o vencedor precisa formar uma linha com uma das variáveis e o adversário que decide qual a peça necessária que o outro vai jogar.

Cada escolha do jogador pode ser fatal nas próximas etapas. É aquela velha história de ações que se toma dentro da empresa e as consequências que o empregado pode sofrer depois. O mais interessante do game é que ele estimula pensamentos estratégicos velozes. O jogador tem pouco tempo para escolher a melhor alternativa e os cenários mudam constantemente, assim como pode ocorrer no trabalho.

O outro jogo é o “Hora do Rush”. O game compõe um tabuleiro com carrinhos compostos em várias direções. O jogador parece estar no meio de um estacionamento com inúmeros veículos e sem ordem. O objetivo então é retirar o carro da cor vermelha do meio daquele “entulho” de carros. O sucesso do jogo vai depender de todos os membros da equipe participante, e ela tem poucas alternativas para conseguir tirar o carro de lá.

O último e não menos interessante é o “Team Balance”. Ele é um tabuleiro parecido com um labirinto de madeira. O jogo consiste em conseguir guiar uma bola com algumas cordas grudadas no jogo para levá-la até o final do labirinto. O game pode ter de quatro a até 16 pessoas e, para ter sucesso, mais uma vez o trabalho em equipe é necessário. 

Por Carolina Miranda


Hoje as empresas investem muito em treinamento, pois se atentaram à tamanha importância que isto tem na vida profissional e no grande aumento de produtividade de todos os colaboradores.

Apesar de ser um grande investimento, existe o retorno quase que imediato de todos os pontos abordados e treinados.

Toda a evolução fica facilmente mensurável e a evolução é facilmente detectada se traçarmos um comparativo temporal de antes e depois de treinamentos.

Mas deve-se ter cuidado com o método e com os assuntos a serem abordados, pois uma série muito grande de aulas com assuntos não pertinentes, causa desgaste da equipe e a praticidade não é percebida.

Por José Alberi Fortes Junior


O aprimoramento é uma das premissas de um ótimo funcionário, e por isso vários investimentos são feitos para que os empregados procurem atualizações e cursos para que ampliem seus conhecimentos cada vez mais.

Para quem gosta de ensinar e tem uma excelente oratória, tentar uma colocação no mercado de treinamento pode ser uma oportunidade para direcionamento de sua carreira. Conhecimento geral, simpatia, boa aparência, dinamismo e conhecimento de novas tecnologias são características obrigatórias para quem quer entrar neste ramo.

Prof. Marins, Bernardinho, AM3 são ícones no ramo de treinamento, capacitação e palestras motivacionais.

Por José Alberi Fortes Junior





CONTINUE NAVEGANDO: