O desemprego afeta, além da situação financeira da pessoa, seu estado emocional o psicológico. Algumas vezes o individuo fica ate mesmo com depressão e, quanto maior o tempo de desemprego, maior será a pressão e os problemas, aparentemente, crescem significativamente.

Por isso, a Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT) do governo de São Paulo, reconheceu esse “abismo” aberto em alguns currículos por esse fator e criou um programa que visa reorientar e recolocar a pessoa no mercado de trabalho.

Buscando no exterior esse auxilio, todos estão com um único objetivo formar um time contra o desemprego, entre para esta equipe você também!

Mais informações no site www.emprego.sp.gov.br/programas/qualificacao.

José Alberi Fortes Junior.


Para quem busca uma recolocação no mercado, usar de seus contatos é importante e em muitos casos, fundamental.

Saber calçar sua carreira com um histórico de amizades e coleguismo é importante, afinal todo o mercado de trabalho funciona como ciclos, e se em algum momento você é chefe ou colega, em outro poderá ser subordinado.

Com essa visão mais global e olhando sempre para o futuro, evite confrontos inúteis e sempre busque ajudar os colegas, subordinados e superiores, pois do dia de amanhã ninguém sabe. Quem você ajudar hoje, poderá te ajudar em um futuro não muito distante.

Por José Alberi Fortes Junior


Muita coisa é fato, mas há muita ficção no campo de recolocação profissional, embora alguns opinem de acordo com o que “acham”, o que define as regras são, o critério e a necessidade da empresa e a avaliação técnica dos selecionadores.

Vejamos algumas ficções:

– O profissional com mais de 35 anos de idade sempre será preterido numa concorrência com pessoal mais jovem. Há situações nas quais prevalecem, mais preparo e maiores conhecimentos, independentemente da idade do candidato.

– Para conseguir um novo emprego basta enviar muitos currículos. Isso não é verdade, pois as empresas buscam pessoas interessadas e que administram bem o tempo disponível fazendo cursos e enriquecendo os seus conhecimentos.

Alguns fatos:

– Palestras de recolocação e cursos gratuitos abrem caminho para o novo emprego. Isso é verdade! Embora exista quem não valorize esse tipo de iniciativa, ela funciona. Nesses eventos, sempre, são cadastrados currículos e disponibilizados às empresas que aproveitam esse pessoal treinado em seus quadros.

– A prestação de trabalho voluntário, ou de cunho social, contribui na hora de uma avaliação diante das empresas. Sim! As empresas buscam colaboradores que sejam bons cidadãos.

Por Lindomar Vieira





CONTINUE NAVEGANDO: