Confira aqui a lista de cidades que mais contrataram e demitiram trabalhadores no ano de 2016.

Devido à crise financeira que assola o país, muitas pessoas perderam os seus empregos, isso foi causado devido à instabilidade econômica. Com as vendas em queda, muitas empresas fecharam as portas e a Indústria e o Comércio foram os setores que mais sentiram esse efeito.

Quando as lojas vendem pouco, tecnicamente elas deixam de comprar novos produtos e a indústria tem uma queda na fabricação, pois deixa de vender em grande quantidade, onde a demanda passa a ser cada vez menor, sendo assim, acaba precisando de menos profissionais, gerando o maior número de demissões.

As lojas também decidem enxugar o seu quadro de colaboradores, pois a procura de clientes se torna menor e com medo de se arriscarem deixam de investir adquirindo novos produtos. Os empresários decidem vender todo o seu estoque antes de adquirir uma nova mercadoria.

Quais são as cidades que mais demitiram?

Segundo informações do CAGED (Cadastro Geral de Empregos e Desempregados), mais de 3.000 postos de trabalho fecharam as portas em 2016, fazendo com que o Brasil perca mais de 1 milhão de vagas. O Brasil possui 5.565 cidades, onde as grandes capitais foram as mais atingidas no quesito desemprego, porém, também deve ser levado em consideração que as Capitais possuem o maior número de habitantes. Confira abaixo a lista das principais cidades que mais demitiram em 2016:

Rio de Janeiro: A cidade carioca foi a mais atingida com a crise, entrando em contrapartida com os últimos anos, onde era uma das Capitais que mais contratavam, porém, agora recebe o título da cidade que mais demitiu nesse período de crise. Muitas empresas fecharam as portas e outras reduziram drásticamente o seu quadro de colaboradores, levando 138.168 pessoas ao desemprego.

São Paulo: A capital é conhecida como a terra das oportunidades, porém, devido ao seu número de habitantes, foi à segunda colocada no ranking, tendo 133.500 demissões em 2016.

Belo Horizonte: A Capital Mineira ficou em terceiro lugar, com 41.069 demissões.

Brasília: A Capital do país ficou em quarto lugar, tendo 28.843 demissões.

Salvador: A Capital da Bahia teve cerca de 25 mil demitidos no último ano, ficando em quinto lugar entre as Cidades que mais demitiram.

A Esperança

A crise econômica afeta todos os brasileiros, pois se as pessoas ficam desempregadas elas deixam de consumir e quem está empregado acaba ficando com medo de fazer dívidas com receio do que possa acontecer no futuro. Realmente todos acabam entrando em conflito, por isso o ano de 2017 é um momento de esperança, onde as pessoas mais do que nunca devem manter a esperança de dias melhores. Confira abaixo a lista das principais Cidades que mais contrataram em 2016:

Três Lagoas: A cidade localizada na região Centro-Oeste de Mato Grosso do Sul teve uma grata surpresa no ano de 2016. A cidade ofereceu 3.569 vagas de emprego, sendo a primeira cidade do Brasil que mais contratou nesse período de crise.

Campo Redondo: A cidade do Rio Grande do Norte surpreendeu, pois nos últimos anos não teve um número expressivo de contratações, porém, fechou 2016 com um bom resultado, empregando cerca de 1.990 profissionais, ficando em segundo lugar no ranking.

Juazeiro: A cidade de Juazeiro, na Bahia, foi uma das cidades que mais contrataram novos profissionais, dando oportunidades para o primeiro emprego. 1.956 pessoas foram empregadas no último ano, fazendo com que a cidade ficasse em terceiro lugar.

Nova Serrana: A cidade mineira foi uma das que mais empregaram pessoas que buscavam recolocação profissional. Ficando em quarto lugar no ranking como as cidades que mais contrataram no período da crise, empregando 1.904 profissionais.

Cristalina: A cidade localizada em Goiás ficou em quinto lugar no ranking das cidades que mais contrataram profissionais. 1.528 pessoas ingressaram no mercado de trabalho.

Diego Jose Laureano


Confira aqui algumas dicas do que fazer ao ficar desempregado.

No início a crise era só uma pequena marola, todavia, essa marola cresceu e se transformou em um pesadelo real. O diagnóstico da recessão econômica e industrial foi confirmado, como sintoma, demissões. Muitas demissões. Mas saiba que mesmo nesse período de desemprego você pode usar seu tempo de maneira útil. Confira abaixo algumas dicas do que você DEVE fazer para não entrar em desespero.

1) Finanças.

A primeira coisa a fazer é organizar as finanças. Anote quanto tempo seu dinheiro irá durar. Concentre-se em anotar todos seus gastos e reduzi-los ao máximo. Não é o momento de fazer investimentos, nem mesmo em aspectos pessoais. Mais adiante falaremos como se qualificar de modo gratuito, ou gastando quase nada.

2) Objetividade

Pensar o dia todo no desemprego e ou nos locais que você vai deixar currículo não adianta. Seja objetivo. Anote planos diários de onde você vai deixar seu currículo. Nada adianta ficar oito horas batendo rua e entregando currículo para todo lado. Seja estratégico, aumente suas chances de contratação analisando os possíveis locais que seu perfil se enquadraria. Ao invés de gastar mais tempo entregando currículos, gaste seu tempo elaborando um planejamento estratégico – quais empresas você possui habilitação para trabalhar, quais conhecidos que posso entrar em contato para pedir indicações, afins.

3) Qualifique-se

O terceiro pilar para não cair em desespero com o desemprego é se qualificar. Mas calma! Você sabia que pode se qualificar gastando pouquíssimo ou nada. Isso mesmo. Procure cursos online – e gratuitos – que versem sobre produtividade, sobre alimentação saudável, sobre aprimoramento pessoal. Aproveite o tempo que lhe resta para manter a cabeça ocupada com coisas produtivas. Conforme a mensagem passada por Pedro Bial em seu vídeo Filtro Solar: "Preocupação é tão eficaz quanto mascar chiclete em frente a uma equação de álgebra” (link para vídeo aqui).

Algumas referências você pode encontrar no site Papo de Homem (link aqui) ou no canal do YouTube do Seiiti Arata (link aqui). Com essas duas referências você já terá bastante conteúdo rico para se qualificar. Lembre-se, sua concentração deve ficar nos vídeos gratuitos.

4) Exercício

Faça. Nem que seja uma caminhada de 15 minutos. Sua mente passará a funcionar melhor e o stress reduz bastante quando nos exercitamos diariamente.

Siga esses quatro passos. Acredite neles. Na vida, as coisas são ciclos. Muitas vezes acreditamos que não há saída, mas há. Lembre-se que você já superou inúmeros desafios que pareciam insuperáveis. Acredite, não há porque ter desespero no desemprego. Se você conseguir isso, em breve já conseguirá outro trabalho.

Matheus Griebeler


Confira aqui 4 importantes dicas na hora de procurar emprego.

Você está desempregado e já está cansado de espalhar currículos e nada acontece?

Se este é o seu caso, neste post você poderá conferir as dicas da especialista em carreiras Daniela do Lago, que traça um roteiro que faz com que as probabilidades de conquistar um posto de trabalho aumentem.

Todo mundo que está ou já esteve procurando novas oportunidades de trabalho sabe o quanto é difícil, considerando o grande número de candidatos por vaga.

Muitas pessoas na ânsia de conquistar um emprego rapidamente enviam currículos e se cadastram em sites dos mais variados segmentos de empresas. Mas segundo a especialista, esse não é um bom procedimento, pois diariamente as empresas recebem um grande número de currículos e quando vão contratar procuram por um candidato que possua um perfil que dialogue com as atividades da empresa. E pensando em quem foi contratado em uma aérea que não lhe desperta interesse, as pesquisas apontam que rapidamente se rompe o vínculo empregatício e mais uma vez se inicia a busca por outro emprego, podendo cometer o mesmo erro.

Dessa forma, para que não haja mais erros na hora de procurar emprego, a também colunista Daniela do Lago desenvolveu uma estratégia muito simples, listada em quatro importantes passos:

1º PASSO – Procure por empresas que lhe despertem o interesse: Existem empresas que atuam nos mais variados seguimentos, por isso é interessante que o candidato tenha uma certa afinidade com o cargo pretendido. Assim, faça uma pesquisa das empresas que atuam em áreas de seu interesse.

2º PASSO – Faça um cadastro nos sites dessas empresas: Após a seleção de empresas de seu interesse, cadastre-se para vagas. A maioria dos sites disponibiliza o “Trabalhe Conosco”.

3º PASSO – Envie o currículo: Mais importante que fazer um cadastro para ficar por dentro das vagas ofertadas, é enviar o currículo, pois é através dele que a empresa seleciona os perfis que se adequam melhor a área de atuação. Seja sempre fiel as suas informações e busque sempre se capacitar, para assim tornar o seu currículo mais rico e assim ganhar visibilidade entre tantos.

4º PASSO – Potencialize contatos: Procure por pessoas que trabalhem na empresa em que você deseja um cargo e peça a elas uma indicação, de forma que lhe coloque em contato com aqueles que são responsáveis por contratações, fornecendo e-mail e telefone.

Com esses passos você terá menos contratempos na procura de um emprego e mais chances de conquista-lo e permanecer contratado.

Sirlene Montes


Quando a saída de um determinado emprego é algo planejado não há muito com o quê se preocupar. Entretanto, os casos em que o funcionário perde o emprego de uma hora para outra são bem maiores. O fato acaba por forçar esses novos desempregados a reorganizarem suas vidas diárias e analisarem de uma forma diferente ou mais aprofundada quais são as prioridades da vida naquele momento.

A maioria das pessoas encara o desemprego como algo ruim, e é! Mas como tudo tem dois lados às vezes dar uma olhada com uma certa positividade para o fato poderia mudar as coisas. Seria algo como encarar o fato de estar desempregado representar uma ótima oportunidade para recomeçar.

site Lifehack decidiu listar algumas coisas que podem ser feitas quando o desemprego chega visando um aproveitamento do tempo (e dinheiro) e não a ociosidade. A intenção é que o cidadão se mantenha com a motivação em dia no lugar de perder a cabeça.

Confira alguns dos tópicos abordados na lista:

– Confira o orçamento:

Perder o emprego na maior parte dos casos também quer dizer não ter mais dinheiro. Então, a primeira coisa a se fazer dar uma boa organizada nas finanças. Planejamento é a palavra chave uma vez que não há como prever até quando vai durar o que se tinha guardado (se for o caso) ou até quando a pessoa ficará desempregada. Apesar de parecer complicado e difícil é bastante simples. O que se deve fazer é pensar naquilo que o pode e deve ser cortado, o que é supérfluo ou até mesmo desnecessário e etc.

– Busque por novas formas de renda:

Não é porque o cidadão passou anos em uma função que ele sabe apenas aquilo. É importante que a pessoa fique atenta a sua criatividade, na verdade deve-se usá-la. Quem sabe faz doces muito bem ou toque violão muito bem. Não tem nada de mais em usar um talento (que muitas vezes nem sabemos que existe) para ganhar uma graninha.

– Não se acomode e aproveite o tempo:

Uma coisa que o desempregado deve ter em mente é o fato de que na maioria das vezes não é fácil encontrar um novo emprego. É nesse momento que para conseguir uma entrevista serão necessárias dezenas de currículos. Aproveitar o tempo para aprimorar ou diversificar o currículo é uma boa ideia.

Por Denisson Soares


Desde o seu surgimento a internet vem aumentando seu número de usuários e facilitando a vida de muitas pessoas. No caso de quem está desempregado ajuda na busca de um novo emprego, pois é possível se cadastrar virtualmente em agências de empregos e enviar currículos por e-mail.

Neste caso é preciso alguns cuidados antes de enviá-lo, pois um documento mal feito pode prejudicá-lo ao invés de auxiliá-lo no processo de seleção. Representantes de empresas que divulgam vagas pela internet advertem que recebem centenas de currículos após o anúncio de vagas, por isso recomendam que os documentos devam ser simples (no máximo duas páginas) e de preferência no corpo do e-mail.

Outro erro bem comum que os selecionadores encontram são currículos enviados por e-mail sem nenhuma mensagem, ou objetivo profissional que cada candidato tem. Esse equívoco pode levar o selecionador a acreditar que o candidato está sem foco, enviando e-mails para todos os lugares.

Portanto muito cuidado ao elaborar o corpo do e-mail. Uma dica é elaborar uma breve mensagem antes do currículo como uma apresentação de uma ou duas linhas onde o candidato deve informar qual vaga deseja se candidatar.

Por Selma Isis





CONTINUE NAVEGANDO: