Entenda a carreira e conheça um pouco sobre a profissão de Headhunter.

A palavra headhunter parece ser mais um desses termos em inglês que estão em alta no mundo de negócios, mas não é apenas isso. Ao pé da letra, a tradução diz “caçador de cabeças” e a ideia é bem essa mesmo: procurar pelas melhores mentes.

A função do headhunter é achar os melhores profissionais do mercado para fins executivos. Claro que para tanto, é essencial que o headhunter tenha pleno domínio sobre o negócio da empresa para a qual está caçando, além de saber identificar as necessidades da instituição a fim de casá-las com o perfil do profissional a ser recrutado. Em outras palavras, o headhunter serve como uma ponte – ou mediação – entre os tops do mercado e as empresas que desejam obtê-los em suas equipes.

Outros pontos a serem muito bem definidos e avaliados pelo headhunter são questões acerca do cargo e/ou função cujo profissional procurado vai exercer, pois para que a contratação seja saudável, produtiva e lucrativa, existe a necessidade de que a expectativa da empresa e do candidato sejam complementares.

Então um headhunter é um recrutador?

Não. Um headhunter é muito mais que um recrutador, pois ele possui um networking, sabendo onde encontrar quem para o quê. Não é como no caso do recrutamento, em que o candidato procura a vaga e é analisado para assumi-la ou não. O headhunter procura a pessoa e propõe o cargo ou vaga, independente da situação desse sujeito. Existem casos, inclusive, nos quais o headhunter propõe benefícios, vantagens e/ou pagamentos para que o “caçado” aceite a proposta, no caso de estar empregado ou prestando serviço para outra empresa.

Não existe uma formação específica para ser um headhunter. Isso advém de experiências, feeling e contatos, além da persuasão necessária para fazer boas negociações. É importante lembrar que um headhunter não faz cobrança de taxas ou dá cursos, ele é contratado pela empresa que procura um determinado perfil profissional para determinado posto. Portanto, não se deixe enganar por falsas promessas de pessoas que afirmam executar essa função, cobrando algo em troca do oferecimento de melhores colocações no mercado.

Carolina B.


Confira aqui algumas dicas para conseguir atingir suas metas e crescer profissionalmente na empresa.

Quando se busca sucesso na carreira profissional é necessário compreender dicas e virtudes importantes para alcançar o que se almeja. Em primeira instância, é necessário entender a diferença entre dois termos: eficiência e eficácia.

Sem sombra de dúvida é algo muito comum se deparar com pessoas que vivem na certeza de que entendem o significado destes termos, até o momento que são questionadas verdadeiramente sobre isso .

A eficiência é um termo explicado por diversos autores da administração como conseguir fazer mais com menos. Ou seja, realizar qualquer atividade de interesse em vista de controvérsias. Falta de recursos, tempo, orçamento, mão de obra, entre outros.

Agora a eficácia tem como significado a realização correta de atividades. Por exemplo, executar as atividades conforme uma norma ou procedimento. Em termos profissionais seria como quando os gerentes exigem para que os funcionários executem suas atividades da maneira eficaz para que não gere nenhum problema posterior.

As definições são bem parecidas. Por isso geram confusões.

Depois de entender os conceitos de eficiência e eficácia, fica fácil. Primeiramente para atingir suas metas profissionais, é preciso focar nas atividades que necessitam de eficácia. Definir quais tarefas devem ser feitas corretamente para que não haja nenhum erro que ocasione atrasos na sua meta.

Como evitar atrasos?

É comum acontecer atrasos quando se almeja algumas metas, então acostume-se. Porém, em vista dos diversos fatores e procedimentos, que geralmente não são observados corretamente, em vista de que a forma de se não evitar atrasos é um planejamento antecipado e adequado.

Planejamento:

O planejamento é extremamente importante para que seus objetivos profissionais sejam alcançados. Trace seus objetivos e mantenha-os de forma expressa. Detalhes como: em quanto tempo, o que deve ser feito para alcançar seus objetivos, devem ser anotados para garantir o sucesso.

Responda cada questão e organize-se. Crie listas de tarefas diárias, semanais e mensais que te levarão a curto e longo prazo ao seu objetivo. Construa planilhas também e deixe seus resultados expostos.

Você deve preparar suas atividades em busca do seu objetivo, de acordo com seu modo de vida. Como e quais meios usar para conquistar a sua meta e fazer acontecer cada um sem falta.

Conhecer os seus limites é necessário para não comprometer sua saúde. Não deixe a sua saúde e relacionamentos em jogo, caso contrário, você poderá desequilibrar as outras áreas da sua vida.

Produtividade:

Se você realmente quer alcançar suas metas profissionais com eficiência e rapidez, como demonstramos, é preciso executar as atividades ou tarefas da maneira correta com o menor número de recursos possíveis.

O processo de coaching poderá lhe ajudar. Este processo (coaching) ajuda você a entender, trabalhar e focar apenas no que é realmente importante.

Desta forma, poderá finalmente executar mais com menos. Sendo então eficiente e eficaz, para se tornar mais produtivo.

Por Denisson Soares


Mercado busca cada vez mais profissionais de trabalhos manuais.

Há alguns anos nós ouvíamos que os trabalhos manuais estavam chegando ao fim e que seriam os trabalhos intelectuais que dominariam a cena. Ironicamente, o quadro parece estar invertido. A tecnologia conseguiu suprir muito bem os trabalhos intelectuais. Os computadores fazem cálculos com maestria, controlam estoques, fazem relatórios automáticos. Mas e quem vai cuidar do estoque, carregar as caixas, levar a papelada de um lado para outro, construir, cuidar do encanamento, da pintura, da parte elétrica, quem vai escrever os artigos para os leitores?

Enfim, parece-nos que o trabalho unicamente intelectual está fadado aos computadores. Caberá a nós saber manusear softwares, máquinas e afins para desempenhar concretizar os trabalhos intelectuais. Mas uma coisa que tem ficado esquecida nesses tempos é a crescente necessidade de profissionais qualificados que saibam meter a mão na massa.

O mercado está demandando pedreiros competentes, encanadores que resolvam de fato os problemas de vazamento e afins, marceneiros para fabricar móveis e acabamentos, mulheres de limpeza para manter as casas organizadas enquanto marido e mulher trabalham fora, eletricista, instalador de ar-condicionado, dentre outros.

Fato é que estamos vendo uma conjuntura invertida nascer, achava-se que os engravatados eram quem mais recebiam salários, no entanto, hoje, um salário de um concursado no Banco do Brasil ( cerca de R$ 1.800) é menos do que o salário de um pedreiro competente e ou de um limpador de vidros em prédios. Chapistas e atendentes em restaurantes também ganham salários que podem até superar o dos bancários.

Os ventos parecem ter mudado de lado. Nos EUA e Europa isso já havia acontecido. Serviços na construção civil e limpeza eram relegados aos latinos, mas agora, como os empregos minguaram, até os americanos estão reclamando por oportunidade de trabalho nos ditos “serviços manuais”.

Não é demérito para ninguém trabalhar em um serviço braçal, pelo contrário, você está usando uma das maiores maravilhas do mundo para exercer sua função: a força do seu corpo. O ideal é conseguir projetar os trabalhos manuais em uma atmosfera de conhecimento. Ou seja, ser um pedreiro qualificado e experiente, uma faxineira rápida e eficiente, ou encanador que sabe investigar vazamentos e um redator que consegue produzir conteúdo relevante agilmente.

Matheus Griebeler


Descubra aqui o que é Networking e qual a importância dele em sua carreira.

Networking é uma expressão em inglês, utilizado no meio administrativo. Quer dizer rede de contatos ou rede de relacionamentos. É um método onde os participantes dessa rede compartilham serviços, informações ou contatos sobre um assunto em comum.

Essa palavra tem relação com o ramo empresarial e sugere uma ação de busca de contatos, sempre com o pensamento nas mudanças positivas, como por exemplo, conseguir um emprego ou alavancar na carreira. Essa atividade pode ser confundida com algo egoísta, em que uma pessoa se aproveita da outra em benefício próprio, mas não é bem assim. No networking deve existir sempre algo recíproco, onde uma pessoa ajuda a outra e também obtém benefícios, como uma troca de experiências.

Imagine que uma corporação precisa contratar alguém para um cargo em específico. Nessa situação, é comum que o empregador pergunte aos seus funcionários se eles conhecem algum na sua rede de contatos que tenha o perfil exigido. Aquele que se sair melhor na utilização no networking pode ser mais facilmente indicado para subir de cargo quando a oportunidade aparecer.

Networking não se relaciona somente com a aquisição de novos contatos, também tem a ver com a capacidade de se manter em contato com pessoas que já se conhece, como antigos professores e amigos influentes. Essa ferramenta só funcionará bem para quem apresenta uma boa desenvoltura social. Para ter uma rede de contatos eficiente, é preciso ser muito bom nos relacionamentos pessoais. Por esse motivo o networking é inteirado ao treinamento. Lembre-se sempre: nesse meio o mais importante não é quantidade, mas sim a qualidade.

Na hora de conhecer gente nova ou reaver seus contatos, tenha em mente que o networking é um mecânismo que exige paciência, não é algo que se usa para urgências. Isso quer dizer que quando você conhece alguém importante e entrega logo seu currículo, pode ser visto como uma pessoa inconveniente. Seja paciente, procure conhecer seus relacionamentos, pois eles podem lhe ajudar numa oportunidade, assim como você pode ser de grande ajuda.

Essa ferramenta tem ganhado cada vez mais espaço e relevância no mercado hoje, por ser mais descomplicado encontrar gente de nível superior e com características mais específicas para o meio corporativo. Nem sempre ter um currículo surpreendente ou experiência no cargo é o bastante para alcançar aquele trabalho. Conhecer pessoas que trabalham na área que você deseja e que te enxergam como potencial pode ser a diferença entre as decepções trabalhistas e o sucesso.

Por Fábio Santos


Vendedor de Varejo lidera a lista com média salarial de US$ 21 mil por ano.

A escolha da profissão não é fácil, principalmente quando estamos no final do Ensino Médio e precisamos lidar com toda a pressão dos familiares, vestibulares e o peso da dúvida de qual carreira seguir. Para te ajudar, o famoso portal de empregos estadunidense CareerCast.com libera anualmente um ranking com as 200 piores e melhores profissões do ano, levando em conta a renda, o ambiente de trabalho, estresse, desgastes físicos e emocionais e chances de contratação, tendo como base os dados do Centro de Estatísticas do Trabalho.

Por isso listamos aqui as piores profissões do momento junto com a média salarial anual, pra você não errar!

  • Vendedor no Varejo – média anual: US$ 21.670
  • Taxista – média anual: US$ 23.210
  • Militar Alistado – média anual: US$ 27.936
  • DJ – média anual: US$ 29.010
  • Trabalhador de Controle de Pragas – média anual: US$ 30.660
  • Lenhador – média anual: US$ 35.160
  • Repórter de Jornal e Locutor de Rádio – média anual: US$ 37.200
  • Bombeiro – média anual: US$ 45.970
  • Publicitário – média anual: US$ 47.890

Enquanto isso, a profissão de cientistas de dados lideram a lista das melhores profissões com uma renda anual maior que US$ 128.000, cerca de R$ 384.000. As áreas com mais chances de prosperidade são as de exatas, como matemáticos, engenheiros e estatísticos.

Embora a lista aponte os profissionais da área de jornalismo e radialismo como uma das piores apostas de 2016, devido ao seu mercado cada vez mais restrito há alguns anos, muitos ainda buscam o curso nas maiores universidades do Brasil. No ano passado mais de 2 mil pessoas se candidataram para as 60 vagas de jornalismo oferecidos pela Universidade de São Paulo, enquanto mais de 1.300 candidatos concorreram às 35 vagas do curso de audiovisual.

Já para a carreira de matemático, apontado como grande aposta para esse ano, houve menos de 1.000 inscritos se somados os cursos de bacharelado e licenciatura da Universidade de São Paulo.

Porém, não se desespere se a sua carreira dos sonhos está nessa lista! É preciso fazer o que se gosta, com dedicação e determinação, somente assim será possível conquistar o sucesso profissional e um bom retorno financeiro. Pesquise bastante sobre a carreira que deseja seguir e veja no que você pode ser diferente para se destacar e fazer a diferença. 

Por Tom Vitor de Freitas


Vagas para a área devem aumentar no decorrer deste ano. Outras áreas de TI também devem contar com boas oportunidades.

Para os profissionais que já atuam na área de tecnologia da informação ou aqueles que ainda pretendem ingressar nessa área, procurem realizar cursos e conhecer mais sobre a linguagem de programação Java. O mercado de trabalho está com uma enorme escassez desses profissionais.

De acordo com a empresa Conquest One, que realiza anualmente um levantamento sobre as áreas que estão em alta e abrindo mais oportunidades de trabalho, profissionais que atuam com desenvolvimento em Java serão os mais procurados pelas empresas brasileiras nos próximos meses. Não somente profissionais que atuam com Java, mas também profissionais que atuam com Python, Mobile e Big Data.

Além de serem os mais procurados pelas empresas, os salários para esses profissionais variam de acordo a tecnologia utilizada. Um programador Java Júnior recebe em média R$ 2.500,00, um programador Java Pleno recebe em média R$ 3.800,00 e o programador Java Sênior recebe em média R$ 5.500,00.

Projetos que foram cancelados em 2015 devido a crise econômica que estamos enfrentando no Brasil retornarão nesse ano de 2016. Por esse motivo, esse ano é promissor para esses profissionais.

Apesar de ter sido atingida pela crise do país, a área de Tecnologia da Informação não pode parar, tudo hoje em dia envolve dados, performance, sistema de gestão, controle, mobilidade, entre outros. Por este motivo, profissionais que trabalham nessa área conseguem se recolocar no mercado de trabalho com mais facilidade que os profissionais que trabalham em outras áreas.

Devido o retorno dos projetos cancelados em 2015 e as Olimpíadas que acontecerão esse ano no Rio de Janeiro, analista de negócios, analistas de infraestruturas, analistas de segurança da informação e arquitetos de sistemas também serão muito procurados pelo mercado de trabalho.

Em 2015, conforme os dados da Conquest One, os profissionais que foram mais contratados foram os analistas de suporte, eles ocuparam um índice de 19% dos profissionais contratados, em seguida vieram os analistas de produção (ocuparam um índice de 6,5%) e por último os líderes técnicos (5,9%). De acordo com os números de levantamento, a área que mais contratou foi a de infraestrutura, com 29,5% das oportunidades.

Aline Aparecida Feitosa Dias


Confira aqui algumas dicas para conseguir se recolocar no Mercado de Trabalho.

Infelizmente a caminhada para se recolocar no mercado de trabalho tem sido longa, pois tem muitas pessoas desempregadas no nosso país. Entretanto, a internet tem ajudado muito nessa caminhada, é através dela que as vagas de emprego são divulgadas e os interessados podem enviar seus currículos.

Atualmente as pessoas que não tem fácil acesso a um computador ou internet saem muitas vezes na desvantagem, porque muitas empresas só aceitam o currículo através do seu próprio site, e-mail ou página no Linkedin.

O cadastro realizado nos sites das empresas deve conter todas as informações encontradas no currículo: dados pessoais, objetivo, pretensão salarial, curso superior, pós-graduação, cursos de especialização, experiência profissional e idiomas.

É essencial criar perfis nas redes sociais, como Facebook e Linkedin, esses perfis são muito importantes para as empresas encontrarem o profissional que encaminhou o currículo ou realizou o cadastro em seu site. Eles são um portfólio público, mostram para todos o que você pensa e quem você é, portanto, não compartilhe tudo que você encontra, exclua imagens que não são sérias, com bebida, sensuais ou até mesmo com biquíni.

No momento em que um profissional encontra-se muito tempo fora do mercado de trabalho, ele passa a encontrar uma grande dificuldade para conseguir se recolocar. Com isso é importante avaliar a empregabilidade conforme os conhecimentos obtidos anteriormente, experiências, nível acadêmico, habilidades, atitudes e se necessita ou não fazer novos cursos.

Devido a dificuldade de encontrar um trabalho, é muito comum vermos pessoas aceitando se recolocar no mercado de trabalho com um salário bem menor que o salário anterior. Aceitar ou não um salário menor, depende muito do número de dívidas e a renda mensal da família. Todos querem receber um salário semelhante ou maior que o salário anterior, mas o mercado de trabalho não se encontra muito receptivo.

Perante toda essa dificuldade encontrada para se recolocar no mercado de trabalho, é importante que o profissional esteja aberto para novos desafios, realizar trabalhos temporários, projetos de diferentes setores e até mesmo Freelancer. Esses novos desafios contribuem para permanecer ativo, criar um excelente portfólio, possibilidade de escolher os locais de trabalho, conhecer novos profissionais, conseguir novos conhecimentos e experiência enquanto tenta encontrar algo melhor.

Aline Aparecida Feitosa Dias


Confira aqui as carreiras que mais cresceram neste ano de 2016.

Há certa dificuldade de recolocação do profissional no mercado de trabalho devido a crise no Brasil, mas existem áreas que apresentaram alta na demanda de trabalhadores qualificados em nosso país.

Confira uma lista feita pela empresa de consultoria Page Personnel com os cargos que mais cresceram em demanda neste ano de 2016.

Analista de Processos: Salário em média fica em R$ 6 mil a R$ 8 mil. As empresas buscam uma forma para reduzir os seus custos e também para melhorar a utilização dos recursos financeiros. Com isso, abrem-se vagas para esses profissionais. O aumento das vagas para analista de processos foi de 20% e a maior parte da demanda são para empresas de médio e grande porte, além de consultorias.

Analista de Marketing Digital: Salário base na média de R$ 3.500 até R$ 7 mil. Esse foi o cargo que apresentou o maior aumento na procura. A demanda se apresenta maior em empresas de bens de consumo, tecnologia e do varejo. A necessidade é para o acompanhamento da mudança do perfil dos consumidores no Brasil. Os profissionais desta área vão trabalhar em áreas como controle, estratégia e operação de canais digitais.

Analista para Vendas Financeiras (Sales Finance): Salário base na média de R$ 4.500 até R$ 7 mil. O aumento foi em 15% para a busca nessa área. Ele vai trabalhar para acompanhar o resultado das vendas de uma empresa, além de observar as estratégias de preço, volume, a margem do lucro, resultados dos produtos e seus vendedores, descontos e rentabilidade. A maior parte da demanda é no comércio, bens de consumo e indústria.

Analista para Planejamento de Vendas: Salário base na média de R$ 4 mil até R$ 7.800. As empresas buscam a manutenção ou elevação das vendas e procuram esses profissionais. A demanda fica em maior parte para empresas de serviços, varejo e bens de consumo. A alta para as vagas destes profissionais em 2016 foi de 30%. O trabalho do analista de planejamento de vendas se faz para analisar os dados e melhorar os resultados em termos de vendas.

Área de Desenvolvedor Fullstack Front e Back End: Salário base na média de R$ 8 mil até R$ 12 mil. O aumento na procura de profissionais desta área foi de 30%. A pessoa atua frente a criação de sistemas front end e back end. Com eles, as empresas conseguem a garantia de uma produção de interfaces amigáveis para aplicativos e sites. As vagas aparecem em empresas de comércio eletrônico, startups e consultorias.

Analista de Planejamento Tributário: Salário base na média de R$ 5 mil até R$ 8 mil. Como a legislação tributária do Brasil é muito complexa, os analistas desta área sempre apresentam boas oportunidades no mercado em segmentos jurídicos e fiscal das organizações. A alta para a procura destes profissionais foi de 10%. A atuação se dá para a apuração dos cursos e perdas, abertura de novas unidades das companhias, formular preço dos produtos e serviços.


Confira aqui mais informações sobre os Programas de Trainee e o que as empresas esperam destes profissionais.

O mercado de trabalho encontra-se muito competitivo e as empresas estão procurando contratar candidatos com diferenciais para atuar nas oportunidades abertas, candidatos que demonstram dedicação, empenho, responsabilidade, pró-atividade e atitude. Os candidatos que são recém-formados ou estão perto de concluir a graduação tem uma vantagem, pois empresas grandes abrem oportunidades de trainee frequentemente. Elas procuram contratar jovens profissionais que ainda não têm experiência profissional, mas acabaram de sair do ambiente acadêmico.

Devido ao trainee ser o profissional que passa por treinamentos para depois de um longo prazo ocupar cargos de gerentes, as seleções das empresas são muito rígidas. Elas são compostas por diversas fases e podem demorar até 4 meses para serem concluídas.

As empresas esperam que após contratados, os trainees busquem além do que é recomendado, todos os funcionários que fazem apenas as atividades envolvidas no seu cargo acabam não se destacando perante os demais e isso não é diferente com os trainees. O profissional contratado para atuar como trainee deve procurar interagir com o seu gestor e perguntar sobre novas funções.

É essencial ficar sempre ciente sobre os prazos das atividades que está realizando, isso demonstra eficiência e organização. O trainee deve atuar de acordo com as prioridades, realizar primeiro as atividades que o prazo está próximo e caso não consiga terminar na data combinada, é importante saber negociar uma nova data com o gestor.

O trainee também deve ser comunicativo, porque dentro da empresa que está trabalhando ele terá contato com a maioria dos setores, procurando entender conceitos, interagir com a cultura de diferentes profissionais, aprender linguagem profissional e melhorar o conhecimento sobre mercados, tecnologia, consumidores e clientes.

O gestor frequentemente passa trabalhos desafiadores para analisar como o profissional atuará perante essas situações e o desempenho profissional é avaliado e classificado de acordo com:

  1. A maturidade do candidato;
  2. Qualidade das atividades realizadas;
  3. Capacidade de interagir com as pessoas dentro do ambiente empresarial;
  4. Modo como expõe suas ideias;
  5. Facilidade para adaptar em diferentes situações;
  6. Modo como encontra soluções para os problemas;
  7. Habilidade para ser líder;
  8. Como trabalha sob pressão.

O jovem que consegue uma oportunidade como trainee, terá a oportunidade de crescer na vida profissional e deixar o currículo mais chamativo.

Aline Aparecida Feitosa Dias


Apesar da crise vários campos de atuação oferecem ótimas oportunidades

Em meio a crise pela qual o país vem passando é importante saber onde investir. O mercado de trabalho vem absorvendo e fundindo funções e para o ano de 2016 algumas áreas tendem a se destacar mais, sendo as mais promissoras do mercado. A área de tecnologia da informação, direito, financeiro e comercial são as principais. Cargos de gerência também ganharam novas atribuições, havendo diferentes tipos de vagas.

Confira então algumas das carreiras mais promissoras para esse ano:

Gerente de Plataformas Mobile e Web: Coordena uma equipe responsável pelo desenvolvimento de aplicativos e ferramentas para web. Responsável por aproximar a empressa do cliente. Tende a estar em alta já que muitas empresas querem essa aproximação via plataformas on-line e de e-commerce.

Gerente em Marketing Digital: Atua com pesquisa, vendas, estratégia digital e gera produtos e serviços on-line. Tende a estar em alta já que a internet tem ganhado muito espaço no mundo dos negócios, e o funcionário do marketing já responsável por algumas dessas funções, tende a dar uma guinada na carreira com a especialização digital, cumprindo as exigências dessa nova vaga no mercado.

Desenvolvedor de aplicativos: Como o próprio nome já diz cabe a esse profissional desenvolver aplicativos para smartphones, dando suporte, corrigindo erros e atendendo as necessidades dos usuários. Tende a estar em alta pois com o alto uso dos aparelhos os usuários vêm buscando alternativas criativas para o dia a dia dentro de seus smartphones.

CEO: Responsável por dar novas soluções às empresas. Tende a estar em alta pois as empresas vem buscando pelos CEOs para apresentar novas direções, ideias, aproveitando da sua capacidade de otimizar e readequar os negócios para o mercado atual.

Advogado tributário: Defende os processos administrativos da empresa, faz consultorias diversas, principalmente sobre obrigações tributárias. Esse cargo sempre esteve em alta, visto que a matriz tributária nacional é um pouco complicada e um profissional da área se torna essencial dentro da empresa, e em tempos de crise ele também vem a ajudar a diminuir gastos.

Advogado trabalhista: Lida com processos do trabalho, seja do lado do empregado ou do empregador. É outra área que sempre esteve em alta, mas também, por conta da crise e do alto número de demissões vem sendo procurado por ambos os lados (funcionário e empresa).

Sociólogo: Uma área que foge um pouco do que vinha sendo apresentado, mas vem para atuar também no mercado. O sociólogo em questão tem a função de analisar o comportamento do cliente e fazer pesquisas de mercado. Tende a estar em alta já que as empresas vem se preocupando cada vez mais com a qualidade do que apresenta para o cliente, além da sua opinião para com a empresa.

Então, aproveite desse tempo de crise e especialize-se nas áreas mais necessárias para o mercado.

Por Tom Vitor de Freitas


Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) ganha 12 novas profissões em sua lista.

Anualmente o Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) atualiza novas categorias profissionais, ou seja, profissões que foram agregadas ao mercado de trabalho e ainda não haviam sido reconhecidas. Neste ano, doze novas foram reconhecidas e atualizadas na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), atingindo a marca de 2,6 mil ocupações existentes hoje no Brasil.

Essa classificação da CBO é atualizada de acordo com as mudanças que ocorrem no país, tanto na política como na cultura e economia e serve para a reformulação e também criação de política públicas de empregabilidade. Dessa forma, Tecnólogo em Soldagem, Mestre de Cerimônias, Entregador de Publicações, Concierge, Entrevistador Social, Agente de Combate a Endemias, Casqueador de Animais, Ferrador de Animais, Tapeceiro de Autos, Condutor de Ambulâncias, Operador de Combustível de Aeronave, Monitor de Sistemas Eletrônicos de Segurança Interno e Monitor de Sistemas Eletrônicos de Segurança fazem parte do hall das ocupações reconhecidas pelo MTPS.

Conheça abaixo as novas ocupações detalhadas:

  • Agente de Combate a Endemias: Responsável pelas ações de controle de endemias e por ensinar educação sanitária e ambiental para a comunidade, além de orientar os meios para promover a saúde através de inspeções a domicílio.
  • Casqueador de Animais: Este profissional deverá monitorar a saúde dos animais como doenças, lesões e também traumatismos. Além disso, o Casqueador deverá cortar os excessos de cascos e limpa e higienizar os ferimentos.
  • Concierge: O Concierge tem a função de prestar serviços de recepção e apoio aos clientes. Também pode prestar atendimento telefônico e informações em distintos estabelecimentos comerciais.
  • Condutor de Ambulância: Responsável por transportar os pacientes. Além disso, também poderá prestar auxílio às equipes de saúde durante atendimentos de urgência e emergência.
  • Entregador de Publicações: O Entregador de publicações é responsável por entregar as publicações, correspondências e objetos, além de também organizar e fazer a triagem destes.
  • Entrevistador Social: O Entrevistador social vai até as casas de famílias de baixa renda para realizar entrevistas e também orientar sobre as políticas públicas e programas sociais.
  • Ferrador de Animais: Como o nome já diz, o Ferrador é responsável por colocar as ferraduras nos animais. Também verifica se há algum ferimento nas patas e, se tiver, encaminha ao veterinário.
  • Mestre de Cerimônias: O Mestre de Cerimônias é responsável pela gestão dos eventos, sempre seguindo um roteiro elaborado pelos organizadores.
  • Monitor de Sistemas Eletrônicos de Segurança Externo: Monitorar os equipamentos e sistemas de uma central de monitoramento é o papel do Monitor de Sistemas Eletrônicos de Segurança Externo. Também deverá realizar inspeção técnica no local a ser monitorado e fazer manutenção corretiva e preventiva dos sistemas.
  • Monitor de Sistemas Eletrônicos de Segurança Interno: Este profissional deverá analisar os eventos e as imagens recebidas na central monitorada. Identificar os problemas e encaminhar ocorrências ao setor responsável também faz parte do trabalho do monitor de sistemas eletrônicos de segurança interno.
  • Operador de Abastecimento de Combustível de Aeronave: Abastecer e destanquear o combustível das aeronaves é o trabalho deste profissional.
  • Tapeceiro de Autos: Fabrica ou reforma o estofamento e revestimento interno de veículos.
  • Tecnólogo em Soldagem: Este profissional é responsável por elaborar o plano de qualificação de procedimentos de soldagem, além de qualificar profissionais da área.

William Dresch Floriano


Confira aqui algumas dicas de como melhorar o seu Marketing Pessoal no Trabalho.

Mas o que é Marketing Pessoal? Marketing Pessoal são atitudes que os profissionais podem tomar para “vender” sua imagem, ou seja, para conseguir alcançar o sucesso sem precisar pisar ou “puxar o tapete” de outra pessoa.

Ter o “feeling” para saber como se comportar e  atitudes nas horas corretas são fundamentais para se auto promover, se destacar e assim crescer profissionalmente.

Listamos abaixo 6 características decisivas que você profissional deve ter no ambiente de trabalho, dicas que irão te auxiliar na sua auto promoção:

  • 1. Transmita Confiança e Exercite a Liderança: Você precisa ser seguro de suas opiniões e saber influenciar os demais.
  • 2. Seja Multidisciplinar: Não se limite ao seu setor, mostre interesse em outras áreas, pela atividade da empresa, seja voluntário, participe de reuniões, palestras, dê sugestões e argumente com inteligência, seja comunicativo e procure trabalhar em equipe;
  • 3. Cuidado com a Dose: Não se mostre demais ou de menos, seja balanceado, não invente história e nem se utilize de mentiras para se promover, conte sempre suas verdadeiras conquistas em momentos oportunos, se utilizar de falsidade só irá te prejudicar no futuro. Pense sempre que e-mails bem escritos, avaliação de desempenho e de feedback, conversas não formais e participação em reuniões são formas de se valorizar sem ser inadequado;
  • 4. Puxar o Tapete? Nem Pense Nisso: Ser o melhor é bom, mas por méritos seus, sem prejudicar um colega um trabalho, seja honesto em suas atitudes profissionais;
  • 5. Seja Criativo: Use a criatividade como um diferencial, seja atualizado, leia bons livros, revistas e jornais, além de fazer cursos e viagens, dessa forma você se torna um talento;
  • 6. Mantenha o Alto Astral: Esteja sempre de bom humor, seja simpático e esteja sempre disposto a cooperar, a pessoa otimista sempre tem vantagem.

O mercado de trabalho está cada mais competitivo e seletivo, as exigências vêm aumentando consideravelmente e para se destacar em meio a tantas pessoas que possuem atributos parecidos com os seus, seja para promoção na empresa ou conseguir um emprego ,fica complicado. Por isso, utilize esse diferencial, o marketing pessoal, utilizando suas qualificações em benefício próprio e se promova de forma correta e sadia.

Andreza


Confira aqui algumas dicas importantes para quem quer mudar de carreira profissional.

Está pensando em mudar a sua carreira no próximo ano? Então é preciso começar a se mexer e encarar as mudanças que devem ser feitas. Proatividade é fundamental para o sucesso, entre outros elementos como planejamento e organização. Desta forma, o profissional que deseja estar em outro nível precisa começar a fazer uma auto-avaliação para conhecer as suas habilidades, além de seus pontos fortes e fracos, que devem ser melhorados.

Além de definir metas a curto prazo, também é essencial estabelecer a longo prazo, visando uma margem de 05 anos, que pode ser considerada uma boa janela de tempo. Separe um tempo e com muita paciência elabore uma planilha do que você quer conquistar em 05 anos. Escreva os seus sonhos, marcos que devem ser superados, conquistas, entre outros. Mas as metas devem ser realistas e compatíveis com a sua realidade. Neste sentido, procure desenvolver as suas intenções de forma prática.

Você tem disciplina? Ela é fundamental para a carreira e para o seu sucesso. Ela é o ingrediente que vai fazer com que você cumpra a sua meta independente dos obstáculos que surgirem. Desta forma, procure dar o seu melhor e o foco é considerado um dos maiores segredos do sucesso. Assim, tudo o que você se propor a fazer, faça. Alcançar os seus objetivos pode dar trabalho e exigir muito esforço, mas pense no quanto vai valer a pena no futuro.

Não perca tempo com atividades que não tem utilidade para o seu futuro. Use o tempo a seu favor e no tempo livre busque fazer leitura para descansar a sua mente. Para alcançar outros resultados, é fundamental mudar os seus hábitos. Que tal começar a pensar no assunto e iniciar 2016 de uma maneira diferente? A mudança na sua carreira só depende do seu esforço, objetivo e vontade de vencer.

Que tal começar a fazer uma lista dos seus hábitos que devem ser mudados? Boa sorte e sucesso!

Por Babi


Confira aqui algumas dicas para aumentar a sua rede de networking.

Como é o seu networking? Com a competividade no mercado, é fundamental saber estabelecer boas relações no mundo corporativo. Os profissionais que desejam crescem precisam manter uma rede ativa de contatos. Que tal conferir algumas dicas para aumentar o seu networking?

Como está a sua rede de relações? Existem contatos no mundo profissional que são de ouro, mas podem ter ficado perdidos no meio do caminho da sua trajetória profissional. Por exemplo, àquele colega de faculdade que ocupa uma posição de destaque na empresa. Que tal tentar reestabelecer o contato? Ele pode ser útil, sobretudo se você estiver pensando em sair do seu trabalho.

Atualmente é muito fácil encontrar pessoas. Que tal usar a internet a seu favor? Você pode formar ou aumentar o seu networking por meio das redes sociais. Depois, pode formar um grupo de contatos e tentar estabelecer amizade.

Além das redes sociais, você pode encontrar uma velha amiga de infância no shopping ou no supermercado próximo a sua casa. Ou seja, esteja sempre atento com as coisas que acontecem ao seu redor. Se encontrar alguém, por exemplo, aproveite para ser gentil e reestabelecer o contato.

A relação profissional só evolui se ambos estiverem interessados. Por isso, se perceber que a outra parte está forçando um contato ou não está demonstrando interesse, é melhor não insistir e respeitar a posição alheia. Lembre-se de que os relacionamentos devem ser bons, saudáveis e precisam somar.

Você tem o hábito de fazer cursos ou visitar congressos? Estar atualizado é fundamental e aproveite estes eventos para ampliar a sua rede de contatos. Além disso, busque compartilhar experiências, aumentar o conhecimento e investir na sua trajetória profissional. Cuidado para não ficar parado no tempo. Esteja por dentro de tudo o que acontece na sua área profissional.

O networking deve ser alimentado sempre e não apenas quando você tiver interesse. Lembre-se de que assim a sua rede de contatos vai ampliar e muitas oportunidades podem surgir. 

Por Babi


Incentivo a autonomia na infância pode ajudar a criança a se tornar um bom profissional no futuro.

Em tempos de imediatismo e consumismo, é cada vez maior a preocupação do resgate de valores e vínculos familiares, que atualmente sofrem um processo de subversão. As referências ideais para o desenvolvimento da personalidade da criança, muitas vezes, são direcionadas para outras referências que prejudicam o estabelecimento de valores e características fundamentais para a criança como o senso moral, autocontrole, senso crítico, autonomia, dentre outros.

Esta última característica tem fundamental importância para a independência da criança (quando adulta) e pode ser decisiva para o sucesso profissional e pessoal no indivíduo no futuro. Então, como desenvolver essa característica tão cara para a consolidação da personalidade humana?

O primeiro aspecto a ser considerado é que a criança não nasce com autonomia, ela precisa de referências, de pessoas que ensinem e mostrem o que se deve ou não fazer, além de tutelar a criança até que ela não precise mais de acompanhamento.

O maior erro cometido pelos pais durante o desenvolvimento da criança é a retirada da tutela quando a criança apresenta sinais de autonomia, quando consegue executar certas tarefas sozinhas. Contudo, neste momento, a criança ainda não dispõe de todos os recursos físicos e psicológicos para desenvolver a autonomia de forma eficaz, ela ainda precisa de tutela e controle para que não se distraia com outras coisas e entenda quais são as prioridades.

Após uma série de repetições que se estendem ao longo do tempo sob a tutela e controle dos pais, entre tentativas, erros e acertos, os pais podem retirar paulatinamente a vigilância e o controle, pois a criança já internalizou os motivos pelos quais deve ou não fazer algo, não é só uma mera execução por obrigação. Esses conceitos são reforçados por teóricos da área da pedagogia, como Jean Piaget e Vygotsky, além da psicologia comportamental.

Aconselha-se, portanto, a busca contínua de conhecimento por parte dos pais sobre como educar e criar seus filhos, até que desenvolvam de forma holística as características fundamentais da personalidade e a autonomia, entendida de forma ampla: autonomia moral, intelectual e social, pois só assim os seus filhos poderão alcançar êxito na vida profissional e pessoal, sem depender de auxílio em tempo integral e sem apresentar insegurança em demasia.

Por André César


O funcionário que sabe se adequar às mudanças que a empresa passa com a atual crise que o País vem enfrentando, tem mais chances de permanecer no emprego e garantir seu futuro na organização.

A crise que afeta o Brasil não dá sinal de que vai melhorar tão cedo e, com isso, o desemprego continua assombrando o trabalhador brasileiro que teme perder sua fonte de renda e, nesta hora, conseguir uma nova recolocação no mercado de trabalho não é nada fácil. Mas uma certeza todos podemos ter: em tempo de crise, o funcionário com maior facilidade de se adequar à nova realidade vai sobreviver.

As empresas estão passando por uma série de dificuldades e elas sabem que, se não se adaptarem à nova realidade do país, vão acabar tendo que fechar as portas. Com isso, as empresas vão "enxugando" ao máximo, cortando despesas e buscando aumentar a produtividade. Nesta hora, vai sobreviver o funcionário que souber aceitar as mudanças e não só acompanhar as mudanças da empresa, mas abraçar esta causa.

E o funcionário "esperto", que tem maior facilidade de ir se adequando às novas realidades, pode até mesmo anteceder o movimento de cortes dentro da empresa. Talvez aconteça que a empresa onde você trabalha ainda não esteja passando dificuldades, mas é só olhar à sua volta para ver que a situação está difícil para todo mundo e a tendência é piorar até o final do ano. Toda empresa corre o risco de ser atingida pela crise, isso se tem alguma que ainda não foi.

O funcionário não precisa esperar a empresa começar com os cortes para ter uma postura diferente, aliás, se ele for o primeiro a dar sinais de que está empenhado em ter uma atitude diferente, por causa da crise, será visto com bons olhos dentro da empresa e passará a ser não apenas um funcionário, mas uma pessoa que poderá ajudar a empresa a superar este momento de maior dificuldade.

E hoje em dia as empresas estão valorizando muito os profissionais com este perfil, que sabem se adequar aos momentos da empresa, pois há épocas que tudo funciona bem e a empresa sabe recompensar o bom funcionário, mas no momento de crise, se o funcionário quiser manter seu emprego, vai precisar se adequar à nova realidade.

Querer ver a empresa bem é querer continuar empregado, então não pense que você é insubstituível e que sem você a empresa não sobrevive.

Procure olhar o mundo à sua volta com outros olhos e esteja pronto para abraçar as mudanças da empresa ou até mesmo promovê-las, pois assim você estará cuidando da saúde da empresa e do seu futuro como funcionário dela.

Por Russel


A crise econômica está afetando diversos setores e algumas profissões estão sentindo drasticamente esta influência. Algumas áreas não são boas opções para investir.

Com a crise econômica no Brasil, a decisão dos mais jovens, de qual carreira seguir está cada vez mais complicada e é necessário analisar todo um cenário antes de optar por uma carreira, para não ficar para trás.

Confira os cargos que estão em baixa e são desaconselháveis no atual cenário econômico, segundo cinco empresas de gestão de carreira e seleção.  

  • Gi Group:

– Auxiliar e Agente de Atendimento, Caixa e Operador de Caixa, Vendedor, Gerente de Loja.

Essas profissões sofrem muito com as quedas na economia, pois o setor de vendas acaba desacelerando com o consumo baixo. Este ano, pela primeira vez a agência não recebeu pedidos de novas vagas em datas especiais, como o dia das mães ou dos namorados.  

  • Gouvêa de Souza:

– Desenvolvedor de Páginas Web – Os smartphones e tablets andam ocupando mais espaço do que os computadores, e esse profissional tem perdido espaço no mercado.

– Analista de Mídia Social – Como houve um crescimento da oferta desses profissionais, o mercado não conseguiu absorvê-los.

– Agente de Turismo: Perde vez para os sites especializados em viagens.

– Corretor de Imóveis – Além da baixa procura para compra de imóveis, o mercado anda saturado desse perfil profissional.

– Analista de Investimentos: Perde espaço com a desaceleração da economia, onde há poucos investimentos.  

  • Grupo Hays:

– Gerente de Engenharia para novos projetos – Os novos projetos acabam não saindo do papel na maioria das empresas, devido ao cenário financeiro do país, fazendo com que esse profissional perca campo de trabalho.

– Comerciante Exterior – O câmbio tem variado muito devido à inconstância do mercado financeiro, fazendo com que algumas empresas evitem esse tipo de comércio.  

– RED P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) –  Já que o cenário é de recessão, o desenvolvimento de novos produtos não é a prioridade nas empresas.

– Engenharia Civil – Com a economia em crise, as novas construções, projetos e gerenciamento de obras tendem a estar também em queda.  

– Secretária Executiva – Com a crise, as funções da secretária estão sendo distribuídas dentre os colaboradores da empresa.

– Arquiteto e Decorador – Além da diminuição do lançamento de novos imóveis, esses projetos também são encarados como algo não essencial.            

Por Patrícia Generoso 


Confira aqui algumas dicas de aplicativos de celular para procurar emprego.

O celular faz parte do dia a dia de milhões de brasileiros e hoje temos aplicativos para praticamente tudo, inclusive para quem está em busca de um emprego.

Para encontrar um emprego já não é mais preciso entregar currículo de empresa em empresa, nem ficar procurando nos classificados dos jornais, se você tem um smartphone, tem a melhor ferramenta para lhe ajudar a conseguir uma oportunidade no mercado de trabalho. Confira abaixo uma lista com os principais aplicativos de celular para quem procura emprego.

LinkedIn:

O LinkedIn é hoje um dos sites mais utilizados por profissionais de todas as áreas e o aplicativo Linkedin Job Search não pode faltar no smartphone de quem procura um emprego e até mesmo de quem já está trabalhando, mas continua buscando novas e melhores oportunidades.

O aplicativo é totalmente gratuito e o usuário pode conferir várias ofertas de emprego, podendo filtrar os resultados de acordo com sua preferência.

  • Versão para iOS: http://migre.me/qFN4x.
  • Versão para Android: http://migre.me/qFN5e.

Indeed:

O Indeed, um dos sites de emprego mais utilizado no Brasil e em vários outros países, também conta com seu próprio aplicativo, que é gratuito e oferece uma série de possibilidades para ajudar você a conseguir um emprego, além de poder cadastrar seu currículo para ser consultado pelas empresas nos servidores do Indeed.

Um importante diferencial do aplicativo de empregos do Indeed está na possibilidade de buscar empregos utilizando o GPS do seu smartphone, assim você encontrará mais facilmente um emprego mais próximo.

  • Versão para iOS: http://migre.me/qFLXm.
  • Versão para Android: http://migre.me/qFLXZ.

Trovit Emprego:

Outro aplicativo excelente para quem está em busca de um emprego é o do Trovit Emprego, que oferece uma busca mais completa, podendo realizar sua procura por uma vaga no mercado de trabalho filtrando o resultado por região, palavra-chave ou ainda por faixa salarial.

Este app também é indicado para quem está procurando emprego em outro país, pois o Trovit Empregos já está presente em 39 países!

  • Versão para iOS: http://migre.me/qFLYD.
  • Versão para Android: http://migre.me/qFLZc.

InfoJobs:

E você conta também com o aplicativo do InfoJobs, disponível também para Windows Phone e oferece vagas de emprego para a grande maioria das cidades brasileiras. Você pode efetuar o seu cadastro no banco de dados da InfoJobs e mantendo seu perfil completo pode até enviar suas informações para a empresa que está contratando, facilitando a sua candidatura à vaga de emprego de seu interesse.

  • Versão para Windows Phone: http://migre.me/qFLZA.
  • Versão para Android: http://migre.me/qFM1o.

Por Russel


Retornar ao mercado de trabalho depois de um tempo parado é bastante complicado. Por isso, confira aqui algumas dicas que podem ajuda-lo neste retorno.

Voltar ao mercado de trabalho nunca é fácil e o que pode facilitar ou dificultar esta volta não é o tempo que a pessoa ficou ausente, mas sim o fato de que ela tenha se mantida atualizada durante esta ausência ou não, pois o grande problema para os profissionais voltarem ao mercado de trabalho é que quando eles se ausentam, seja por qual for o motivo, deixam de lado completamente os assuntos referentes ao trabalho, não acompanham as novidades e quando querem voltar encontram um mercado bem diferente do que quando saíram.

Então, a primeira dica para quem quer voltar ao mercado de trabalho é que quando sair, encontre uma forma de se manter atualizado. Isso pode ser feito de várias formas, principalmente através da internet, onde a pessoa pode acompanhar as notícias a respeito de sua área de atuação e até mesmo realizar cursos online, que vão lhe manter sempre muito bem informado sobre as últimas novidades.

Outra dica é que mesmo afastando-se do mercado de trabalho, mantenha contato com os colegas profissionais, de forma que possam se encontrar com certa frequência, seja pessoalmente ou pelas redes sociais, pois isso manterá você a par de tudo que vai acontecendo no mercado, facilitando um pouco mais a sua volta.

E tem a vantagem de que quando você for voltar ao mercado de trabalho, estará mais próximo destes colegas, facilitando sua indicação. O problema é  quando a pessoa sai do emprego, se afasta de tudo e de todos, procurando depois de certo tempo os colegas para pedir que eles lhe indiquem um emprego na empresa. Dificilmente você conseguirá uma indicação desta forma, então mantenha-se sempre "presente", mesmo estando ausente.

Como vemos, não há uma "fórmula mágica" que lhe ajude a voltar ao mercado de trabalho, tudo vai depender do seu esforço em continuar mantendo-se atualizado e dos contatos que manteve "vivo" durante sua ausência.

E já que o esforço vai lhe ajudar no mercado de trabalho, esforce-se ao máximo para garantir novas habilidades. Por exemplo, se você não sabe dirigir ainda, entre para um Centro de Formação de Condutores, se não domina um segundo idioma, aproveite para fazer um curso de inglês ou espanhol, procure na internet por cursos gratuitos online e busque investir em trabalhos voluntários, pois tudo isso vai enriquecer bastante o seu currículo e certamente facilitará seu retorno ao mercado de trabalho.

Por Russel


Confira aqui algumas dicas do que é necessário para se destacar no trabalho e ser um bom profissional.

A crise econômica do país já tirou o emprego de muitas pessoas e aquelas que procuram um trabalho devem estar cientes de que o mercado está mais exigente com tudo isso. Os candidatos a uma vaga de emprego precisam ter noção das qualidades necessárias que devem ter para impressionar os empregadores. Além de tudo isso, muita dedicação e esforço também devem ser expostos. Confira abaixo algumas características primordiais para ser um bom profissional:

Esteja capacitado para a vaga que almeja:

Uma capacitação técnica em uma vaga específica ainda é um dos pontos primordiais que são exigidos nas empresas. Caso o trabalhador não se mostre pronto para exercer o seu posto, as chances são praticamente nulas de entrar na vaga. Apresentar uma formação boa, experiência e cursos que possam adicionar bons pontos no currículo, serão fatores diferenciais na competição por uma vaga.

Informação é tudo:

Hoje estamos em uma sociedade que a informação corre por diversos cantos e meios de comunicação. Se você sabe o que acontece ao seu redor, provavelmente vai estar na frente de outras pessoas. Em termos da sua função pleiteada, o empregador vai gostar de conversar com uma pessoa que saiba tudo o que está ocorrendo dentro do nicho de trabalho.

Se informe também sobre a economia do país, questões atuais, esportes, artes, negócios, entre outros assuntos que podem mostrar que você é uma pessoa que procura à informação. Você poderá interagir com seus chefes e também com outras pessoas na companhia. Obviamente, é bom que você tenha noção, primeiramente, daquilo que está relacionado com a sua área de trabalho.

A tecnologia deve estar perto de você:

Hoje praticamente ninguém vai trabalhar sem a internet ou um computador ao lado. O trabalho e a comunicação sempre vão andar lado a lado com a tecnologia. Sempre interaja bem com esses meios e novas tecnologias e terá uma boa vantagem em termos de competição.

As redes sociais e o trabalho:

Em termos de redes sociais, elas não são utilizadas somente para o entretenimento. Esses sites hoje são utilizados em larga escala para resolução de problemas, encontrar respostas e informar o público-alvo de sua empresa ou produto. Você sabendo utilizar as redes sociais de maneira correta, estará muito à frente dos concorrentes.

Os idiomas devem estar na ponta da língua:

Um segundo ou terceiro idioma é essencial em um mundo globalizado. Cada vez mais, é menor o número de pessoas que possuem um amplo domínio em línguas estrangeiras. Porém, usar de modo correto o português também é necessário. Pode ser até óbvio falar, mas quem domina a nossa língua portuguesa é um forte candidato a várias vagas.

Nunca pare de estudar:

Faça mais cursos além da sua graduação, participe de workshops, palestras, faça uma pós-graduação, entre outros tipos de estudo que só podem agregar ao seu currículo e aumentar as chances de entrar em uma vaga. Todo conhecimento que é agregado é valioso para a sua vida profissional. Você crescerá também como pessoa.

Saiba como ser cordial:

Ser elegante e ter uma cordialidade são boas qualidades também. Tanto no modo com que você se veste, como você fala com colegas e chefes e também em suas atitudes no dia a dia. Você demonstrará uma maturidade e também simpatia para com os outros.

Faça trabalhos de voluntariado:

A pessoa que conta em seu currículo com trabalho voluntário demonstra que, além de tudo em termos profissionais, se preocupa também com outros valores em sua rotina. Tanto em termos profissionais como pessoais, a pessoa demonstra qualidade e caráter. Os bons valores mostrados são sempre um ponto a mais para empresas que se preocupam com caráter, além das qualidades profissionais, que obviamente são importantes.


Confira aqui a Lista com as Melhores Empresas para se Trabalhar no Brasil. Exame e Época elegem Elektro como a melhor.

Não há dúvida de que todo mundo quer trabalhar e uma boa empresa, que ofereça boa qualidade de vida, bons salários e ótimas oportunidades de crescimento. Sabendo disso, a cada ano que passa diversas revistas e empresas de consultoria divulgam uma Lista com as Melhores Empresas para se Trabalhar.

No Brasil, as principais listas divulgadas são as das revistas Exame e Época (que é feita pela Great Place to Work). Estas listas, apesar de tratarem do mesmo tema, possuem diferenças em seus resultados, principalmente por terem metodologias diferentes de avaliação. Apesar disso, no último ano (2014) a empresa campeã nas duas listas foi a Elektro.

Para aqueles que não sabem, a Elektro é uma das maiores distribuidoras de energia elétrica do país, sendo a oitava maior do Brasil e a terceira maior do estado de São Paulo. A empresa atende cerca de 228 cidades nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, o que totaliza mais de 2,4 milhões de clientes. Com relação ao seu número de funcionários, ele chega a 3.695, sendo que deste total 131 são executivos. Estes trabalhadores, segundo dados levantados na pesquisa da Revista Exame, possuem um tempo médio de casa de 8 anos.

Já com relação às outras empresas listadas pelas revistas, há bastante diferença tanto nas posições como nas empresas citadas. Para se ter uma ideia, do 2º ao 5º colocado todas as empresas listadas nas listas são diferentes e não estão em ambas. Além disso, a Volvo, que na lista da Exame aparece na 7ª posição, figura apenas no 16º lugar da lista da revista Época.

Dito isso, confira abaixo como ficaram a lista das 10 melhores empresas para se trabalhar tanto na Revista Exame como na Revista Época:

Revista Exame (a pesquisa leva em conta o Índice de Qualidade na Gestão de Pessoas e o Índice de Qualidade no Ambiente de Trabalho):

  1. Elektro: Empresa que atua no ramo de energia e possui 3.695 funcionários. A idade média dos funcionários é de 34 anos e o tempo médio de casa é de 8 anos.
  2. Cervantes: Empresa que atua no ramo de atacado e possui apenas 212 funcionários. Os trabalhadores da empresa possuem uma idade média de 32 anos e o tempo médio de casa é de 7 anos.
  3. Cielo: Empresa que atua no ramo de Serviços Financeiros e que possui 1.518 funcionários. A idade média dos contratados é de 35 anos e o tempo médio de casa é de 5 anos.
  4. Grupo Boticário: Empresa que atua no ramo de bens de consumo e que possui 6.367 funcionários. Os trabalhadores possuem em média 31 anos de idade e o tempo médio de casa é de 5 anos.
  5. Weber Saint-Gobain: Empresa que atua no ramo de construção e que possui 1.436 funcionários. Os contratados tem uma média de idade de 35 anos e o tempo médio de casa é de 7 anos.
  6. Hospital Unimed Sul Capixaba: Empresa atua no ramo médico e conta com 432 funcionários. A idade média de seus profissionais é de 33 anos e a maioria está a mais de 6 anos na empresa.
  7. MSD Saúde Animal: Empresa do ramo farmacêutico e que possui cerca de 298 funcionários. Os profissionais possuem uma idade média de 38 anos e a permanência destes profissionais chega a 9 anos.
  8. Volvo do Brasil: Empresa que atua no ramo automotivo e que conta com mais de 4.100 funcionários. A idade média de seus trabalhadores é de 36 anos e o tempo médio de casa chega a 9 anos.
  9. Sama: Indústria que possui cerca de 702 funcionários. Os trabalhadores possuem uma idade média de 37 anos e costumam permanecer na empresa por cerca de 11 anos.
  10. Tribunal de Contas da União: Instituição Pública com 2.552 funcionários. Os profissionais tem uma idade média de 44 anos e permanecem no emprego por cerca de 16 anos.

Revista Época (a pesquisa leva em consideração o chamado Trust Index e o Culture Audit):

  1. Elektro: Empresa com 3.695 funcionários.
  2. Caterpillar: Companhia com 4.521 empregados.
  3. Kimberly-Clark Brasil: Empresa com 3.556 trabalhadores.
  4. Gazin: Companhia com 7.075 empregados.
  5. Magazine Luiza: Empresa com 23.670 trabalhadores.
  6. Alcoa Alumínio: Companhia com 5.834 funcionários.
  7. Embraer: Empresa com 17.783 empregados.
  8. Accor: Companhia com 9.119 trabalhadores.
  9. Monsanto do Brasil: Empresa com 2.913 funcionários.
  10. Laboratório Sabin de Análises Clínicas: Companhia com 1.386 empregados.


Confira aqui algumas dicas do que colocar em seu currículo para o primeiro emprego.

Uma das principais dúvidas de quem nunca exerceu alguma atividade remunerada fica por conta do que colocar no currículo para que este cause uma boa impressão nos recrutadores. Os jovens que nunca tiveram uma experiência nesse campo, ficam pensando nas várias possibilidades de inclusão no resumo profissional, ficando passíveis de cometer gafes na hora de montar um documento atraente.

Mesmo que o indivíduo não tenha tido contato com um trabalho formal anteriormente, ele precisa saber que deverá buscar uma forma de se destacar em meio aos muitos candidatos que estarão disputando por uma primeira chance no mercado laboral.

Quando as pessoas responsáveis por recrutar novos trabalhadores para uma empresa verificam a idade do candidato no currículo, eles já entendem que por se tratar de um jovem, não há como solicitar experiência de trabalho, muitas organizações acreditam que esta falta de vivência no que se refere ao trabalho pode ser um diferencial, já que o jovem chega sem "vícios".

Já que a experiência no cargo não existe, você terá de dar ênfase a algum trabalho voluntário realizado, cursos interessantes que tenha finalizado ou que estejam em andamento, idioma estrangeiro e em que nível consegue entendê-lo, além de sua experiência profissional informal (ainda que estas sejam bicos).

Na hora de desenvolver o seu currículo, lembre-se que todos os cursos que tiver feito dentro da área que pertence ao cargo são muito bem-vindos, contudo, não coloque as notas, elas não são necessárias para os recrutadores.

Outro diferencial é indicar se você possui um curso específico na área pretendida. Será considerado um diferencial se o candidato colocar no seu resumo a sua participação numa empresa júnior da Universidade, tenha participado de um projeto de iniciação científica ou trabalho de conclusão de curso.

No que se refere as gafes cometidas por muitos, é normal que as pessoas coloquem que tem aptidões ou experiências que realmente não possuem. Caso o candidato coloque alguma característica ou qualquer outra informação de forma errônea, é considerada que a pessoa não está sendo honesta.

Quando for optar por um modelo de currículo, opte pelo modelo tradicional, não tente inovar colocando desenhos, gravuras ou usando papeis com cores diferentes.

Por de Melina Menezes.


Confira aqui algumas dicas e cuidados na hora de fazer o seu Currículo Profissional.

Ter um bom currículo é importante para toda pessoa em busca de um emprego, independente dela ter muita ou pouca experiência. Quando você se candidata a uma vaga de emprego e deixa o seu currículo na empresa, além do seu, vários outros currículos serão analisados e você terá muito pouco tempo para convencer o recrutador através do seu currículo que você é a melhor escolha.

Por isso um currículo precisa ser, acima de tudo, objetivo! Ter um bom currículo não significa de forma alguma ter um currículo de várias páginas contando todos os detalhes de seus trabalhos anteriores, pelo contrário, você precisa resumir de forma que consiga passar tudo que precisa em poucas linhas.

E eis aqui uma dica importantíssima: não tenha um só currículo, mas vários.

E a justificativa para isso é simples, pois você precisa mostrar seus conhecimentos relacionados a vaga desejada. Por exemplo, você não pode citar que possui experiência como açougueiro para se candidatar a uma vaga de manobrista, foque seu currículo em mostrar sua experiência como manobrista, pois é isso que interessa à empresa. Quando for se candidatar a uma vaga de açougueiro, aí sim, tenha um outro currículo com o foco para esta oportunidade.

A não ser que você sempre trabalhou na mesma área, então vale fazer um resumo de tudo.

Coloque no currículo também, tudo que você tem de melhor, seja sua formação escolar, outros idiomas que saiba falar, experiência profissional, habilitação, cursos já realizados, estágio, voluntariado, habilidade na área de informática, etc.

Os cursos extracurriculares são muito importantes e não podem faltar em um bom currículo, mas você também deve dar destaque a alguma habilidade que possua e que poderá ajudar a conquistar a vaga de emprego oferecida, principalmente se já tiver experiência nesta área.

Mesmo quem está em busca do primeiro emprego, deve caprichar no currículo. Você está entrando no mercado de trabalho agora, mas já vem se preparando para isso a mais tempo, por isso valorize sua formação profissional.

Trabalho voluntário também é muito importante e ajuda a valorizar o currículo, principalmente de quem não tem experiência, então, se você ainda não tinha pensado nisto, seja voluntário de alguma associação ou veja no seu bairro ou em sua cidade onde estão precisando de ajuda, isso vai ajudar seu currículo e vai lhe fazer muito bem.

E jamais coloque foto em seu currículo. Isso só deverá ser feito se no anúncio da vaga a empresa solicitar que junto com o currículo o candidato envie também uma foto.

Se você quer mais dicas de como montar o seu currículo, confira no vídeo abaixo mais algumas dicas dadas por Max Gehringer:

Por Russel


Hoje em dia, com a mão de obra aumentando no mercado de trabalho, a maioria dos empregos está mudando suas características de buscas em processos de recrutamento e seleção. Em algumas áreas é possível constatar a substituição da mão de obra humana pela criatividade da tecnologia e por máquinas e acessórios programados por ela.

Na expectativa humana, o medo deu lugar à superação e o trabalho em equipe ao individualismo.
De acordo com estudos recentes, no futuro mais de 80% dos empregos formais desaparecerão completamente, ou no mínimo, terão características diferentes e tomadas pela expansão da tecnologia.
Em alguns casos, a tecnologia pode ser vista como uma inimiga da mão de obra, pois se não evoluirmos em grande escala, logo ficaremos para trás e seremos ultrapassados pelos próprios computadores que nos servem de auxílio.

Mas mesmo assim, não devemos ir contra a expansão da tecnologia. Há muito o que se pescar no mercado de trabalho, basta estar sempre atento à demanda dele em suas respectivas áreas. Cada vez mais ocorrem evoluções, e por mais simples e imperceptíveis que elas sejam, trazem grandes mudanças, e assim, empregos velhos são descartados e cargos novos vão se construindo à medida que novas áreas vão surgindo, principalmente em empresas novas.

Mais interessante do que se acomodar e se preocupar, é fazer perguntas da seguinte forma para si mesmo: “Qual o meu tipo de emprego?” e "O quê eu preciso fazer para me adequar às exigências dele?".
Talvez você só precise evoluir para conseguir resultados novos e cada vez melhores. Ou seja, superar-se.
Tente ressignificar o que já está feito e  realizado, e gaste parte do seu tempo para buscar novos métodos de executar sua rotina e assim aumentar sua produtividade.

Enfim, mesmo assim, observe bem as suas expectativas, jamais force a barra se nada estiver bom. Tenha a consciência de que você tem capacidade para ir à luta e encontrar novas oportunidades no mercado.

Por Daniela Almeida da Silva


Em tempos de crise na sua área de atuação, o que você faz? Há varias opções de resposta, no entanto, espera-se que a maior parte dos profissionais respondam que estão preparados para qualquer terremoto no seu campo de trabalho e que são flexíveis podendo buscar novos caminhos em áreas que estejam em evidência. Essa resposta é o que se espera de pessoas antenadas e que sabem que atualmente o mercado de trabalho é eclético e demanda das pessoas uma especial capacidade por adaptar-se a realidade do momento.

Ser profissional em um ambiente amplamente mutável é um desafio que as pessoas enfrentam diariamente, o mercado de trabalho sempre está remanejando suas necessidades e as pessoas tem que seguir o curso que o mercado determina senão correm o risco de ficar sem emprego. Isso é assustador principalmente se pensamos que a umas décadas atrás o que se esperava mesmo de um profissional era a persistência e a vontade de permanecer eternamente na sua área de conhecimento. Agora, com crises aparecendo, fica difícil manter essa postura quase que rígida e não pensar em migrar para outras áreas que sejam efetivamente mais rentáveis.

Lamentavelmente, a crise se reflete na carreira, obviamente um setor que não esteja aquecido não vai proporcional boas oportunidades de emprego, muito menos, boas remunerações.  É aí que o profissional deverá se impor e decidir o que quer fazer, manter-se numa empresa em crise exige das pessoas muito mais dedicação daquela que poderia ser vista em épocas da maré tranquila. Neste momento de incerteza a pessoa pode escolher se retrair e buscar novos rumos na carreira ou pode optar por mostrar que veste realmente a camisa da empresa. Seja da forma que for, crises exigem dos profissionais uma atitude proativa, o que não se pode fazer é ficar parado.

Analisando a primeira opção, ela é boa desde que você esteja preparado para alçar novos voos, isso implica que deverá investir em cursos de aperfeiçoamento e buscar informações sobre a nova área que deseja abraçar. Não é necessário dizer que você precisa ter cautela e pensar muito a respeito dessa mudança, ou seja, precisará de tempo para mudar completamente de caminho. Já se escolher a segunda opção, ficar na empresa e dar o melhor de si, poderá colher bons frutos posteriormente, quando a crise passar os executivos poderão considerar a sua dedicação e bons projetos poderão aparecer.

De todas as formas, crises nem sempre são sinônimos de desastre total, está em você decidir se aceitará o aprendizado que ela quer lhe proporcionar.

Por Melina Menezes


Retornar ao mercado de trabalho não é algo tão fácil assim, pois a competitividade cresce a cada dia e as empresas passam a ficar mais exigentes e seletivas. 

Existem pessoas que se afastam do mercado de trabalho por diversos motivos, entre eles a maternidade, doença, abertura de negócio próprio, entre outros. Quando chega em uma fase da vida que a situação começa a apertar, as pessoas retornam ao mercado de trabalho como um meio de segurança, só que muitas vezes, pelo tempo que elas ficaram afastadas, as empresas já não valorizam mais, pois de alguma forma elas se desatualizaram, ou mesmo perderam a experiência.

Quando uma pessoa nessa situação vai procurar emprego de novo, a melhor coisa a fazer é não escolher a vaga e nem a pretensão salarial. Mesmo assim, procure negociar aquilo que está dentro de suas habilidades e condições nesse momento. Por exemplo, se você trabalhava como gerente antes, e ficou uns cinco anos sem trabalhar, você deverá aceitar a condição de um cargo abaixo do seu, já que você ficou muito tempo sem trabalhar. Depois, conforme for passando o tempo, você poderá ter seu esforço reconhecido, e quando houver uma promoção, com certeza ela será sua.

Normalmente, as empresas não estão preparadas para esse tipo de problema, pois do ponto de vida profissional, é mais fácil você lidar com uma profissão continuamente do que interruptamente.

Nesse caso, você pode explicar sua situação no dia da entrevista, por exemplo. Diga ao recrutador a verdadeira causa que levou você a se afastar do mercado de trabalho e interromper sua carreira temporariamente. Talvez isso se resolva sem muitos procedentes. É claro que as empresas darão preferências a quem tenha habilidades, independente da situação, mas para isso, é necessário ter uma boa conversa antes.

O que você não pode fazer é desistir da situação e achar que você não terá mais chance no mercado de trabalho. Acredite em você mesmo e na sua capacidade. Se você não tentar, jamais saberá.

Por Daniela Almeida da Silva


Quem está procurando a primeira oportunidade no Mercado de Trabalho certamente tem muitas dúvidas com relação ao “o que” colocar no Currículo. Isso porque sem ter experiência, o candidato muitas vezes não sabe o que colocar no documento. Se você é uma destas pessoas, atente-se, pois iremos colocar aqui as principais informações que o seu currículo deve ter caso você não tenha experiência.

A primeira coisa que os candidatos devem se atentar é com relação aos dados pessoais. Estas informações devem ser colocadas de forma clara já no início do currículo. Entre os detalhes que devem estar presentes no currículo estão: Nome Completo, Idade, Estado Civil, Telefone, Endereço, Cidade, Bairro, E-mail e Telefone.

A segunda coisa a se mencionar é o Objetivo. Nesta parte o profissional deverá citar qual é o cargo de interesse. Caso você não tenha nenhum cargo específico em mente, não se preocupe, pois é possível colocar também a área de atuação desejada.

A Formação Acadêmica deve ser o terceiro item a se colocar no currículo. Nesta área deverá ser colocado o o último grau de escolaridade. Sendo assim, quem tiver nível superior deve coloca-lo, senão se coloca o nível médio e assim sucessivamente. Na descrição da escolaridade é preciso informar o nome da instituição, o curso feito e também o ano de conclusão.

Idiomas, Informática e Experiências devem ser colocadas logo depois. Nesta hora os candidatos que não possuem experiência profissional devem informar todas as habilidades que possuem e que poderão ser utilizadas no emprego.

Quem realizou trabalhos de voluntariado ou trabalhou informalmente também pode citar estas experiências. Vale lembrar que o voluntariado é bastante valorizado pelas empresas.

Por fim, os profissionais devem ficar atento a algumas coisas que devem ficar de fora do currículo. Por exemplo: Foto (quando não solicitado), Número dos Documentos Pessoais (RG, CPF, entre outros), Nome dos Familiares (Pai, Mãe, Filho, Esposa, entre outros), Pretensão Salarial (quando não solicitado), Carta de Referência (quando não solicitada), Certificado de Cursos Realizados, Data e Assinatura.

Currículo


Um mercado de trabalho promissor é o de motorista de caminhão. Muitas empresas reclamam da falta de mão de obra para o setor. Os salários são promissores, já que na maioria das vezes é exigido apenas o nível fundamental do candidato ou candidata.

Muitas mulheres já estão desbravando esse mercado antigamente ocupado apenas pelos homens. Sem esquecer o batom e a feminilidade, as mulheres começam, às vezes, acompanhando seus companheiros carreteiros e, após, alçam seus próprios voos.

Apenas no Rio Grande do Sul existem 43 vagas abertas para a função de motorista de caminhão.  A exigência é possuir a carteira de motorista nas categorias “D” ou ”E”. Experiência anterior como motorista é um diferencial que algumas empresas exigem.   

Para obter a carteira de habilitação na categoria “E” é necessário possuir 21 anos, ter habilitação nas categorias “C” ou “D” há um ano e não possuir infração de trânsito grave ou gravíssima. O candidato também não pode ser reincidente em infrações médias nos últimos 12 meses.

Muitos motoristas reclamam da falta de segurança nas estradas brasileiras. As empresas, entretanto, já utilizam sistemas modernos de rastreamento que asseguram ao motorista uma viagem tranquila. É importante saber operar o rastreador.

Os salários também são atraentes. Partem de R$ 1.000,00 e podem atingir 3.000,00 ou mais dependendo da extensão da viagem e do tipo de veículo.

Motoristas experientes ensinam que para ser bom na profissão é preciso manter-se atualizado, manter o nome limpo no mercado, cuidar para que o caminhão esteja com a manutenção em dia e manter uma boa apresentação, com roupas limpas, cabelo arrumado e barba feita. Essas exigências quanto aos cuidados com o visual podem parecer frescura para quem está na estrada dirigindo várias horas por dia, mas são exigências compatíveis com o novo perfil do motorista.

Em muitos casos, é o motorista que vai transmitir a imagem da empresa contratante. Por isso, cuidar dos detalhes é fundamental.

Bom relacionamento com os vários tipos de pessoas que o motorista encontra pela estrada também ajudam a qualificar o profissional, já que ajuda a construir a reputação pessoal, que é algo que não tem preço.

Por Dayse Berenice Espinosa Griebeler


Todos nós estamos acostumados a lidar com a polêmica e o preconceito que gira em torno de pessoas com tatuagens. Algumas empresas ainda restringem a contratação de pessoas tatuadas por causa de sua política conservadora. Mas no quê alguns desenhos no corpo de uma pessoa pode influenciar? A resposta pode ser tão negativa quanto arrogante: o funcionário tatuado pode passar uma impressão desleixada, agressiva, rebelde, delinquente, entre tantos outros adjetivos usados para justificar uma desculpa sem causa.

Por outro lado, há também algumas empresas que não se importam em contratar pessoas tatuadas. Na verdade elas não se importam com o que as pessoas fazem com o corpo, desde que elas mostrem seu potencial e trabalhem corretamente. E com isso mostram que aparência não tem nada a ver com incompetência. Muito pelo contrário. Não é porque uma pessoa gosta de tatuagens que ela não possa ser um excelente profissional. Assim como também existem pessoas "certinhas" do posto de vista alheio, mas sem nenhum caráter e competência.

Infelizmente a discriminação existe e muitas pessoas já passaram por ela. Já chegaram até serem desclassificadas em um processo seletivo por serem tatuadas. Mas também existem pessoas assim que não tiveram nenhum problema com isso.

De qualquer forma o assunto ainda é delicado e muito polêmico. Talvez ainda demore para a sociedade aceitar e respeitar os valores das outras pessoas. O que se pode fazer hoje em dia é evitar constrangimentos. E para isso, os candidatos precisam estar atentos aos seguintes fatores antes de participarem de um processo seletivo:

– Faça uma pesquisa no perfil da empresa para qual você foi convocado. Se ela for daquelas que tem uma política conservadora, tente cobrir a tatuagem se ela estiver em um lugar visível do seu corpo, e tenha consciência de que isso infelizmente pode te trazer algum feedback negativo na seleção;

– Não se sinta tão aliviado caso a empresa não for tão conservadora, pois mesmo assim é melhor você não extravasar e ter bom senso.

Antes de mais nada, é sempre bom ter certeza do que se quer tatuar no corpo, pois ficará para sempre em você, e, dependendo do desenho poderá ficar chamativo.

Por Daniela Almeida da Silva


Algumas pessoas pensam que as empresas buscam apenas uma boa formação acadêmica, idiomas fluentes, entre outros requisitos que vão além disso, principalmente na hora de contratar um jovem. Mas a verdade, é que as empresas aproveitam da contratação desses jovens visando em investir em suas capacidades de criatividade e inovação para a empresa, pois um jovem profissional não tem limitações e possui mais flexibilidade para criar novas ideias.

Muitos programas de incentivos criados pelas empresas tem o intuito de desenvolver esse "empreendedorismo jovial" para os projetos da própria empresa. Vale lembrar que os jovens possuem uma capacidade de liderança extraordinária e por isso vem cada vez mais ganhando espaço no mercado de trabalho, pois essa capacidade se dá pela boa comunicação e pela forma de se interagir com as pessoas que os jovens têm para trabalhar em uma equipe. Por isso que os jovens devem investir na capacidade de trabalho em equipe, pois não adianta nada ter grandes ideias e não saber compartilhá-las com outras pessoas.

Se você é um jovem e está em busca não só de um simples emprego mas uma boa posição no mercado de trabalho, esse é um momento certo para pensar nisso.

Mantenha sempre o foco e corra atrás de seus objetivos. Adquira conhecimento sobre a área e estude muito, mas não fique parado, informe-se, procure referências, mas, acima de tudo, procure ser o profissional que as empresas querem e buscam.

Estimule sua criatividade e sua comunicação e vá em frente. Antes de mais nada, lembre-se que mesmo assim muitas pessoas podem não acreditar na sua capacidade por você ser um jovem, neste caso, demonstre que você tem ética e seriedade logo no início e imponha respeito para evitar divergências. Você não pode deixar escapar uma oportunidade de se tornar um grande profissional só porque algumas pessoas te acham jovem demais. Lembre-se que é aí que mora a vantagem.

Depois que você estiver nessa empreitada, seguirá seu caminho facilmente com segurança e confiança, você só precisa acreditar.

Por Daniela Almeida da Silva


A internet chegou e mudou muita coisa. Não somente a forma na qual as pessoas se comunicam nem o modo como passaram a ter mais acesso a informação. A internet mudou muito mais, mudou a vida das pessoas, trouxe mais possibilidades, inclusive no mercado de trabalho.

A chegada da internet criou um novo cenário corporativo, onde alguns cargos receberam novas nomenclaturas, outros se misturam com os já existentes dando espaço para surgimento muitas vezes de novos departamentos dentro das corporações. Por outro lado surgiram novas demandas e novas funções, o que paralelamente aumentou as oportunidades de emprego muitas vezes com salários atrativos.

Para a arquiteta da informação, Natália Franciele de Oliveira, para se encaixar bem no perfil que este novo mercado busca é preciso flexibilidade, curiosidade e disposição. “Tem que ser autoditada para aprender um pouco sobre as demandas diferenciadas de clientes em áreas variadas. Um dia a gente procura entender o funcionamento de um hospital e no outro precisa compreender a dinâmica de um banco”, declarou em entrevista para Revista Pensar Emprego. Para o presidente da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Robinson Klein, o mercado exige uma nova holística dos profissionais: “Quem atuava em uma determinada área, agora precisa mudar o seu jeito de pensar para atender a um público exigente. Além isso, a concorrência que antes se mapeava por um bairro ou uma cidade, passa a ter caráter mundial”.

Carreiras com nomes um pouco estranhos, como Webdevelopper, Trafficker, Gestor de Usabilidade são os registros que tangem este novo mercado cada vez com mais destaque global. As organizações passaram a ter a necessidade quase que impositiva de manter em seu quadro de colaboradores com capacidade acompanhar tudo o que acontece em “full time” e para colocar estes novos profissionais no mercado foram necessários também o surgimento de novos cursos preparatórios como desenvolvimento de aplicativos de web convergentes.

Bem se nota que muitas mudanças foram necessárias para que este novo mercado caminhasse, bem como a mudança de pensamento das pessoas se tornou fundamental em um meio onde nada se perde, mas tudo se transforma.

Por Igor Lima


O Farmacêutico identifica e manipula substâncias químicas para produzir medicamentos e cosméticos, colaborando também na produção e conservação de alimentos comuns ou dietéticos, campo este que vem sendo ocupado cada vez mais por Bioquímicos ou Farmacêuticos Bioquímicos.

Para se tornar um profissional Farmacêutico é necessário ter características próprias como atenção a detalhes, boa visão, bom olfato, capacidade de concentração alta, capacidade de observação, curiosidade, espírito de investigação, facilidades para as ciências exatas, gosto por pesquisas e estudos, habilidade e firmeza manual, método e senso de responsabilidade.

É importante ter o curso superior em Farmácia Bioquímica, sempre estar atualizado por meio da leitura de revistas especializadas, adquirir conhecimentos em inglês para se sobressair na carreira e no mercado de trabalho.

Nos cursos relacionados à Farmácia, os assuntos e matérias mais abordados são: Medicamentos (desenvolvimento, tecnologia e controle de fármacos), diagnóstico clínico e aspectos sociológicos. Uma outra linha existente é a área de medicamentos fitoterápicos e estudos químicos de ervas.

Para ser pós-graduado na área de Farmácia é necessário que o aluno seja graduado em cursos como Farmácia e Bioquímica, Ciências Biológicas ou Química. 

O profissional pode atuar na área de alimentos realizando exames químicos e microbiológicos para análises de aspectos nutricionais, área de análises clínicas realizando diversos testes em laboratórios para diagnósticos clínicos, área de farmácia preparando medicamentos de acordo com a prescrição de profissionais da saúde, área de farmácia industrial produzindo medicamentos e produtos de higiene pessoal para o ambiente, área de vigilância sanitária cuidando da análise e controle de produtos industrializados de acordo com as normas vigentes de comercialização.

O setor privado está com perspectivas maravilhosas para a área, mais precisamente para os profissionais que atuam nas indústrias farmacêuticas e de cosméticos. O crescimento da demanda por esses profissionais está diretamente ligado à exigência da lei para que os estabelecimentos farmacêuticos  contratem esses profissionais com o objetivo central de garantir a qualidade dos produtos. 

Por Paulo Victor Bragança


O profissional que atua na área de Acupuntura trabalha com uma medicina alternativa chinesa que chegou ao Brasil há muitos anos atrás através dos diversos imigrantes orientais que chegaram ao país no final da década de 40, fugindo da Segunda Guerra Mundial.

A Acupuntura tem como base de atuação alguns estímulos que são específicos em algumas regiões do corpo que são chamadas de pontos de acupuntura, esses pontos são específicos e reagem agindo sobre os neurotransmissores como as serotoninas e as endorfinas normalizando as diferentes funções de diversos órgãos ou tecidos.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) qualifica a Acupuntura como um método complementar/alternativo de tratamento às diversas patologias. Os instrumentos que são usados no processo de tratamento à base de acupuntura são devidamente esterilizados e específicos para o tratamento, são pequenas agulhas que são colocadas em pontos devidamente estudados de acordo com o objetivo do tratamento.

Diversos médicos indicam a Acupuntura para o acompanhamento do tratamento para pacientes com dores na coluna, ou até mesmo deficiência em ossos.

Para ser um profissional de Acupuntura é preciso ter um perfil que tenha sensibilidade, atenção a detalhes, concentração, paciência, boa visão, firmeza nos movimentos principalmente nas mãos, interesse por medicinas alternativas e principalmente o interesse pela cultura oriental que vai ser fundamental para o processo de aprendizagem constante e aperfeiçoamento.

É muito comum hoje em dia que o profissional de Acupuntura tenha graduação em Medicina, Farmácia, Fisioterapia ou Psicologia. Mas existem diversos cursos específicos para se tornar um profissional de Acupuntura e eles devem ser realizados. Um exemplo desses cursos é o Curso Técnico de Acupuntura e Medicina Tradicional (MTA), que é disponível para as pessoas que já concluíram o ensino médio.

O mercado de trabalho para esse profissional é amplo, pois cada vez mais os tratamentos alternativos ganham força e credibilidade aqui no Brasil, o viés é a carência de regulamentação por parte do governo federal que fez com que os conselhos definissem algumas normas exageradas para o exercício da função. 

Por Paulo Victor Bragança


Empresários de várias organizações como IBM, Stefanini e Natura estão passando a visitar escolas para conhecer melhor os futuros profissionais. Instituições como o Sesc de Ensino Médio, que está localizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, recebem esses executivos e apresentam como funcionam o ensino da escola.

O Sesc de Ensino Médio possui 500 alunos e praticamente todos vêm de colégios públicos e de famílias com renda entre um e cinco salários mínimos. Dentre oito mil candidatos que concorrem a uma vaga na instituição, apenas 165 são selecionados. Os estudantes veem ali uma oportunidade de se formarem no ensino médio com uma qualidade maior, já que o Sesc foi eleito uma das dez melhores escolas do Rio de Janeiro.

A escola possui todas as disciplinas tradicionais, com um para a aplicabilidade do dia a dia. Até mesmo existe uma miniagência de publicidade para que os alunos pratiquem a criação de materiais e conteúdo para a comunicação interna da entidade. Há também um laboratório de fabricação de biodiesel para auxiliar as aulas de física e química. Na parte de História, Geografia e Biologia, os alunos visitam locais que possuem o legado dessas matérias.

Além de aprenderem com esse estilo prático de ensino, os estudantes acabam experimentando habilidades como autonomia, criatividade e trabalho em equipe. E isso é visível. Segundo a diretora de recursos humanos da IBM, Luciana Camargo, aqueles alunos estão bem mais preparados que a maioria dos adolescentes fora dali. “Fiquei impressionada com os alunos”, afirmou.

A experiência de ensino aplicada pelo Sesc mostra que dá resultado, contudo a realidade brasileira é bem diferente disso. Até mesmo a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) já discute alterar o exame Pisa para melhorias e outras exigências dos resultados.

Exames como o Pisa querem que as escolas invistam nesse diferencial para o desenvolvimento e amadurecimento das pessoas para o mercado de trabalho, mesmo que pareça um desperdício, já que apenas 10% dos alunos no Brasil concluem o ensino médio com conhecimento básico de matemática.

Mesmo que isso esteja longe de virar uma realidade por aqui, a mudança começa assim: mudando a relação entre escola e trabalho, dando mais qualidade ao ensino. E essa atitude precisa vir tanto do governo quanto das empresas que querem mostrar responsabilidade social.

A fabricante de softwares Totvs, por exemplo, seleciona cerca de 2 mil alunos por ano de várias escolas públicas para participarem de cursos. Essa aproximação de escola e mercado de trabalho pode dar bons frutos e abrir portas para uma nova educação. 

Por Carolina Miranda


O mercado de trabalho brasileiro é bastante extenso, ou seja, são muitas vagas disponíveis. No entanto, o número de candidatos é ainda maior, dessa forma, a disputa por vagas de emprego acaba se tornando algo muito acirrado e só conseguirá a vaga almejada aquele que realmente se destacar entre os demais. Por esses e outros motivos é interessante manter-se atento às novidades e exigência do mercado.

O primeiro passo para que você tenha destaque no mercado de trabalho e consiga a sua vaga é justamente dispor de uma formação escolar de qualidade. A grande prioridade não é um curso superior, pois muitos cursos técnicos oferecem ótimas vantagens de emprego e renda. Por isso, defina o quanto antes a sua área de trabalho e busque pela melhor especialização que corresponde à mesma.

Ter o domínio da informática é algo extremamente importante, pois com o avançar do tempo a tecnologia vai se tornando cada vez mais comum em nosso dia a dia e, principalmente, em nosso trabalho. Procure sempre estar atualizado em relação a notícias, oportunidades, informações referentes a sua área de trabalho e etc. É sempre bom definir a sua área, ou seja, em que você deseja trabalhar e, consequentemente pense como chegar lá e o que fazer para se tornar um profissional destacado em sua área.

É interessante sempre investir em si próprio e buscar sempre outras formas de melhorar ou se destacar em sua profissão. Fazer um curso de língua estrangeira, por exemplo, é algo muito recomendável já que muitas empresas dão preferência a profissionais que falem pelo menos uma língua estrangeira.

Após conseguir a sua tão sonhada vaga é hora de manter a mesma. Para isso, você precisa ser criativo e muito competente. Manter um bom relacionamento com outros funcionários da empresa é essencial, pois dessa forma você estará causando um bem estar em seu ambiente de trabalho. É importantíssimo desenvolver a capacidade de trabalhar em grupo e lidar com pessoas de diferentes pensamentos e comportamentos, vez ou outra você terá de lidar com esse tipo de atividade.

Com essas dicas e muita competência e destaque em sua profissão, com certeza você irá conseguir vencer o mercado de trabalho e se tornar um profissional bem sucedido.

Por Bruno Henrique


Para uma oportunidade no mercado de trabalho as dicas parecem ser repetidas, mas há detalhes que podem fazer toda a diferença. Quando o candidato não tem nenhuma experiência, a valorização das notas do colégio e a participação no grêmio estudantil são alguns dos trunfos que os gestores irão classificar os candidatos que estão procurando a primeira oportunidade de trabalho.

Os entrevistadores irão reparar se os candidatos já fizeram algum intercâmbio ou até mesmo o comportamento desempenhado na escola. Além disso, os recrutadores também deverão analisar se nos trabalhos em grupo o candidato tinha uma inclinação para comandar equipes.

Aqui pincelamos dicas gerais para o iniciante de qualquer carreira. A primeira é: atenção sempre as primeiras escolhas da vida profissional, elas fazem toda a diferença. Ter foco é o principal caminho para iniciar bem uma carreira.

Além disso, organize na agenda o tempo de estudos e do trabalho. Não pense que estágio é uma experiência qualquer, invista nele como seu fosse um emprego. Procure sempre estar informado sobre a profissão escolhida e suas possibilidades. Nunca fique por fora da área, é essencial estar presente em seminários e cursos sempre que possível.

Quando estiver no estágio, não pense que fazer somente o seu trabalho já basta. Terminou a sua tarefa, logo se mobilize para buscar novas atividades dentro da empresa. Proatividade chamará muita a atenção do gestor.

Antes disso, claro, ainda tem algumas dicas para o currículo. Se ele não estiver organizado, dificilmente conseguirá uma vaga de emprego ou estágio. Seja sempre objetivo e sucinto. A atenção ao português é a principal chave do currículo, se tiver alguma palavra escrita de forma errada, a eliminação é certa. Inclua tudo que puder em relação a cursos, seminários e sua formação acadêmica completa. Caso já tenha feito alguma viagem ou intercâmbio, é importante mencioná-los.

Na hora da entrevista, todo cuidado também é pouco. Chegue com pelo menos 15 minutos de antecedência do horário marcado. O vestuário tem que estar de acordo com a cultura organizacional da empresa, para isso pesquise antes tudo sobre a empresa. Manter uma postura profissional diante do entrevistador e evitar as gírias também será um bom começo para conseguir realizar uma nova etapa da vida, o primeiro emprego.

Por Carolina Miranda


Quase todos os dias lemos, vemos e ouvimos nos noticiários reportagens relacionadas à espionagem online, golpes virtuais, fraudes bancárias e invasão de computadores e e-mails. A preocupação com a segurança na rede mundial de computadores fez surgir à necessidade da contratação de profissionais que saibam monitorar e prevenir os crimes cibernéticos.

E não é qualquer 'empresinha' que está buscando esse profissional, chamado de Perito Digital. É o Governo, o Exército, a Polícia e as grandes corporações responsáveis por garantir a segurança nacional.

Talvez você não tenha ouvido falar ainda nesse tal Perito Digital, mas é uma das profissões que mais deve crescer nos próximos anos. Mas afinal, o que faz esse profissional? Basicamente ele precisa ter o conhecimento necessário para rastrear um criminoso virtual. É um especialista forense computacional, por assim dizer, que vai auxiliar as investigações policiais. Por isso, é de extrema importância que ele saiba como é o tráfego de informações na internet para conseguir fazer o caminho inverso ao do criminoso: descobrir a raiz da mensagem a partir de seu local de recebimento.

Um Perito Digital precisa entender não só de computadores, mas de celulares também. O coordenador dos cursos de pós-graduação em Gestão e Tecnologia em Segurança da Informação (GTSI) da Faculdade Impacta Tecnologia de São Paulo (FIT), Jeferson D’Addario, afirma que essa área tem uma perspectiva muito grande de crescimento e em pouco tempo. “A criminalidade cibernética aumenta em números alarmantes! Com isso, a necessidade de proteção é uma realidade. Muitos alunos têm conseguido bons empregos antes de concluir a pós-graduação, e muitos outros profissionais já empregados procuram a faculdade para aperfeiçoar seu conhecimento. Não basta o conhecimento técnico. O profissional precisa aprender sobre questões jurídicas, sobre comportamento e processos de investigação”.

Para quem ainda estava em dúvida sobre qual faculdade escolher, vale dar uma procuradinha pelos cursos relacionados à Segurança da Informação e Investigação de Fraudes Computacionais já oferecidos em algumas universidades brasileiras.

Por Nathália Sartorato


Insatisfeito com seu trabalho? Se a resposta é sim, nada custa enviar um curriculum para outro lugar. Para começar, o curriculum ideal é aquele que valoriza as qualidades e as habilitações do profissional, além de passar boas impressões de suas antigas experiências. Então, antes de mais nada, é válido um pequeno estudo. Aconselho anotar em um caderno todos os lugares que você já trabalhou e coisas concretas que podem ser apresentadas, como cartas de recomendação ou elogios escritos.

O site www.crieseucurriculum.com.br cria um curriculum rápido e simples. Porém, vamos abordar os MAIORES ERROS em um Curriculum Vitae para evitar desapontamentos.

1 – Não vá pensando que um mesmo curriculum vale para ser Gari ou Presidente. Cada cargo e empresa possuem necessidades diferentes, então faça uma boa pesquisa das qualidades necessárias e que você pode destacar no seu curriculum de acordo com cada entrevista que for feita.

2 – Nenhum entrevistador quer saber sobre coisas irrelevantes ou pessoais demais. O curriculum deve ser direto e apresentar aquilo que você tem e pode oferecer para empresa. Se for extenso, você fica mais sujeito ainda a paciência dos outros.

3 – É válido que sejam citadas as experiências importantes para nova carreira. Um bom curriculum não pode explorar demais o futuro nem seus desejos dentro da empresa, mas se mostrar cada vez mais apto para o novo cargo é uma opção muito boa, até mesmo porque se você já tem habilidades concretas para o novo cargo, isso lhe coloca mais perto de ser contratado.

4 – Cite a mudança. Explique-se de forma resumida sobre as razões que o fizeram sair de um ramo e entrar em outro, porque assim o contratante saberá suas razões e o curriculum ganha importância. Aquele que consegue enfrentar o medo da mudança é de admirável coragem, coisa rara no mundo de hoje.

Então, espero que seu novo curriculum seja uma excelente forma de valorizar sua própria imagem e conseguir se vender ainda melhor.

Por Vinícius Leite


Mais do que um bom profissional você precisa ser um bom colega de trabalho para que o sucesso na carreira e na empresa possam andar em sintonia.

Em uma empresa, seja ela, em qual ramo for, não adianta investir apenas em máquinas de última geração se o investimento também não for na preparação, indiscultivelmente, das pessoas. A barreira, nesse sentido, parece ser em conciliar que os colaboradores tenham suas idéias colocadas em prática sem deixar de atender aos anseios das empresa

A exigência de um ambiente favorável que motive o desempenho e a funcionalidade das tarefas se faz necessário. Vontade de aperfeiçoar o seu rendidimento,  trazendo prazer e felicidade é resultado de um bom ambiente de trabalho. Se você conjuga da seguinte frase" graças a Deus amanhã é sabado, não terei que dividir a mesma sala com fulano de tal ou amanhã é segunda-feira, começa tudo novamente", são indícios que o seu futuro profissional está em jogo e deve-se urgentemente mudar esse quadro, pois a satisfação, seja no ambiente de trabalho ou em outros campos de sua vida, é o termômetro necessário, dando-lhe enormes garantias para o seu possível sucesso.

A empresa também tem papel importante nesse aspecto, pois ao invés de se preocupar em bater as suas metas e aparecer nos rankings de vendas do semestre, precisam apoiar os seus funcionários, interagindo entre eles, visando o bom ambiente de trabalho. Pois quanto maior a satisfação do profissional, mais alta é qualidade de vida no ambiente de trabalho, refletindo-se assim num clima mais positivo entre todos os funcionários e resultando no melhor clima organizacional.

Por Alex Menezes


Atualmente vivemos um período onde o mais forte consegue o mais "desejado", ou seja, vivemos em um mundo contemporâneo que imita a natureza desde sua antiguidade, onde o mais forte obtinha melhores resultados. Seguindo esta analogia chegamos a conclusão que quanto mais no preparamos intelectual, física e psicologicamente, mais vamos ter chances de obter grandes resultados, ou seja, certamente vamos ter facilidade para nos inserirmos na classe assalariada. 

Para sairmos na frente deste mercado de trabalho rigoroso precisamos estar dotados de aparatos que nos diferenciam dos nossos concorrentes. Quanto mais "bagagens" tivermos mais iremos ter grandes chances de sucesso na obtenção de um bom trabalho. Essa bagagem (conjunto de qualidades ou experiências) deve estar repleta de qualificações como: curos técnicos, graduações, especializações, mestrados, ações voluntárias, etc. 

Para obter algumas destas qualificações você não precisa ser rico ou possuir uma condição financeira de alto nível, pode-se recorrer à internet, onde sites disponibilizam cursos grátis e cobram apenas pelo envio do certificado, ou até mesmo ingressar em uma faculdade participante do Programa de Financiamento Estudantil – FIES, onde poderá financiar seu curso de graduação seguindo alguns critérios estipulados pelo próprio programa,  entre outras possibilidades.

Portanto, depende única e exclusivamente de você procurar melhorias para obter grandes conquistas no mercado de trabalho. Nunca desista, muito pelo contrário, insista e persista.

Por Michel Moraes


As pessoas que ainda não escolheram em qual área profissional atuar, sempre pesquisam sobre as profissões que estão em alta no mercado de trabalho.

Primeiro vamos começar pelo óbvio, a Engenharia Civil. Assim como confirma os estudiosos do ramo, a Engenharia Civil permanecerá em alta por muitos anos. O Brasil está sofrendo um grande crescimento físico, com isso os profissionais da área são muito requisitados, tanto que em algumas regiões já acontece a carência desses profissionais.

Já os profissionais que estão se formando em qualquer área referente a tecnologia, também contarão com um bom espaço dentro do mercado de trabalho. Entre as profissões em destaque nesta área estão: engenheiro da computação, bacharel em ciências da computação, bacharel em informática e analista de sistemas.

Na parte da infraestrutura e logística, o Brasil também irá sofrer um grande upgrade por causa de alguns eventos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Devido a isso, os profissionais da área deverão ser contratados a peso de ouro.

A área de finanças e contabilidade também estará em alta durante os próximos anos. Grandes empresas estão sempre à procura desses profissionais para manterem um bom controle financeiro, consequentemente aumentando os rendimentos da empresa.

Profissionais como agentes de viagem e guias turísticos também estarão em alta durante os próximos anos.

Fonte: Cursos Gratuitos

Por Matheus Camargo


Antes: o sonho da faculdade para aprender aquilo que pretende praticar o resto da vida. Depois: o início da carreira profissional, quando se conquista a independência financeira. Para tanto, existe um longo caminho a ser percorrido entre o antes e o depois, trata-se da busca pelo emprego adequado à profissão escolhida e ao perfil do candidato à vaga.

Atualmente, a procura pelo emprego ideal faz parte do cotidiano de muitas pessoas, principalmente devido a uma desigualdade na relação entre as vagas em destaque e os candidatos capacitados, ou seja, há muita oferta de emprego em determinadas áreas para poucos formados com real reconhecimento profissional.

Esta desigualdade faz com que muitos se sintam desestimulados, trabalhando na área de formação, porém, recebendo baixos salários. Quando isso ocorre, partir em busca de empregos fora da área de formação pode ser uma boa opção, por conta de salários mais altos e possíveis benefícios. Dessa forma, todo o tempo e investimento gastos durante o período da faculdade são descartados, indicando que a formação, a profissão e o cargo nem sempre estão relacionados.

Do ponto de vista positivo, esta opção é uma maneira de se conseguir uma boa qualidade de vida, podendo até mesmo manter uma reserva financeira em investimento ou poupança. O difícil é saber que o emprego com o qual você sempre sonhou apresenta poucas oportunidades viáveis para o crescimento pessoal e profissional.

Contudo, o importante é não desistir, há sempre um trabalho digno a sua espera. Reúna seus conhecimentos e prioridades e vá à luta!

Por Anne A. Matioli Dias


Moradores da cidade de São Vicente (SP) podem participar do Programa Time do Emprego. A iniciativa visa ajudar os jovens que desejam ingressar no mercado de trabalho. O projeto irá qualificar profissionais que buscam oportunidades por meio de jogos, dinâmicas e outras ferramentas didáticas.

As inscrições para o Programa podem ser realizadas na Secretaria de Relações do Trabalho e Geração de Emprego e Renda (R. Marquês de São Vicente, 375, no Parque Bitaru). Quem preferir também pode se inscrever pelo telefone (13) 3259-2030.

Os interessados deverão apresentar no primeiro dia do curso os seguintes documentos: RG, CPF e carteira profissional.

Ao todo, serão oferecidas 50 vagas, sendo que 25 são para o período da manhã e o restante para o período da tarde, o horário é das 9h às 12h e das 14h às 17h.

As aulas estão previstas para começarem no dia 23/02/2012, na sede do Posto de Atendimento ao Trabalhador de São Vicente (PAT), que fica na Rua Frei Gaspar, 5.577.

Entre os assuntos abordados durante o curso estão: noções básicas de como se comportar durante uma entrevista de emprego e como fazer um bom currículo.

Todos os matriculados receberão um kit gratuito, lanche e vale transporte. Vale ressaltar que as pessoas serão separadas por grupos de jovens e adultos.

Por Joyce Silva


Se você possui pouca ou nenhuma experiência e está em busca de uma oportunidade de trabalho, fique atento a algumas dicas a seguir. Os recrutadores sabem que você é recém-formado ou que ainda está cursando a graduação e não exigirão de você tantas experiências no mercado.

A busca pelo primeiro emprego é um desafio. Contudo, você deve lembrar que as vivências acadêmicas, atividades extracurriculares, trabalhos voluntários e qualificações técnicas são relevantes. Destaque os seus pontos fortes. Quando for preparar o seu currículo, cite seus conhecimentos em informática, cursos e palestras dos quais participou e possíveis viagens que já fez ao exterior.

Mas tenha cuidado! Não minta, pois os recrutadores checam as informações que você apresenta. Outra dica importante é sempre procurar se atualizar. Não fique parado. Procure realizar cursos gratuitos online que grandes instituições oferecem através da internet. Isso mostra que você tem interesse. Desse modo, você pode destacar o seu currículo dos demais concorrentes e alcançar a tão sonhada vaga.

Experiência não é tudo para tornar um currículo atraente. Boa Sorte!

Por Por Melisse V.


Entre as novas profissões podemos destacar a Fisioterapia Esportiva e o Tratamento de Pacientes em Domicilio. Nos últimos anos essas praticas estão sendo muito procuradas pela população, porém o número de profissionais qualificados ainda é pouco para atender a demanda.

O Atendimento a Domicilio realizado é requisitado na maioria das vezes por pacientes idosos e também crianças, além de ter uma remuneração considerada maior, a praticidade e sensação de conforto causada no paciente são os principais fatores que levam ao crescimento dessa prática.

Já a Fisioterapia Esportiva, que também exige do Fisioterapeuta alguns cursos específicos voltados para esses públicos, pode ser considerada uma área nova. Essa pratica lida com trabalho de reabilitação de esportistas lesionados.

Como em toda a área de saúde, o mercado cada vez mais precisa de profissionais qualificados.

É importante ter em mente que toda área profissional exige conhecimentos, experiência e qualificação, investir na carreira é fundamental para ser um bom profissional.

Por Milena Evelyn


O mundo competitivo tem obrigado jovens e adultos a procurarem melhores qualificações para seus currículos. As exigências são cada vez mais extensas e aumentam anualmente. Não basta ter graduação; é preciso pós-graduação. Escrever e falar perfeitamente a língua portuguesa é uma exigência, assim como também é necessária a língua inglesa em nível intermediário.

Profissões com cobranças mais brandas têm sofrido com a falta de profissionais. De acordo com o levantamento ‘Trabalho, Educação e Juventude da Construção Civil’, construído pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o número de trabalhadores com idades de 15 a 29 anos decresceu de 34,2% para 28% entre 1996 e 2009 pelo setor. A pesquisa vai mais além, pois no primeiro período em questão (1996) o tempo médio de educação dos trabalhadores era de 4,41 anos; no segundo período (2009) avançou para 6,35 anos.

Para Marcelo Neri, coordenador da pesquisa, o jovem tem procurado funções que precisem de maior escolaridade e deixado de lado a ideia de atuar num emprego em que a terminologia “braçal” seja a referência. Para compensar essa migração, acredita que o segmento precisará incrementar salários e assegurar direitos trabalhistas, bem como qualificar melhor a mão de obra.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Agência Brasil


Procurar emprego pela internet é um dos meios mais simples e acessíveis, tanto para o conhecimento de novas oportunidades como, também, para a conquista de um posto de trabalho almejado. Por outro lado, a inclusão de currículos em sites pagos ou gratuitos revela uma realidade nada animadora: número de profissionais superior à quantidade de vagas ofertadas.

Outro entrave que apareceu veementemente durante o disparate da economia brasileira foi a falta de qualificação da mão de obra tupiniquim, vigente até hoje. Aliás, essa é uma das maiores reclamações das empresas. Uma pesquisa desenvolvida pela Curriculum.com.br, empresa virtual especializada na recolocação de profissionais no mercado de trabalho, revela que, na verdade, os maiores pré-requisitos das companhias nos processos seletivos são comprometimento, ética e responsabilidade.

O estudo aponta que dos profissionais atuantes nas mais de 500 empresas sondadas, os recrutadores consideram como características ideais a pro atividade, foco nos resultados e objetividade. Estas também são citadas como pontos a serem aprimorados cada vez mais.

De acordo com Marcelo Abrileri, fundador e presidente do portal Curriculum.com.br, quase 70% das empresas revelaram insatisfação com relação aos candidatos participantes dos processos de seleção, considerando-os, deste modo, pouco capacitados e qualificados.

Infelizmente, existem muitos profissionais altamente qualificados que por falta de cursos superiores ou cursos específicos não conquistam oportunidades. Por vezes, as rígidas regras dos Recursos Humanos devem ser quebradas, pois existem trabalhadores totalmente aptos para determinada tarefa que nem sempre conseguem a função porque suas habilidades às vezes não são demonstradas num simples pedaço de papel.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A Copa do Mundo de 2014 é, atualmente, o evento mais aguardado pelos brasileiros, muito mais que os Jogos Olímpicos de 2012, a ser realizado em Londres, na Inglaterra. Políticos e especialistas de diversas áreas salientam as deficiências nos preparativos para o mundial de futebol no Brasil, mas mesmo assim parece não haver desânimo por parte da população, a grande interessada.

Procurando oferecer o maior número de oportunidades ao evento, o Ministério do Turismo (MTur) iniciou, desde a escolha do Brasil como sede para a Copa, planos de reestruturação de 65 locais a fim de adequá-los num modelo de alto padrão de qualidade. O intento não é encarado sem a devida consciência, pois são esperados oito milhões de visitantes no país em 2014, 600 mil somente no mês da competição.

O MTur ressalta que as ações desenvolvidas buscam robustecer a imagem do país e qualificar a mão de obra, que será tão necessária para o atendimento de turistas nacionais e estrangeiros. Além dessas, o ministério afiança que serão executados expansões do parque de hotéis e investimentos relacionados à infraestrutura, ponto tão criticado por políticos e meios de comunicação do exterior.

Um dos programas que se tem conhecimento é o ‘Bem Receber Copa’, criado justamente para a qualificação do setor turístico, o qual envolve melhorias nas áreas de hospedagem, alimentação, recepção, segurança e serviços em geral. Cerca de 306 mil profissionais serão abrangidos.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Secom


A língua espanhola está cada vez mais ganhando notoriedade no mercado de trabalho. Isso se deve ao fato da criação do MERCOSUL e dos acirrados processos de globalização.

Para empresas que trabalham com clientes na América Latina ou para pessoas que trabalham em empresas latino-americanas, o conhecimento de espanhol é indispensável já que nos países dessa região o inglês não é tão falado.

Existem empresas onde a língua é requerida em alguns setores estratégicos e cursos de língua espanhola são ofertados à maioria dos funcionários. Além disso, na Europa o Espanhol também está ganhando importância, qualquer guia turístico já sabe falar espanhol além de inglês.

No Brasil muitos cursos universitários como Direito, Economia, Medicina, Engenharia e Educação Física tem exigido conhecimentos nessa língua, pois existe muita bibliografia espanhola nestas áreas.

Por Karin Földes


Nos dias atuais não basta apenas se formar, pegar o diploma e conseguir um bom emprego. O profissional moderno precisa estar sempre se atualizando seja na área empresarial, de saúde ou educação.

O mercado de trabalho está cada vez mais exigente e acirrado e, por isso, além de fluência em outros idiomas, uma especialização também é sempre bem-vinda.

Para aqueles que trabalham em empresas pouco importa, por exemplo, fazer um mestrado tradicional, é mais importante fazer um Mestrado em Administração de Negócios ou MBA (sigla em inglês que quer dizer Master in Business Administration).

As principais áreas de um curso como esse são varejo, marketing, executivo e finanças. A legislação brasileira exige que esse tipo de curso seja ministrado em instituições universitárias e por um profissional que no mínimo seja mestre na área.

Como em qualquer outro curso de graduação ou de pós-graduação, no final dele é exigido uma pesquisa e a confecção de uma monografia.

Por Karin Földes


As mudanças no cenário do mercado de trabalho atual estão em fase de expansão, vários setores podem ser considerados promissores. Segundo especialistas, o desempenho da economia tem sido muito satisfatório e com isso a demanda por mão de obra qualificada para determinadas áreas aumentou.

Entre as principais áreas em crescimento estão todas aquelas ligadas à área comercial, tecnologia da informação e voltadas para a internet.

Jovens recém-formados devem ficar atentos para a oferta de vagas nesses setores. Investir em qualificação nessas áreas também pode garantir boas colocações.

A área de tecnologia da informação (TI) tem exigido bastante de seus novos profissionais.

Vale ressaltar também o crescimento das redes sociais, e com isso a procura por profissionais analistas e com conhecimentos desse novo segmento tecnológico.

Por Milena Evelyn



Você é organizado, gosta de ler, é comunicativo e conhece informática? Se essas características e informações se encaixam em seu perfil, você pode seguir a carreira de bibliotecário. Isso mesmo. O mais curioso é que o avanço da internet não excluiu essa profissão, muito pelo contrário, abriu portas.

Independente do formato, em papel ou digital, a informação deve ser organizada e catalogada. É isso que o bibliotecário faz, grosso-modo.

O piso salarial em São Paulo é de R$ 1.750,00, já pessoas com experiência de dois anos podem alcançar salários que variam entre R$ 2000,00 e R$ 8000,00.

O bibliotecário pode atuar em bibliotecas de diversos gêneros e centros de documentação, arquivo e memória.

É uma área que muitos podem estranhar, entretanto, está em alta. Vale à pena pesquisar, não custa nada, afinal um bibliotecário precisará pesquisar muito.

Por Mauro Rodrigues


Apesar das modelos gordinhas estarem na moda, o preconceito contra o gordo no mercado de trabalho ainda é muito presente. Em muitas seleções de emprego, se o recrutador estiver na dúvida entre duas pessoas e, se um deles estiver acima do peso, provavelmente o mais rechonchudo será eliminado do processo seletivo.

O preconceito fica ainda mais latente quando se trata das mulheres. Segundo uma pesquisa da Universidade de East Lansing, em Michigan, nos Estados Unidos, as gordinhas ocupam muito menos vagas de destaque nas empresas do que os homens.

Mesmo que seja uma discriminação velada, a pesquisa mostra o quanto as regras subjetivas do mercado podem ser cruéis com as mulheres.

Por Isadora Schmitt Caccia


As inscrições para o Projeto Engraxate Cidadão, desenvolvido pela Universidade de Guarulhos (UnG), em São Paulo, com o intuito de capacitar jovens e idosos para que os mesmos sejam inseridos no mercado de trabalho, está com inscrições abertas.

Inicialmente são 40 vagas, para pessoas com idades entre 18 e 21 anos ou maiores de 60 anos, que irão atuar como engraxate e estabelecimentos comerciais da cidade paulista. Todo o material será formecido pela UnG.

O salário dependerá da quantidade de clientes atendidos por cada um. Cada 'engraxada' deve custar R$ 5. Interessados devem preencher ficha de inscrição e levá-la, em conjunto com sua documentação nas unidades da UnG. Saiba os endereços aqui.

O prazo se encerra no dia 8 de setembro de 2010. Mais informações aqui.

Por Thiago Martins


A área de Tecnologia da Informação ainda desperta pouco interesse aos estudantes, se comparado com o necessário que o mercado precisa. Segundo a Associação para a Excelência do Software Brasileiro o mercado brasileiro necessita de 71 mil profissionais. E para 2013 a expectativa é de criação de 200 mil vagas.  A área de Ti se divide basicamente em três grandes áreas: desenvolvimento de software, hardware e serviços. Os principais cargos na área são:

  • Gerência de TI: Gerencia projetos e operações de serviços de TI, identifica oportunidades de aplicação dessa tecnologia, administra equipe e interage com outras áreas. A remuneração média é de R$ 4.275,61.
  • Administrador de Banco de Dados: Instala e administra banco de dados, cuida da política de segurança e da qualidade da informação. O valor médio da remuneração R$ 3.153,44.
  • Desenvolvedor/Programador: Responsável por desenvolver sistemas, aplicações, determinando a interface gráfica, critérios de navegação, montagem e estrutura do banco de dados. Valor da remuneração média de R$ 1.933,47.
  • Administrador de Redes: Gerencia equipamentos de redes e a infraestrutura física de cabos, responde pela segurança do acesso á rede e adequação dos sistemas aos servidores da empresa. Remuneração média de R$ 3.153,44
  • Engenheiro de Computação: Projeta monitora a adoção de soluções em linguagens de todos os níveis de complexidade, valida novas tecnologias, gerencia ambientes computacionais. A remuneração média é de R$ 4.103,66
  • Analista de Sistemas: Especifica a arquitetura e as ferramentas para o desenvolvimento de sistemas, presta suporte técnico e treina clientes, elabora documentos técnicos. O valor médio da remuneração R$ 2.971,31.

Para a maioria das funções é necessário além do bacharelado nos cursos específicos, nível intermediário de inglês.

Por Fernanda Peixoto


Se para toda a vaga disponível no mercado há uma fila gigante de profissionais esperando por preenchê-la, há também as áreas que possuem maiores quantidades de vagas, assim como também aumenta gradativamente a quantidade de interessados, mas a chances são maiores de conseguir o emprego como nas que pedem: Superior em administração, superior em comunicação social, superior em engenharia, superior em informática, superior em direito, superior em pedagogia, superior em ciências contábeis, superior em arquitetura e urbanismo, superior em turismo e superior em superior em economia.

Se você é um profissional que se enquadra em um destes perfis, procure bem, certamente há uma vaga esperando por você.

Por Teresa Almeida


Esta é a época do ano perfeita para quem quer garantir um emprego, estágio, entrar em um programa trainee, ou seja, começar a carreira profissional com o pé direito. Para quem  está atrás disto (ou seja muitos) atente-se que assim como você, evidentemente, encontrará pelos corredores de entrevistas outros candidatos.

As área que mais possuem candidatos cadastrados são: profissionais com ensino médio, superior em administração, superior em direito, superior em pedagogia, superior em ciências contábeis, superior em publicidade e propaganda, técnico em informática, superior em comunicação social, superior em psicologia e superior em sistema de informação.

Fique esperto! Se a área está tão disputada, procure ressaltar seu diferencial. Fica a dica!

Por Teresa Almeida


Boa notícia para os profissionais que atuam como analistas de valores imobiliários. A profissão agora está devidamente regulamentada.

Conforme publicado no Diário da União, desta segunda feira (12 de julho), define regras para os profissionais do meio, assim como os obriga e aos seus empregadores de tornarem-se credenciados e por conseqüência habilitados a trabalhar.

Com esse avanço os profissionais ganham além do reconhecimento merecido em toda a profissão, um código de conduta e o direito de elaborar relatórios que influenciaram diretamente o mercado financeiro.

A regulamentação torna a obtenção da habilitação mais fácil e diminui a burocracia comum no meio. Até dia 31 de dezembro, as empresas que empregam analistas de valores imobiliários terão que ter, no mínimo, 30% do seu quadro  devidamente credenciado.

Por Teresa Almeida


Se seu empregador apareceu com aquela oferta I-R-R-E-C-U-S-Á-V-E-L para vestir a camisa de sua empresa em outro país, pense bem antes de aceitar.

Apesar da lei estar do seu lado e da oferta geralmente dar um upgrade no currículo do funcionário há mais para se analisar antes de aceitar a expatriação: Benefícios com o aluguel e a escola dos filhos, passagem de férias para o país de origem bem salientados no acordo, perspectiva de promoção no retorno, plano de saúde, previdência privada, reajuste salarial e o tempo de duração do contrato bem discriminado entre as partes.

Assegure-se bem para não morrer na beira da praia levando consigo toda a família a  passar uma longa temporada em um país desconhecido!

Por Teresa Almeida


Boa notícia para os países da América Latina e sua população. A transferência de profissionais latino-americanos para o exterior aumentou mais que a média mundial, em dois anos.

Profissionais qualificados e com ascendente carreira, são convidados a trabalharem a longo prazo nos escritórios principais de suas multinacionais e até a chefiarem as filiais em outros países.

Nem mesmo a crise estrangeira que afetou o mundo todo foi suficiente para ameaçar estes números. Ao contrário, eles aumentaram após a crise.

No Brasil não é diferente, aumenta cada vez mais a  expectativa de envio dos profissionais brasileiros para fora. 

Por Teresa Almeida


O profissional necessita ser ousado para manter-se no mercado de trabalho, visto o grande número de pessoas qualificadas a disposição e, em muitas vezes, dispostas a um salário menor.

Assim, organize-se, reflita e liste o que deve ser mudado juntamente com as razões para a necessidade de mudança, observando algumas destas dicas:

  • Estabeleça prioridades quanto aos itens de mudança. Não conseguirá realizar tudo ao mesmo tempo.
  • Ofereça-se para atribuições desafiadoras ou diferentes das suas.
  • Liste suas responsabilidades e quais dificuldades enfrenta quando envolve outros colegas. Evite um jogo da culpa, pois o importante é reparar o erro.
  • Busque ultrapassar as expectativas da sua posição.
  • Desenvolva uma rede ativa de relacionamentos, conquistando confiança e credibilidade.
  • Nunca tenha ações infundadas ou sem prévia pesquisa e estudo.

por Patricia Gujev


O Trabalho em Equipe é uma nomenclatura de uso comum no mercado profissional. Isto não significa que as palavras se efetivem em ações.

Numa empresa nem sempre todos os colaboradores de uma equipe estão propensos ou têm conhecimento de como atuar em conjunto, destacando as habilidades individuais para o processo de construção de um todo. Isto é um fator decisivo para que se alcance uma meta, ultrapasse um obstáculo e até como auxílio na conquista de promoções; no coletivo, obviamente.

Assim, observar e buscar alternativas para aprimorar este trabalho determinará ao profissional, consciente de sua importante atuação, um diferencial que dispõe além de conhecimentos técnicos, de predisposição para mudanças nas relações interpessoais, mas, principalmente, uma invejável autoconfiança em sua capacidade, independente do que as pessoas ao seu redor lhe digam.

por Patrícia Gujev


Os desafios atuais no mercado de trabalho diferem-se dos aprendidos durante a formação. A atuação diária dentro de uma empresa necessita, permanentemente, da invenção de arranjos em situações que atendam a a empresa e promova o aprimoramento na atuação do profissional.

E esta inovação diária incita flexibilidade. Na formação durante a graduação a aprendizagem por meio de uma sucessão rígida de lições, fichas e trabalho de nada será válida se o profissional não estiver apto a transpor suas competências  ao mundo de trabalho. A transposição da teoria na prática é o grande desafio profissional.

Assim, muitos indivíduos inseridos ao mercado de trabalho não conseguem ultrapassar estes obstáculos e acabam sendo dispensados da empresa. Isto não significa ausência de conhecimentos técnicos, mas sim habilidade de colocá-los em prática.  

Por Patricia Gujev


O Governo Federal faz questão de afirmar que o mercado de trabalho está aquecido e a cada ano diminui o contingente de desempregados no País. Em Pernambuco a situação é semelhante. O Governo Estadual divulga com grande alarde a implantação de inúmeros empreendimentos, principalmente no Complexo Portuário e Industrial de Suape. Mas, na verdade, as principais vagas estão sendo ocupadas por estrangeiros.

As vagas para os empreendimentos que aportam em Suape (Estaleiro, siderúrgica, refinaria etc) e em outras partes do Brasil estão sobrando porque falta qualificação aos trabalhadores. Quem aproveita esse momento crescente na economia não são os profissionais brasileiros, mas os de outras nacionalidades. Para se ter uma idéia, somente nos últimos doze meses aumentou em 17%  o número de concessão de vistos autorizando trabalhadores estrangeiros a desempenharem as suas atividades laborais em empresas brasileiras.

De acordo com a Coordenação Geral de Imigração do Ministério do Trabalho e Emprego (CGI-MTE), o número de profissionais estrangeiros ocupando áreas estratégicas, técnica e de comando, nas brasileiras chega a 180 mil. A maioria chegou ao Brasil nos últimos cinco anos. Somente no primeiro trimestre de 2010, foram concedidos 11.530 vistos de trabalho para estrangeiros – a maioria para indústrias e os segmentos de energia, gás e petróleo.

Por: Alexandre de Souza Acioli


De acordo com pesquisa efetuada pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), cuja publicação foi feita nesta quinta-feira, 15 de julho, o setor de supermercados foi o que mais contratou funcionários no ano de 2009, onde foram geradas somente no Estado de São Paulo, dezoito mil vagas.

Em contrapartida, o setor apresentou também uma alta rotatividade de funcionários, ou seja, muitos foram admitidos, mas também muitos foram demitidos. E além disso, os que saíram tinham salários mais elevados dos que os novos contratados, gerando uma diminuição na média salarial da classe em 15%.

Esta rotatividade na verdade é uma forma de diminuir os custos das empresas contratantes, através salários menores oferecidos, bem como da redução dos custos relativos ao tempo de contrato de trabalho do funcionário no local.

Por Elizabeth Preático


De acordo com pesquisa realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e divulgada pelo Portal R7, os brasileiros com idade de 40 anos ou mais estão aderindo cada vez mais ao mercado de trabalho, um número que vem crescendo deste o ano de 2006, especialmente em empresas de pequeno e médio porte.

A escolha por estes profissionais vem em função de sua experiência e maior grau de maturidade em relação à população mais jovem.

Por isso, a idéia de que o mercado de trabalho só quer jovens atuando não está mais em alta hoje em dia. Quanto mais experiente, comprometido e atualizado o profissional, mais credibilidade ele vai adquirindo e com isto, melhor colocação ele vai obtendo em sua vida profissional, ocupando especialmente cargos de supervisão e chefias.

Por Elizabeth Preático


Muitas empresas além de analisar o currículo dos candidatos, também verificam o perfil de cada candidato na internet. Por isso confira estas dicas para não fazer feio nas redes sociais:

1) Cuidado com que você escreve. Erros de ortografia e concordância demonstram que você pode não estar apto para o emprego.

2) Cuidado com suas fotos. Publique apenas fotos que não te comprometam, como situações embaraçosas.

3) Tenha redes sociais distintas. Evite misturar sua rede social de amigos e companheiros de trabalho. Ou tenha um perfil neutro.

4) Cuidado com as comunidades que você participa. Elas dizem muito sobre a sua personalidade.

5) Evite usar as redes sociais no trabalho. A não ser que você trabalhe com elas.

6) Não minta na internet. As falsas informações poderão ser checadas e você sairá prejudicado.

Fonte: Emprego Certo

Por Fernanda Peixoto


Apesar de toda uma evolução no sentido de um maior entendimento e mais liberdade à população brasileira em suas diferenças, ainda se percebe hoje em dia a presença do preconceito para certas oportunidades de trabalho.

E isto não se aplica somente aos afro-descendentes, mas também às pessoas que de certa forma são consideradas “diferentes” pela sociedade. Um caso que aconteceu em 2007, com um jovem gay pode exemplificar isto. Ele diz ter participado de uma dinâmica de grupo para uma vaga de atendente de telemarketing e apesar de não ter havido nenhuma colocação direta a respeito do assunto, pôde sentir claramente que estava sendo ignorado pelos assessores de recursos humanos da empresa.

Outras situações de discriminação também acontecem com pessoas acima do peso, pela aparência ou por algum tipo de deficiência física.

Confira abaixo uma entrevista sobre o Preconceito que moradores de Favelas e Comunidades Pobres sofrem:

Por Elizabeth Preático


Apesar da enorme quantidade de cursos oferecidas no país atualmente, parece que ainda faltam profissionais qualificados no mercado, pelo menos em algumas áreas. É o que acontece nas áreas de mineração e petróleo, onde se verificou que, a escassez de pessoal qualificado leva a um aumento em vinte por cento nos salários dos funcionários da área, em relação às demais funções.

Os segmentos automobilístico, de computação e elétrico também oferecem salários acima da média, cerca de treze por cento a mais, em relação à média dos demais salários brasileiros. A pesquisa foi realizada com cento e setenta e cinco mil profissionais de diversas áreas e níveis burocráticos, em vinte e uma mil empresas do país.

Fonte: www.folha.uol.com.br

Por Elizabeth Preático


Os jogadores de futebol têm carreira curta. Com 40 anos, por exemplo, dificilmente se nota um atleta percorrendo os quatro cantos do gramado em virtude do condicionamento físico e outras questões pertinentes ao esporte. Alguns veem, entretanto, novas oportunidades ao atuar como comentaristas, técnicos e dirigentes.

No mercado de trabalho, 40 anos também é uma idade avançada e se não estabilizado, o trabalhador dificilmente consegue novo emprego. Até agora…

Um estudo divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego acaba de relacionar que a população com idade superior a 50 anos conseguiu se recolocar no mercado, tendência representada em números. Segundo o portal de economia Estadão, a contratação de trabalhadores dessa faixa etária ascendeu aproximadamente 28,4% somente na região metropolitana de São Paulo no trimestre inicial de 2010 em comparação ao período similar do ano passado, totalizando, finalmente, 32,7 mil indivíduos.

Elton Casagrande, professor do Departamento de Economia da Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filho (Unesp), indica a justificativa de que esse crescimento conjetura o bom momento da economia e do mercado formal de trabalho – que passou a enxergar a idade com pouca diferença; tem prevalecida, pois, a experiência, estabilidade, compromisso e responsabilidade.

Fonte: Estadão

Por Luiz Felipe T. Erdei


Redes sociais como Twitter, Facebook, LinkedIn e Orkut são cada vez mais utilizados por grandes empresas na seleção de candidatos a vagas de trainee. As empresas pedem aos candidatos que preparem e apresentem perfil com seus dados que serão analisados na seleção.

A etapa corresponde a uma pré-seleção antes de um contato presencial com a empresa. A consultora da Across, Rosana Tavares, afirma que algumas seleções tem até 40 mil inscritos, mas só dez ou 15 são aprovados.

Em 2009, a empresa Johnson & Johnson fez uso de outro tipo de plataforma on-line, a seleção iniciou através de um vídeo feito pelos candidatos onde eles associavam sua história de vida aos valores da empresa. Foram 20 mil inscritos, no final, 28 foram escolhidos. Cada vez mais a internet se mostra útil ao mercado de trabalho.

Por Mauro Tavares

Fonte: Folha de São Paulo


O Instituto Votorantim realizou juntamente com a Fundação Getúlio Vargas uma pesquisa sobre o mercado profissional brasileiro, que foi divulgada na última quarta-feira, 26 de maio de 2010.

Dentre os resultados analisados, a pesquisa revelou que as pessoas que possuem cursos profissionalizantes, tem 48% mais chances de aderirem ao mercado de trabalho, conseguindo também melhores salários e melhores chances de contratação através de carteira assinada.

No mercado brasileiro, os segmentos automobilístico, de finanças, petróleo e gás são os que têm maior quantidade de trabalhadores com cursos profissionais. No fim as pessoas acabam buscando os cursos técnicos porque o mercado está cada vez mais exigente e para contratar alguém, geralmente exige-se alguma habilidade e experiência, o que muitas vezes não se consegue através de um curso de graduação mais voltado para a teoria.

Fonte: www.noticias.r7.com

Por Elizabeth Preático


O ensino médio técnico profissionalizante facilita a empregabilidade e resulta em salários mais altos que os equivalentes sem o ensino profissionalizante.

O Centro de Estudos de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV) iniciou um estudo e ele revelou que a facilidade de achar um emprego com carteira assinada é de até 38% maior e que os salários chegam a ser até 13% maior de quem tem apenas o ensino médio regular.

Hoje as pessoas que possuem ensino técnico chegam aos 29 milhões, o que mostra o quanto o mercado está crescendo neste ramo da educação.

O ramo automobilístico é o que mais emprega as pessoas que terminam os cursos técnicos, com 45,7% de todos os trabalhadores.

Por José Alberi Fortes Junior


Normalmente os 45 dias iniciais em qualquer empresa são o período de experiência e onde a empresa e empregado podem avaliar se devem continuar juntos.

Algumas empresas usam este período e aumenta a experiência para 90 dias, o que ajuda na avaliação de desempenho e do perfil de qualquer candidato.

Um bom gestor consegue aprovar ou não o novo empregado, usando critérios bem claros definidos anteriormente, causando o mínimo possível de prejuízo para o empregado e para o empregador, sabendo do custo alto que envolve um treinamento e qualificação.

O grande problema é que se neste período feedbacks nem avaliações forem feitos corretamente, de nada adianta uma efetivação de uma pessoa pouco motivada e Sem perfil para a vaga.

Por José Alberi Fortes Junior


Você já pensou em ser maquinista de trens? Pois saiba que um setor que está crescendo no Brasil e vai gerar muitas oportunidades este ano é o setor ferroviário. No ano de 2009 foram geradas 36 mil vagas diretas e indiretas neste ramo e para 2010 a previsão é que se chegue a 40 mil.

O transporte de carga é a sua principal atividade e este ano deve passar de 400 para 450 milhões de toneladas. Uma só empresa chega a ofertar 700 vagas e forma seus próprios maquinistas.

O salário inicial da função chega a R$ 1.300,00, acrescido de benefícios. Uma empresa do Paraná atualmente busca 80 novos maquinistas. O treinamento dura entre um ano e um ano e meio, com aulas teóricas e práticas, mas pode ser uma profissão para a vida inteira.

Por Mauro Tavares

Fonte: G1 Empregos


O Brasil tem conseguido criar inúmeras oportunidades de emprego em vários segmentos. Algumas das vagas, porém, não conseguem um ou mais candidatos sequer, justificado pelos empresários como falta de mão de obra qualificada. O problema é tão latente que o governo e as iniciativas privadas têm promovido uma série de cursos qualificativos.

A consultoria internacional de recursos humanos Manpower indicou, recentemente, que os empresários possuem lá grau de razão. Segundo a entidade, praticamente dois terços dos empregadores pelo país têm enfrentado dificuldades em encontrar trabalhadores especializados.

Reportagem do UOL ressalta que embora o problema no Brasil seja alto, só não é maior que o existente, atualmente, no Japão, onde três quartos das empresas passam por esse tipo de dificuldade.

Investir na educação básica ainda é o melhor caminho para a formação do ser humano. Conferindo suporte inicial, a população adquire tato para buscar o que é melhor a si, para deixar de se guiar somente pelo emprego do momento ou aquele que confere status.

Leia mais sobre o assunto e confira dados vistos em outros locais do mundo no UOL.


Para Reinaldo Porto – mestre em Ciências da Comunicação – falar bem em público é de extrema importância em diversas vertentes, entre elas nas chances de conquistar uma vaga no emprego desejado. Ainda de acordo com ele, à medida que o profissional vai crescendo e alcançando seus objetivos, a facilidade na comunicação terá mais importância que o conhecimento teórico.

Está cada vez mais freqüente e com uma demanda cada vez maior a procura por cursos de oratória, onde são cada vez mais destacados a presença de mulheres e jovens em cargos gerenciais que necessitam deste tipo de qualificação.

É imprescindível para o profissional, antes de tudo, ter pleno conhecimento do assunto, o que lhe trará segurança para discorrer sobre o tema sem as chamadas “muletas de linguagem”.

Por Rafael TOTP


Números, prazos, conferências, noites sem dormir para finalizar impostos de rendas e manter as finanças dos clientes em ordem: Essa é a função dos contadores; garantir que as pessoas físicas e jurídicas andem em dia com o fisco. São estes profissionais que passam a vida quebrando a cabeça para garantir o saldo positivo e eliminar o saldo devedor da conta e da vida  dos que lhe procuram.

Caged, Dime, Dctf, Dipj, Cnpj, Cnae, Irrf, Fgts, Inss, Grrf, Icms, PIS, Cofins são palavras desconhecidas da maioria das pessoas, mas são ouvidas diariamente pelos que lidam com contabilidade e é nestas mãos que encontram-se os documentos de seus clientes, bem como a segurança que no final mês tudo estará em dia, tanto os negócios como a consciência.

Por Teresa Almeida


Dedicar-se a nutrição é levar as pessoas uma forma de aliar a alimentação à boa forma física e também fazer com que a saúde misture-se nos pratos e seja ingerida pelo corpo. Uma nutricionista dedica a sua vida a aprender sobre a composição dos alimentos e como combiná-los para extrair o melhor de benefícios e que se adeque a cada tipo de organismo

Alguns precisam de proteínas, outros tem deficiência de algum nutriente, atletas que precisam de suplementos e ou dietas que emagrecem sem falta com as vitaminas e aminoácidos fundamentais ao corpo. Muitos recorrem a estes profissionais apenas quando não há outra saída e corpo padece pela má alimentação. O que é  um desperdício.

Um nutricionista é fundamental, pois estuda as características de cada individuo e planeja um cardápio que irá acompanhá-lo em  sua rotina, agregando saúde e boa alimentação.

Por Teresa Almeida


A profissão de cineasta se refere basicamente a um profissional lutando contra tudo e contra todos em um mundo de sonhos, construído por sonhos, e visando entrar no universo dos sonhos de outrem. É um setor de pseudo glamour. Conviver com os melhores rostos e talentos que vemos na telinha, passando para o rolo de filme, os scripts que existem na cabeça e no papel apenas.

Na realidade é um árduo caminho de superação, onde é preciso, para sobreviver,  obstinação e insistência. É um setor do mercado que está repleto de profissionais, mas pouco incentivo e dinheiro a ser empregado. Isso não quer dizer que o sucesso é improvável.

Grandes nomes brasileiros como Murilo Salles e Fernando Meirelles começaram de baixo, como qualquer mortal, e provaram que apesar de competitivo e complicado (como qualquer outra profissão) é possível alcançar o sonho de ser um cineasta e ser recompensado por isso.

Por Teresa Almeida


Uma área que vem crescendo na procura e na exigência de profissionais para atuarem no mercado é o de comércio exterior. Para este ano de 2010 a estimativa de crescimento no setor é de 11% para exportações e 24 % para importações.

A movimentação de contêineres nos portos brasileiros,commodities como minério, petróleo, açúcar e celulose e as transações de grandes organizações fazem com que esse nicho aposte em um aumento de 35%  na procura de profissionais na área, isso em relação ao ano passado. O salário inicial gira em torno de R$2.000,00 e pode chegar em até R$18.000,00. Necessariamente não é preciso ter graduação em comércio exterior. Administradores, economistas e engenheiros com especialização também têm seu lugar garantido.

Mais uma porta que se abre com êxito, no panorama de emprego do país. Momento de aproveitar as oportunidades.

Fonte: Revista Você S/A

Por Teresa Almeida


O dia do trabalho, 1º de maio é comemorado no país com uma bela folga! Mas há mesmo o que ser comemorado?

Atualmente o Brasil apresenta um índice elevado de mão de obra e trabalho formais, com carteira assinada. No entanto, o que se vê são empregados fazendo horas extras, muitas vezes não pagas, devido à pressão da companhia ou do capitalismo selvagem no qual vivemos.

Por lei, um empregado deve descansar pelo menos 10 horas entre o término do dia de serviços e o início do novo dia. O que vemos hoje é a concorrência dentro de grandes empresas dos próprios funcionários, que devem bater metas e por isso acabam sacrificando a vida familiar e pessoal.

Muitas vezes o dinheiro extra chega, mas na maioria dos casos, o empregado que trabalha demais, acaba não tendo um bom desempenho profissional por encontrar-se em situação extrema de cansaço e estresse. É preciso pegar leve para pegar no batente.


O emprego na indústria cresceu 0,6% em fevereiro na comparação com o mês anterior, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esta é a segunda alta consecutiva apurada nessa base de comparação. Em relação a fevereiro do ano passado, o crescimento foi de 0,7%, na primeira alta desde novembro de 2008.

Já o resultado acumulado dos últimos 12 meses mostra queda de 4,8%. O número de horas pagas na indústria, entretanto, apresentou alta de 1,5% na comparação entre janeiro e fevereiro de 2010.

Segundo especialistas do IBGE, apesar da crise, o crescimento do mercado de trabalho do setor começa a apresentar aceleração.

Fonte: Zero Hora

Por Fabrício Fuzimoto


Independentemente da fase e do estado emocional encontrado no seu emprego, sempre procure fazer questionamentos e se questionar se está trabalhando no lugar certo e ganhando o que merece.

Sempre pergunte: “Você está ganhando o que merece?”, “Você está preso a um emprego chato e sem futuro?”, “Você gosta de verdade do que está fazendo?”, “Você quer continuar trabalhando na mesma área pelo próximos 20 anos?”.

Se na maioria das perguntas a resposta é negativa, saiba que está andando em uma área perigosa, afinal além de desconte pode estar em um local que não lhe valoriza nem oferece oportunidade de crescimento.

Sempre procure ser feliz em um local onde seja possível uma valorização profissional e um reconhecimento financeiro, para assegurar o futuro e uma qualidade de vida merecida.

Por José Alberi Fortes Junior


Anteriormente, as empresas tinham uma filosofia na construção do profissional, ou seja, eram contratados estagiários que durante a carreira eram incentivados a cursar faculdades ou universidades e ainda pós graduações.

Porém essa visão, vem se alterando gradativamente,as empresas buscam profissionais já com graduação, e quanto maior a qualificação melhor e atualmente também a visão do profissional contratado está mais exigente.

Cursos, graduações, pós, especializações são procuradas pelos profissionais a fim de se qualificar para ingressar em uma empresa em um cargo superior.

Sendo assim, as empresas estão cada vez mais exigentes, mas o próprio profissional está se exigindo mais.

Por José Alberi Fortes Junior.


A Veris Faculdades promove, no próximo dia 13 de abril às 19 horas, em sua própria Unidade em São Paulo (Avenida Paulista, 302 – Bela Vista), a palestra “A crise passou? Reflexos na economia e na sua carreira”.

A palestra abordará temas como a crise nas empresas e os perfis de profissionais que as empresas procuram e será ministrada por José Luiz Niemeyer –  coordenador do curso de Relações Internacionais do IBMEC do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte – e por Marcus Vono – diretor de Recursos Humanos e Carreiras do Grupo IBMEC Educacional.

O evento será de caráter gratuito e será dirigido a pessoas que buscam recolocação profissional ou pretendem estar mais preparados para enfrentar este momento pós-crise. As inscrições podem ser feitas pelo telefone: 0800.723.1818

Rafael TOTP


Na cabeça de muitas pessoas, ter mais de 40 anos significa que, caso não esteja inserida no mercado de trabalho, é praticamente impossível entrar neste campo tão competitivo. Mas muitos especialistas afirmam que é justamente nesta idade que surgem os profissionais mais preparados para cargos de gerência e chefia: eles já tem experiência e maturidade profissional.

Mesmo com bagagem, hoje em dia o mercado tem as suas exigências: o profissional deve saber lidar com recursos da informática, e ter outro idioma é bem visto. Estudos e especializações também devem ser contínuos. As maiores dificuldades terão aqueles que estão acima dos 40 anos e ainda não possuem experiência no mercado de trabalho.

Raphael Ramirez

Fonte: G1


Especialistas no setor de gastronomia dizem que este é o melhor momento da área. E, para quem está a procura de emprego, saiba que quem se especializa tem grandes chances de arrumar bons empregos no mercado atual.

E, para aqueles que não querem ser empregados, mas sonham em ter seu próprio negócio, já podem ficar mais animados, além de estar num bom momento, o setor parece que tende a melhorar com a Copa do Mundo de 2014 sediada aqui no Brasil. Portanto, quem estiver interessado tem até um tempo para se estruturar e abrir o seu negócio.

Vale lembrar a importância de se qualificar para oferecer com excelência o serviço.

Segue algumas dicas de sites para você se informar sobre os cursos na área:  www.bh.estacio.br, www.mg.senac.br, www.e-iga.com.br.

Boa sorte!


Cresce cada vez mais um ramo de empregatício pouco explorado por alguns profissionais. São empregos para cuidador de idosos, que nasceu da demanda cada vez maior, já que existem hoje aproximadamente 3,8 milhões de idosos com algum grau de dependência no país.

Segundo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)  é de que em 2050 a população de idosos será de 63 milhões de pessoas. Por isso, o Ministério da Saúde, visando atender essa demanda, está planejando capacitar 21mil cuidadores de idosos até 2011, com o Programa Nacional de Formação de Cuidadores de Idosos. Os cursos de capacitação serão gratuitos, e tem uma carga horária que pode variar de 80 a 160 horas.

Em SP, quem deseja se candidatar, deve acessar o site www.sp.senac.br/bolsasdeestudo, pois há um processo seletivo. Para outros lugares, deve pegar informações pelo site http://www.senac.br/.

Por Fabrício Fuzimoto


Segundo a pesquisa da SEADE (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados) e do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), as mulheres no ano passado ocuparam um número maior de cargos, porém as condições de salário ainda permanecem inferiores a dos homens.

Os pontos positivos foram em relação a taxa de desemprego na RM de São Paulo, que teve uma pequena queda entre o sexo feminino, em 2008 era de 16,5% e em 2009 de 16,2%. Em relação aos homens, essa taxa teve aumento. Elas ainda ocupam mais os cargos que possuem a maior presença feminina que é a de serviços e o de serviço doméstico. Quando se trata do salário, as mulheres ainda recebem menos que os homens. Em um cargo de nível superior, a remuneração feminina chega a ser 30% menor que a dos homens. De um modo geral, o espaço da mulher no mercado de trabalho cresce lentamente.


As áreas da Saúde, Educação e Construção são apenas alguns dos setores que enfrentam escassez de profissionais qualificados no estado de São Paulo. Segundo o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), em alguns estados pode haver falta de profissionais específicos de algumas áreas, como no sul, em Santa Catarina, a indústria pode enfrentar esse dilema.  Já nos estados da Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Norte o problema é outro, o excesso. As mesmas áreas que enfrenta escassez de qualificação em São Paulo, no nordeste o contingente é muito maior que as vagas disponíveis.  Atualmente, considerando o país, os dois segmentos que necessitam de mais profissionais qualificados são comércio e reparação, seguidos de saúde, educação e serviços sociais. Já as com excesso são de serviços sociais, coletivos e pessoais e também o industrial.


Apesar das boas expectativas em relação ao aumento de oportunidades de empregos nesse ano, comparadas a 2009, um grande número de desempregados não será beneficiado por essa ampliação. Além do número de vagas não atender a quantidade de trabalhadores que estão a procura de cargos, um dos pontos que dificulta esse preenchimento das vagas é a falta de qualificação. Do total de desempregados, apenas 1,9 milhão possuem qualificação para se candidatar.  Esses dados são da recente pesquisa realizada pelo IPEA  – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.  A falta de experiência também prejudica na hora de se conseguir o emprego, características que são fundamentais no mercado de trabalho.


O WTTC – World Travel & Tourism Council – é uma entidade que anualmente os maiores empresários do ramo de turismo existentes no mundo.

Para satisfação, o Brasil está em 13º colocado no hanking que qualifica as maiores economias do setor, se mantendo no mesmo lugar que o ano passado. Tal relatório é importante para mostrar a importância que o turismo tem no PIB nacional, com geração de empregos, entrada de dinheiro estrangeiro, aumento de investimentos privados e públicos etc.

Segundo o ministro de turismo, é uma boa colocação para o Brasil, se levarmos em consideração o período pelo qual passou o mundo, durante a crise mundial. Isso significa que os investimentos continuam e, com o equilíbrio da economia, a tendência é aumentar.

Com a Copa e Olimpíadas se aproximando, o Brasil também está em 10º na lista dos países que devem produzir grande volume de geração do PIB, com aumento no número de empregos, investimentos, crescimento etc.

Estudos feitos pelo SENAC revelam que profissões como recepcionista de hotel, concierge e bartender estão em franco crescimento.

Essa pesquisa serviu para orientar escolhas de cursos e apontar os setores em vias de expansão ocupacional, a exemplo da hotelaria, comércio, beleza e gastronomia.


Com a revolução industrial, e posteriormente a globalização, o mercado de trabalho começou a se tornar cada vez mais competitivo, e esse fato trouxe a tona à discussão sobre a lealdade no ambiente de trabalho.

Devemos ser leais a quem ao chefe a si mesmo, ou aos seus amigos? Depende do seu ponto de vista. Atualmente a novela da 6 da rede globo trouxe à tona essa discussão. Nela o protagonista era um ser arrogante e prepotente e, após perder tudo, passou a valorizar mais a sua família e amigos.

Se seu amigo erra uma coisa insignificante? Não vejo necessidade de contar para o chefe. O mercado de trabalho é competitivo sim, mas você toma as suas próprias decisões e pode optar pelo caminho da generosidade ou do egoísmo.

Então, qual será a sua escolha?


Difícil decidir uma profissão! Em qualquer etapa da vida, decisões implicam em planejamento, e de certa forma, até uma previsão de como desejamos o futuro. Existem situações em que não é uma decisão, mas o acaso. Indicação do serviço e, por necessidade, inicia-se uma atividade que prevalece pelo resto da vida. Ainda, pode ocorrer a alternância de empregos: para alguns que detestam rotinas, outros, sempre dispensados, uns acabam envolvidos em intrigas e fofocas ou, a melhor das opções, por escolha própria.

A necessidade é a chave de todo processo da vida profissional. A necessidade financeira, status social, por questões de integração para alcance de um ideal, hobby, sentir-se útil, pela possibilidade de fazer a diferença, por liderança e outras tantas peculiaridades. Neste caso, afirmar que o ser humano conduz suas decisões diante de uma necessidade de existência significa refletir, profundamente, sobre cada escolha.

Patricia Gujev


O profissional formado em desenhista técnico em mecânica pode atuar em diversos segmentos que segmentos como a metalurgia, automobilística, materiais de transporte e outros.

Sob a supervisão de um designer ou de um engenheiro, o técnico faz os desenhos de máquinas e peças. Os profissionais desta área também fazem desenhos e ilustrações para manuais técnicos.

Para seguir nesta área é necessário ter criatividade e visão espacial, para fazer um melhor detalhamento de elementos mecânicos sem alterar suas informações dimensionais.

A remuneração média para estes profissionais fica em torno de R$ 1.800. É possível fazer o curso técnico junto ao ensino médio.

Por Rosana Radke


O técnico em mecânica veicular trabalha no acompanhamento da fabricação de veículos aeronáuticos, automotores e de embarcações. Através de avaliação e análises técnicas, realiza o reparo e a manutenção necessária nos sistemas mecânicos, elétricos e eletrônicos.

Os profissionais podem atuar em empresas que fabricam automóveis, embarcações navais e aéreas, e na manutenção de veículos.

Para fazer um curso técnico em mecânica veicular é necessário já ter concluído o ensino médio ou estar cursando e fazer o curso técnico no contra-turno.

O curso prioriza conhecimentos na área de eletrônica, mecânica e hidráulica. Os salários chegam a R$ 1.500 em início de carreira.

Por Rosana Radke


O bacharel em biblioteconomia classifica, organiza e conserva o acervo de centros de documentação, bibliotecas e escritórios.

Além disso, o bibliotecário é responsável por ordenar jornais, revistas, mapas, livros e documentos, usufruindo de ferramentas informáticas se necessário.

A faculdade possui matérias básicas para auxiliar o bacharel em sua formação, como sociologia, língua portuguesa, língua inglesa e literatura. Também possui matérias específicas do curso, como planejamento e organização, informática aplicada à biblioteconomia e paleografia.

A profissão de bibliotecário é regulamentada por lei desde 1965. Os salários iniciais são de em média R$ 1250. A faculdade dura em torno de quatro anos.

Por Rosana Radke


Supervisionados por engenheiros eletrônicos, o profissional técnico em eletrônica tem habilidade para fazer a instalação de equipamentos eletrônicos, como computadores, aparelhos de som e outros.

Além disso, o técnico em eletrônica testa aparelhos, faz o diagnóstico de problemas nas peças, realiza manutenção preventiva, inspeciona componentes para testar sua conexão e conserta peças eletrônicas.

Com remuneração que gira em torno de R$ 1500, o mercado para técnico em eletrônica está em ascensão. As disciplinas mais vistas durante o curso são as de eletrônica, eletricidade e informática. Ainda é necessário realizar estágios em empresas que contam como carga horária para o curso.

Por Rosana Radke





CONTINUE NAVEGANDO: