Buscar cursos de especialização e valorizar a si mesmo são algumas dicas que dão certo

Investir em sua carreira é fundamental para sair da rotina, ganhar um salário maior e ter satisfação pessoal. Fazer esse tipo de investimento, nada mais é do que acreditar em si próprio, que é capaz de conquistar coisas maiores e melhores, e saiba que esse perfil é muito valorizado por todos os tipos de empresas.

Mas muito se perguntam: quando e qual é a melhor maneira de investir na carreira e se destacar na sua área de atuação? Se você está à procura dessa receita, aqui vamos postar dicas que poderão ajudar nessa sua conquista.

– O que fazer?

A primeira coisa que você deve pensar é no que realmente gosta de fazer, pois se estudar em uma área somente pelo retorno financeiro ou por causa do mercado de trabalho, isso pode gerar frustração e desperdício de tempo que é precioso.

Seguindo essa linha de raciocínio, é considerado como o melhor tipo investimento aquele que proporciona realização pessoal, por isso, é fundamental estudar mais e mais aquilo que se identifica.

Se por acaso já está formado em um curso de nível superior, você pode optar em realizar um curso de pós-graduação, mestrado, curso de especialização, cursos de línguas, entre outras coisas que com certeza ajudarão na hora de conseguir se destacar na sua área de atuação.

– Valorização

Após ter se qualificado profissionalmente, chega o momento em que precisa se valorizar, por isso, liste quais são suas habilidades, ideias, conhecimentos e experiências que podem agregar na empresa que está ou deseja ingressar. Tudo isso deverá ser mencionado em uma possível entrevista que surgir.

– Crie seu futuro

Os profissionais muitas vezes não acreditam no seu potencial e acabam aceitando qualquer proposta, por isso, a última dica de hoje está em criar seu futuro promissor, mesmo que isso gere um fator de risco.  

Muitas vezes é melhor arriscar do que não tentar e a única pessoa que pode fazer isso é você mesmo, por isso, ouse para conquistar seus sonhos. 

Por Yasmin Fernandes Robles


Já não é de hoje que ouvimos falar que nos setores de tecnologia, informação e comunicação sobram oportunidades profissionais. Em pesquisa encomendada pela CISCO, em uma estimativa para 2015 esse número chegará à casa das centenas de milhares, quase 120 mil.

O preenchimento dessas vagas esbarra no despreparo dos profissionais com o perfil desejado pelas empresas no Brasil. Segundo a CISCO, o país forma cerca de 22 mil profissionais todos os anos e a demanda supera 40 mil postos de trabalho neste tempo. Os salários são altos e podem chegar sem dificuldades a R$ 20 mil mensais.

Segundo especialistas, essa deficiência de profissionais só verá possibilidade de ser sanada quando houver investimentos maciços em educação, inserindo o ensino de informática já nos anos iniciais de ensino. Além disso, o nível da educação básica no Brasil não favorece a melhora desse quadro. O país apresenta ano após ano um desempenho muito ruim nos índices de educação na comparação com outros países, o que inclui um ensino deficiente nas áreas de exatas que são essenciais na formação de bons profissionais de tecnologia. Portanto, a inserção de computadores e tablets como tem sido visto não irá reverter esse quadro se apresentando como medida isolada.

Por Bruno Hardt





CONTINUE NAVEGANDO: