Ficar desmotivado e trabalhar por obrigação são alguns sinais de comodismo que podem aparecer em funcionários antigos

Os profissionais que passam anos trabalhando na mesma empresa podem ficar desmotivados, acomodados e até se esquecerem de que podem ser demitidos. Dessa forma, pequenas atitudes podem provocar falhas e a pessoa acabar perdendo o emprego. Você está há muito tempo trabalhando na mesma organização? Confira algumas dicas e tente sair do comodismo.

– O profissional trabalha apenas por obrigação

Ao entrar na empresa, o profissional está cheio de energia e gás para dar o seu melhor. Ou seja, ele veste a camisa da empresa, dedica e cumpre as suas obrigações com paixão e vontade. Entretanto, ao longo do tempo, ele acaba perdendo a motivação e faz as coisas apenas por obrigação.

Isso reflete nos seus esforços, e, assim, ele vai se dedicando menos aos objetivos profissionais e adota uma postura muito limitada.

– Falta de ideias e criatividade

No início, é comum que o novo profissional queira contribuir com ideias criativas para a organização. Todavia, com o tempo, a pessoa pode ficar desmotivada e perder o interesse em contribuir com novas ideias para o crescimento da empresa.

– Ficar parado no tempo

Muitos profissionais que estão há dez anos no mesmo cargo, não estudam para aprender novas técnicas ou ficarem atualizados na área. Devido a isso, eles ficam parados no tempo e perdem a chance de crescer, se valorizarem profissionalmente e adquirirem novos conhecimentos. As empresas investem em profissionais que buscam o crescimento e queiram melhorar o seu potencial na área.

Portanto, invista em um idioma novo, uma pós-graduação, um mestrado, doutorado, e não fique parado no mesmo lugar.

– Reclamação em excesso

Funcionários com muito tempo de casa tendem a reclamar em excesso e o tempo todo falam mal da empresa. Além disso, eles não fazem muita coisa para mudar a situação. Por isso, evite falar qualquer coisa no seu ambiente de trabalho e, antes de reclamar, veja em que pode melhorar a situação. 

Por Babi


Buscar cursos de especialização e valorizar a si mesmo são algumas dicas que dão certo

Investir em sua carreira é fundamental para sair da rotina, ganhar um salário maior e ter satisfação pessoal. Fazer esse tipo de investimento, nada mais é do que acreditar em si próprio, que é capaz de conquistar coisas maiores e melhores, e saiba que esse perfil é muito valorizado por todos os tipos de empresas.

Mas muito se perguntam: quando e qual é a melhor maneira de investir na carreira e se destacar na sua área de atuação? Se você está à procura dessa receita, aqui vamos postar dicas que poderão ajudar nessa sua conquista.

– O que fazer?

A primeira coisa que você deve pensar é no que realmente gosta de fazer, pois se estudar em uma área somente pelo retorno financeiro ou por causa do mercado de trabalho, isso pode gerar frustração e desperdício de tempo que é precioso.

Seguindo essa linha de raciocínio, é considerado como o melhor tipo investimento aquele que proporciona realização pessoal, por isso, é fundamental estudar mais e mais aquilo que se identifica.

Se por acaso já está formado em um curso de nível superior, você pode optar em realizar um curso de pós-graduação, mestrado, curso de especialização, cursos de línguas, entre outras coisas que com certeza ajudarão na hora de conseguir se destacar na sua área de atuação.

– Valorização

Após ter se qualificado profissionalmente, chega o momento em que precisa se valorizar, por isso, liste quais são suas habilidades, ideias, conhecimentos e experiências que podem agregar na empresa que está ou deseja ingressar. Tudo isso deverá ser mencionado em uma possível entrevista que surgir.

– Crie seu futuro

Os profissionais muitas vezes não acreditam no seu potencial e acabam aceitando qualquer proposta, por isso, a última dica de hoje está em criar seu futuro promissor, mesmo que isso gere um fator de risco.  

Muitas vezes é melhor arriscar do que não tentar e a única pessoa que pode fazer isso é você mesmo, por isso, ouse para conquistar seus sonhos. 

Por Yasmin Fernandes Robles


Mudar de posição com frequência, fazer exercícios físicos e apoiar os pés ajudam muito a evitar os desconfortos de trabalhar em pé

Trabalhar por muito tempo em pé é cansativo e desgastante e pode provocar problemas para a saúde. Como, por exemplo, acelerar o aparecimento de vasinhos, o que pode agravar as varizes, principalmente, para quem tem tendência à formação. Além disso, gera cansaço, inchaço nas pernas e causa muito desconforto no fim do expediente, sobretudo para quem trabalha na mesma posição o dia inteiro.

A pessoa que trabalha em pé deve procurar mudar de posição com frequência, para evitar dores nas costas, inflamações, inchaços na perna, problemas relacionados à circulação, cansaço muscular, entre outros.

Além disso, durante o dia é importante que a pessoa tente transferir o peso de um pé para outro, ou apoiar um dos pés em um objeto mais alto. Assim, a pélvis é levada para trás e a carga que há sobre os músculos das costas diminui.

O alongamento também é extremamente importante para quem precisa ficar em pé por longos períodos do dia, assim como, fazer pequenas caminhadas de pelo menos 10 minutos com passos firmes e vigorosos.

Qual o sapato que você escolhe para trabalhar?  Se você fica em pé por muitas horas, use calçados leves e confortáveis, para aguentar melhor a rotina do expediente. Além disso, procure fazer exercícios físicos.

Muitas empresas têm convênios com academia ou incluem exercícios na rotina. Porém, se no seu local de trabalho não conta com atividade física, aproveite o seu tempo livre para ir a academia, fazer caminhada e alongamento.

Durante o almoço ou nos intervalos do seu trabalho, procure sentar por alguns minutos, para descansar.

Trabalhar em pé, realmente, é um desafio e uma rotina de resistência. Por isso, é importante que a pessoa procure se cuidar , porque com o tempo podem aparecer dores  de forma eventual, entre outros tipos de problemas. Prevenir é sempre a melhor opção, portanto tenha cuidado e anote as dicas para facilitar o seu dia a dia no trabalho. 

Por Babi


A prática pode trazer muitos benefícios para o funcionário e para o ambiente de trabalho

Nosso corpo precisa estar em sintonia com nossa mente, para conseguirmos dar o máximo de nós, por isto, a meditação no trabalho traz tantos benefícios, ainda mais nos dias de hoje, onde a concorrência é muito grande e a pressão por melhores resultados é cada vez maior. Se você estiver focado em seu objetivo, as chances de alcançá-lo serão grandes.

Quando meditamos em nosso local de trabalho, adquirimos forças para alcançar todo nosso potencial profissional e tem um outro detalhe importante, que é o fato de que, quanto mais você praticar a meditação no trabalho, melhores serão os resultados obtidos.

A meditação já foi vista como algo esotérico, ligado aos problemas do dia a dia, mas atualmente são muitas as empresas que incentivam os seus funcionários a reservarem um período durante o expediente para a meditação, comprovando que são muitos os benefícios desta prática.

E os benefícios da meditação no trabalho são muitos: fortalece o nosso corpo e nossa mente de forma que suportamos muito melhor a pressão do dia a dia; fortalece nosso sistema imunológico, nos livrando de doenças e garantindo maior produtividade; equilibra nosso sistema nervoso fazendo com que o relacionamento com os colegas de trabalho seja sempre o melhor possível; melhora o raciocínio fazendo com que tenhamos ideias inovadoras para o trabalho e também que busquemos melhores soluções para a resolução do problema e faz com que possamos ter mais foco no trabalho, evitando a distração na hora do serviço, o que certamente garantirá um ótimo retorno para a empresa.

A meditação no trabalho também proporciona a reduz do estresse, traz mais tranquilidade para o ambiente, torna o funcionário mais confiante, ajuda também a pessoa a lidar melhor com as mudanças do mercado, torna a pessoa mais criativa e também ajuda a desenvolver sua intuição.

Os benefícios da meditação no trabalho resultam em uma qualidade de vida melhor para o profissional e também faz com que a empresa conte com benefícios, principalmente relacionados ao aumento da produção e maior retorno financeiro.

Por Russel


Constantemente as empresas estão em busca de profissionais que, realmente, somem ao grupo organizacional. Ter uma boa formação acadêmica e excelentes especializações não é o único requisito: colaboradores responsáveis, proativos, dinâmicos e engajados são o foco dos entrevistadores. 

Mas o que será que um bom profissional deve, obrigatoriamente, ter como qualidades principais? São exatamente estas qualidades que iremos abordar neste artigo: veja as 10 principais características de um profissional considerado bom e competitivo ao mercado de trabalho

1- Afinidade com a empresa: Possui como objetivos a serem atingidos os mesmos de sua nova empresa. Por isso, cada nova conquista corporativa significa uma conquista pessoal. 

2- Ambição: Profissionais ambiciosos, que gostam de ir além, submetem-se ao desconhecido e ao diferente, ou seja, aceitam novos desafios com facilidade. 

3- Automotivação: Colaborador que desenvolve suas tarefas sem a necessidade de motivações externas. Não espera por estímulos de terceiros. 

4- Autonomia: Um profissional com autonomia própria não espera que os outros façam por você. Ele planeja as ações por si só e "coloca a mão na massa". 

5- Comunicação: Ser bem comunicativo é imprescindível em meio ao ambiente corporativo. Saber expressar suas ideias com facilidade chama a atenção dos contratantes. 

6- Comprometimento: Cumprir com todos os objetivos e tarefas propostas é o mínimo que se espera de um profissional. Doar-se à empresa, de modo que supra todas as necessidades direcionadas á função é destacável. 

7- Flexibilidade: Colaborador aberto a novos desafios e mudanças, sem analisá-las como ameaças. 

8- Inovador: Profissionais criativos e que, acima de tudo, apresentam novas ideias, seguindo uma constante. 

9- Integração: Aqueles que mantêm um bom relacionamento interpessoal conseguem integrar-se à equipe com mais suavidade e facilidade. Pode ser adicionada à integração a facilidade de trabalho em equipe. 

10- Gerenciamento de tempo: Um funcionário que sabe lidar com seu tempo ganha pontos. Não "perder" tempo e utilizá-lo com maestria, direcionando-o a questões realmente importantes, é uma qualidade bastante apreciada. 

Por Tati M.


Bons profissionais sempre têm boas oportunidades de emprego e às vezes é preciso escolher entre se manter estável no atual emprego ou encarar novos desafios, seja por melhores salários ou realização profissional. Ás vezes, o atual emprego nem é o dos sonhos e esse é outro motivo que faz diversos profissionais buscarem novos cargos.

Mas ao deixar o antigo emprego, lembre-se: não é hora de desabafar e lavar a roupa suja, é preciso ter cuidado, para manter um bom networking. Até por que o melhor é levar consigo apenas coisas boas, as ruins encare como passado e aprendizado.

Além disso, muitas dúvidas cercam esse momento. E se não for a escolha certa? É preciso manter sempre as portas abertas para um possível retorno quando for o caso. E a última conversa, principalmente com o RH deve ser cercada de alguns cuidados. O profissional deve falar tudo o que pensa na entrevista de demissão?

Algumas dicas são preciosas para manter uma boa postura profissional tais como o que dizer, como se portar, e principalmente o que não dizer.

Selecionamos algumas dicas do que se deve fazer nesse momento de despedida.

O que devemos dizer:

– Agradeça a oportunidade, reconheça o quão importante aquela empresa foi para seu crescimento profissional. Lembre-se que mesmo que aquele não tenha sido seu emprego dos sonhos ele estará sempre no seu currículo, e de qualquer forma, você querendo ou não contribuiu sim para sua formação.

– Um e-mail é de bom tom, mas apenas para seu setor, ou para aqueles mais próximos. Porém se atente para ser objetivo, coloque-se à disposição para esclarecer qualquer dúvida futura, demonstrar boa vontade e parceria deixa boas impressões.

– Dependendo do tamanho da empresa, despeça de um por um. Uma relação mais estreita pode valer outras oportunidades ou indicações, lembre se um bom networking é fundamental para seu crescimento em qualquer setor.

– Na dúvida não fique calado. Abster-se de comentários também pode parecer arrogância, basta falar pouco e pensar antes nas palavras. Seja objetivo.

Por Vivian Schetini


A obsessão por trabalho excessivo durante o dia pode fazer com que as pessoas se esqueçam delas mesmas e também de outras tarefas que a valorizem como pessoa. Saber separar momentos de descanso e relaxamento depois de longas jornadas de trabalho é essencial também para um bom desempenho no trabalho. Se a mente e o corpo não estiverem bem descansados você não se sentirá produtivo.

Shirley Ferraz Crispilho, fisioterapeuta do Hospital San Paolo, diz que devemos fazer alongamentos diariamente, mesmo quando não temos esforço físico no trabalho. Apenas fazer esportes e frequentar academia não é o suficiente para um bom equilíbrio e o funcionamento do corpo. O alongamento é uma técnica terapêutica capaz de esticar os músculos e prepará-los para a atividade adequada. Dessa forma, seu corpo irá se adaptar aos movimentos necessários do corpo. O alongamento também é importante após a realização de atividades físicas, pois ajuda a tonificar os músculos e elimina toxinas indesejáveis.

Fazer pausas em um dia cheio de trabalho para ter um momento de relaxamento recarrega as energias perdidas durante o dia e melhora o estresse, a depressão, a hipertensão e a ansiedade. E para isso, são necessários apenas alguns minutos por dia, nos momentos mais estressantes, como no meio de um trânsito, numa reunião ou numa agenda lotada. A fisioterapeuta diz que sentimentos como frustração, raiva, medo e rancor deixam o corpo sobrecarregado e dificulta a organização das ideias. Após o relaxamento, a tendência é que a mente fique leve e livre de pensamentos indesejáveis.

Você pode aperfeiçoar seu desempenho pessoal até mesmo durante seu expediente. Para isso, estique braços, pescoço e pernas, isso irá conduzir seu equilíbrio, levando-te a um bem estar corporal e mental, além de manter sua postura correta, diminuindo o cansaço decorrente de suas tarefas excessivas e repetitivas. Quando mente e corpo estão equilibrados, nossa vida também está. Cansaço pode ser normal quando não compromete nossa saúde de um modo geral e significativo.

Por Daniela Almeida da Silva


Segundo pesquisa da consultoria PwC, o número de profissionais certificados na atividade de coach mais que triplicou em apenas três anos. A procura por essas pessoas está crescente e o problema maior são os oportunistas que se aproveitam da oferta do mercado para se aventurarem e enganar empresas.

Outras situações acontecem quando o próprio profissional contrata um coach – aproveitando dos preços que caíram para a contratação – e acabam confundindo o trabalho desse profissional. Não é qualquer tipo de treinamento que se pode chamar de coaching, segundo o psicólogo João Mendes e coautor de livros sobre o assunto.

O primeiro cuidado que se precisa ter antes de contratar um coach é saber que ele pode até ser um psicólogo ou psicoterapeuta, contudo ele vai tratar de questões profissionais e não pessoais. Mesmo que seja um trabalho íntimo e individual, ele não mexe com os aspectos emocionais do profissional.

O coach precisa ter algum tipo de experiência profissional, é isso que mais vai auxiliar quem o contratou. Se o coach já foi gerente, ele poderá auxiliar gerentes, mas será incapaz de ajudar um diretor profissionalmente. Outra situação é avaliar o certificado que o coach tem. Existem várias entidades que certificam, mas poucas são realmente sérias. Para conseguir se tornar um profissional da área, ele precisa passar por semanas de aulas, conferências, leituras e atendimentos supervisionados. Sem isso, o certificado não é tão válido assim.

O preço que o profissional de coach vai cobrar do cliente também é importante ser notado. Os valores das sessões variam muito, mas o mínimo é R$ 250. Menos que isso a empresa ou o cliente devem desconfiar. O máximo é R$ 3 mil e mesmo assim o coach precisa provar que tem muita experiência e que os seus clientes são importantes para elevar tanto assim o preço.

Os encontros também precisam ser combinados já na primeira sessão. Normalmente são de 10 a 15 sessões, dependendo da situação de cada cliente. Por fim, o contratante deve pedir referências ao coach de ex-clientes para que ele se sintonize e veja se realmente é um profissional que realmente valha a pena trabalhar. 

Por Carolina Miranda


Passamos a maior parte do tempo nosso trabalho, por isso, é necessário saber criar condições de grande convivência neste meio, assim ficamos mais motivados e produzimos melhor. Abaixo estão algumas dicas de como você pode melhorar o ambiente do seu trabalho e se sentir mais livre e feliz:

– Fofocas: este hábito é altamente prejudicial e ruim no ambiente de trabalho, pois além de ser antiético, pode formar uma imagem ruim da pessoa que se envolve e trazer um ambiente desmotivador;

– Foco: pessoas com foco sabem resolver melhor os seus problemas e lidar com a rotina do cotidiano. Por isso, se você tiver foco nada pode te rebater, a menos que você se entregue aos caprichos alheios;

– Otimismo: pessoas otimistas estão sempre prontas para qualquer ocasião. Já as negativas atrapalham toda a produtividade, além de contaminar todo o resto do grupo. Por isso, seja sempre otimista. Evite reclamar e recusar uma nova tarefa por se sentir incapaz, resolva-a e supere-a;

– Flexibilidade: lembre-se sempre que você não pode ser o dono da verdade. Procure ouvir mais e falar menos, você tem muito para aprender com as experiências de seus colegas. Às vezes é necessário ceder, em prol do profissionalismo e da confiança das pessoas;

– Proatividade: não espere ordens, seja proativo. Tenha autonomia em suas decisões e faça a diferença. Identifique e resolva seus problemas com inteligência. É ótimo para a empresa ter pessoas assim e você só tem a ganhar;

– Faça parte: enfim, trabalho em equipe é essencial para o desenvolvimento da empresa e da sua carreira, por isso, aposte, envolva-se e motive-se. Jamais negue auxílio a um colega de trabalho. Seja sempre solícito e disposto a cooperar e ajudar.

Com certeza, todas essas dicas irão influenciar de forma positiva a sua vida, direta e indiretamente, na produtividade do seu trabalho e de toda uma equipe. Pratique-as sempre com exatidão em seu dia a dia e contribua com um ambiente de trabalho inovador e motivador.

Por Daniela Almeida da Silva





CONTINUE NAVEGANDO: