É difícil julgar quais ações devem merecer elogios e reconhecimento. Parabenizar o funcionário por cumprir sua carga de trabalho de forma assíduo e pontual é valido? Ou seria premiar apenas a obrigação dele?

O reconhecimento publico deve ser pelos diferenciais, pelo algo a mais, não necessariamente pelo cumprimento do dever. Vemos alguns bônus ou gratificações em campanhas motivacionais serem ofertados para quem não falta, não chega atrasado e não sai mais cedo. Estes deveriam ser os parâmetros corretos de premiação?

Um cuidado com as ações e justificativas para criar campanhas de motivação devem ser tomadas para que a empresa não se torne refém de seus próprios atos.


Uma das formas de se baratear a produção é terceirizar sua mão-de-obra. A seleção, contratação, demissão, treinamento e qualidade do serviço é toda da responsabilidade da empresa contratada.

Esse processo ocorreu com quase todas as empresas privatizadas. Os mesmos cargos que antes eram onerosos e continham grandes benefícios agora tem salários mais baixos e grande parte dos benefícios foram cortados. O turnover aumentou consideravelmente e a qualidade do serviço, para alguns consumidores, diminui.

Porém a terceirização permite uma maior competitividade nos preços e uma maior agilidade nas mudanças e adaptações para o mercado.

Empresas que antes optaram pela terceirização hoje estão migrando para a efetivação dos seus quadros de funcionários, isso devido ao maior rigor de fiscalização das agencias de fiscalização.





CONTINUE NAVEGANDO: