Foi registrado um leve recuo na faixa de 0,1%

Não é segredo para ninguém que a economia brasileira anda muito mal “das pernas”. Para confirmar isso, os primeiros dados sobre o início deste ano foram divulgados. Na passagem do mês de dezembro para o mês de janeiro deste ano, o emprego na indústria, por exemplo, registrou um leve recuo na faixa de 0,1%. Os dados foram obtidos por meio da Pesquisa Mensal de Emprego e Salário realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

É interessante observar um fato interessante nesse ponto. Em dezembro de 2014 o total de empregados havia crescido, representando 0,3%. Por si só já era um aspecto muito bom, já que, com isso, oito meses seguidos de taxas negativas foi interrompido. Nesse período de baixa foi acumulado uma perda de 4,3%.

Se formos um pouco mais longe nas comparações e pegarmos como exemplo o mês de janeiro de 2014, vamos consequentemente obter uma taxa negativa de 4,1%. A título de curiosidade, esse é o 40° resultado negativo seguido nessa forma de comparação. Já o total de trabalhadores empregados na indústria nos 12 meses que se encerraram em janeiro, vamos ter um acúmulo de queda de 3,4%.

O IBGE também divulgou os dados sobre a soma de todos os serviços e bens produzidos no Brasil em 2014. Aqui, os resultados também não foram nada agradáveis. Para se ter ideia, o Produto Interno Bruto registrou seu pior resultado em um período de cinco anos.

Uma das linhas mais afetadas foi o comércio. No ano passado, com as vendas baixas, o setor teve que obrigatoriamente fechar em queda. Em consequência, esse ponto ainda puxou consigo o resultado correspondente ao setor de serviços. Esse último, vale ressaltar, tem um peso maior em relação ao crescimento do país.

Como bem se sabe, a economia de um país depende dos seus mais variados setores. Podemos ter uma ideia maior dessa reação em cadeia quando observamos, por exemplo, a baixa no preço do petróleo e do minério de ferro que, por sua vez, fizeram com que as exportações brasileiras tivessem seu pior desempenho desde 2009.

Podemos citar também a construção civil que teve um “encolhimento” e contribui para o recuo da indústria.

Por Denisson Soares


A empresa MMX Mineração e Metálicos que faz parte do Grupo EBX, holding que atua em diversos setores da indústria, está selecionando candidatos para 13 vagas de emprego que se encontram abertas no momento para os cargos de técnico, gerente e estagiário.

Concorrentes aos cargos de técnico devem ter concluído cursos profissionalizantes nas áreas de: mineração, mecânica, beneficiamento, controle de qualidade, laboratório e elétrica. Para gerente os candidatos devem ser formados em engenharia – elétrica, civil, mecânica e de minas. Estagiários devem estar matriculados em cursos de: administração, arquivologia, biblioteconomia, direito e ciência da informação.

Divulgar salários e benefícios não é costume da empresa, mas eles serão compatíveis com valores praticados no mercado. Para concorrer a uma das vagas você deve acessar o site da MMX e clicar no link 'Portal do Candidato' ou enviar seu currículo para o e-mail: [email protected].

As vagas são para as unidades da empresa que ficam nas cidades de Belo Horizonte e Igarapé, ambas no estado de Minas Gerais, Corumbá, no Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro. O Grupo EBX pertence à Eike Batista, um dos empresários mais ricos do mundo.

Por Thiago Martins


O Cat (Centro de Apoio ao Trabalho) esta com vagas em aberto com processos seletivos para trabalhar na industria ao todo são 841 vagas em todos os segmentos.

São 88 para costureiras, 258 para auxiliares de linha de produção, 138 dessas vagas não precisa ter experiência nenhuma, 12 para mecânico de ar condicionado, 129 para operador de empilhadeira, entre outras.

O salário varia muito de R$ 520 a R$ 2.100 depende da função.

Para alguns cargos exige apenas seis meses e tem vagas para todos níves de escolaridades

Para se candidatar e preciso ir até um Cat mais perto da sua casa com sua carteira de trabalho e Rg e comprovante de escolaridade nos seguintes endereços:

  • Centro: Rua Galvão Bueno, 782 – Liberdade
  • Zona Sul: Rua Barão do Rio Branco, 864 – Santo Amaro

O horário de funcionamento das unidades vai das 7h às 16h, de segunda a sexta-feira.


Mais oportunidades para trabalhar na indústria foram abertas pelo Centro de Solidariedade ao Trabalhador, na cidade de São Paulo. Há 840 vagas para diversos cargos e muitas não exigem experiência na função. As oportunidades em destaque são: costureira, auxiliar de linha de produção, ajudante de eletricista e mecânico de ar condicionado.

As inscrições podem ser feitas em uma das duas unidades do CST. Uma fica localizada na Rua Barão do Rio Branco, 864, Santo Amaro. A outra unidade do CST fica na Rua Galvão Bueno, 782, Liberdade.

A seleção de candidatos começou na segunda-feira, dia 29 e o processo tem previsão de conclusão no dia 3 de dezembro. Os salários variam entre R$520 e R$2.100. Ao ir realizar a inscrição, é necessário levar documentos pessoais e carteira de trabalho.

Por Camila Porto de Camargo

Fonte: R7


De acordo com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), os trabalhadores industriais do estado podem comemorar. É que a indústria carioca bateu recorde na contratação de empregados formais, chegando à marca de 34.681 empregos gerados só no primeiro trimestre deste ano. Isto porque as vendas deste segmento da economia também foram positivas, sendo registrado no mês de março deste ano, um valor 25,7% a mais do que no mesmo período do ano anterior.

Isto mostra como a economia brasileira vem crescendo ultimamente, e gerando resultados positivos para a população do país. O maior destaque obtido na indústria carioca atualmente está na área de transformação, especialmente a voltada para material de transporte, em especial os setores automobilístico e naval.

Fonte: Monitor Mercantil e O Globo

Por Elizabeth Preático


O emprego na indústria cresceu 0,6% em fevereiro na comparação com o mês anterior, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esta é a segunda alta consecutiva apurada nessa base de comparação. Em relação a fevereiro do ano passado, o crescimento foi de 0,7%, na primeira alta desde novembro de 2008.

Já o resultado acumulado dos últimos 12 meses mostra queda de 4,8%. O número de horas pagas na indústria, entretanto, apresentou alta de 1,5% na comparação entre janeiro e fevereiro de 2010.

Segundo especialistas do IBGE, apesar da crise, o crescimento do mercado de trabalho do setor começa a apresentar aceleração.

Fonte: Zero Hora

Por Fabrício Fuzimoto


Segundo dados do IBGE, janeiro de 2010 apresentou um aumento de 0,3% no número de empregos nas indústrias, em comparação ao mês anterior.

Mesmo ainda sendo um número menor do que o registrado em janeiro de 2008, o resultado indica um aumento gradativo nas vagas de emprego registradas a partir do segundo semestre de 2009.

Uma das regiões que apresentou melhora no quadro industrial foi a Nordeste, com 0,2% no aumento do número de empregos, destacando-se os estados do Ceará, Pernambuco e Bahia. Nestes locais a indústria está voltada a produtos alimentícios e calçados, que fazem parte do mercado interno, grande responsável pelo crescimento da economia do país nos últimos tempos.





CONTINUE NAVEGANDO: