Confira aqui com as melhores empresas para as mulheres trabalharem.

A Great Place to Work criou um ranking das melhores empresas para as mulheres trabalharem. O objetivo principal da pesquisa é dar visibilidade de como as companhias atuam em questões de diversidade, igualdade e inclusão no mercado de trabalho. O resultado foi dividido entre as grandes e médias empresas, sendo que cada uma deveria ter, pelo menos, 100 funcionários.

Além disso, a avaliação foi realizada por meio de uma pesquisa que foi feita com as colaboradoras da companhia. O resultado mostrou que no grupo de grandes empresas a vencedora foi o Laboratório Sabin, seguido pelo AccorHotels e em terceiro a Tokio Marine Seguradora. E, no grupo de médias empresas, o primeiro lugar foi do Ford Credit Brasil, seguido pela Pandora e Brystol-Myers Squibb.

Confira o resultado completo. No total, foram avaliadas 30 companhias.

Grandes empresas:

  1. Laboratório Sabin
  2. AccorHotels
  3. Tokio Marine Seguradora
  4. Itau Unibanco
  5. IBM Brasil
  6. Takeda
  7. Dell Computadores do Brasil
  8. Banco Santander
  9. Roche Farmacêutica
  10. Centro Universitário UMA
  11. Whirlpool
  12. Sesc/RS
  13. Atento Brasil

Médias Empresas

  1. Ford Credit Brasil
  2. Pandora
  3. Brystol-Myers Squibb.
  4. P&G – Escritórios SP e Recife
  5. Aspen Pharma
  6. Zurich Santander Seguros e Previdência
  7. Amêndoas do Brasil
  8. Roche Diagnóstica
  9. Thought Works Brasil
  10. Unimed Federação Minas
  11. Visagio
  12. Assurant
  13. Heads Propaganda
  14. Shankhya
  15. FortBrasil
  16. Ticket Serviços S/A
  17. Alelo

Você está procurando por boas oportunidades no Mercado de Trabalho? Que tal conferir algumas dicas para ter sucesso?

Se você estiver desempregado, use o tempo a seu favor. A situação não é fácil, mas é preciso se planejar e organizar. Desta forma, encare o momento como se estivesse trabalhando e dedique boa parte do seu dia para achar o emprego ideal. Por exemplo, acorde, tome café e comece a ficar por dentro das oportunidades em sites de emprego, revistas ou jornal.

Que tal reativar os seus contatos? Pergunte para os seus amigos e encaminhe o seu currículo, pois as oportunidades podem surgir. Antes de enviar, atualize o documento com as suas experiências, conhecimento e cursos.

Que tal investir em alguma capacitação? Até encontrar o emprego ideal, você estará estudando, o que pode ser um diferencial para retornar ao mercado de trabalho. Assim, não fique parado e se lamentando, lembre-se de que isso é uma fase e como você encara é o que faz a diferença. Sucesso e boa sorte!

Por Babi


Saiba aqui quem tem direito ao pagamento dos Lucros do FGTS.

Foi anunciado pelo Governo Federal que o lucro oriundo do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) de 2016 será dividido. A nova medida faz parte da mesma Medida Provisória 763/2016, que autorizou o saque do FGTS em contas inativas.

Embora os dados oficiais ainda não tenham sido divulgados, estima-se que o lucro líquido do fundo seja por cerca de R$15 bilhões. Portanto, metade desta quantia, ou seja, em torno de R$7,5 bilhões será distribuído. Segundo o Ministério do Trabalho, a quantia será creditada em contas que estejam inativas ou ativas até o dia de 31 de dezembro de 2016. Se o trabalhador já possuir algum dinheiro creditado em seu fundo devido ao seu emprego, o lucro distribuído será somado com o montante que já está guardado.

Porém, apesar de o valor constituir crédito para o trabalhador, ele não poderá ser sacado da mesma forma que ocorreu o saque do FGTS ultimamente. Apenas poderão sacá-los imediatamente aquelas que cumprirem os requisitos, tais como: demissão sem justa causa, doença ou aposentadoria. No extrato do FGTS, esse crédito estará descrito como “distribuição de lucro”.

Com a distribuição, o Governo Federal tem expectativas de que dividindo o fundo com os trabalhadores, a remuneração relativa ao FGTS se aproxime da remuneração da poupança.

Quem poderá receber o dinheiro relativo aos lucros do FGTS?

Poderá retirar essa quantia os trabalhadores que possuírem contas inativas ou ativas, sendo requisito que essas contas tenham tido saldo até o dia 31 de dezembro de 2016. Para informações mais detalhadas, é possível consultar o saldo no site do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.

Quando sacar a quantia?

Diferentemente da medida passada, os saldos não poderão ser retirados automaticamente. Para que se possa retirá-lo é necessário que o trabalhador esteja aposentado, com doenças graves ou para compra de casa própria. É importante ressaltar que nas contas inativas, o dinheiro constará como um saldo residual, uma vez que os saques nelas só poderão ocorrer até o dia 31 de julho deste ano.

Portanto, fique atento para os requisitos e, caso você se enquadre neles, procure mais informações no site oficial do FGTS a respeito das quantias que poderá receber.

Isabela Palazzo


INSS retorna com as revisões de benefício. Aposentados por invalidez com mais de 60 anos não serão chamados.

O ano de 2016 foi marcado por uma grande turbulência no setor econômico, fazendo com que o governo tivesse que rever algumas situações com o intuito de cortar gastos. Contudo, com o final do ano chegando, logo em novembro acabou-se as consultas para rever se os benefícios do INSS estão realmente sendo bem aplicados. Mas a partir do dia 16 de janeiro, a rotina refazer perícias e reavaliar casos volta com tudo.

Esse processo funciona da seguinte forma, aqueles que estão recebendo aposentadoria por invalidez ou então auxílio doença há aproximadamente dois anos, vão passar por uma nova perícia médica. Isso porque, anualmente, há várias pessoas que tentam enganar os médicos do INSS se fazendo de doentes. Não é pouco o número de pessoas que chegam à instituição apoiados em muletas ou cadeiras de roda mas saem andando logo no passeio. É importante ressaltar que, aqueles com mais de 60 anos que estão aposentados por invalidez não estão sujeitos a essa reavaliação.

Cerca de 2.100.000 vão receber o chamado para uma nova consulta. O mais assustador é que a grande maioria beneficiária está perdendo os auxílios. Não há necessidade dos beneficiários ligarem para marcarem as consultas pois o próprio INSS está cuidando disso, mandando a data das revisões por meio de cartas. Basta que usuário esteja sempre atualizando seu endereço e telefone no sistema, seja pelo site http://zip.net/bvtCFV ou pelo telefone 135.

Aqueles que tiverem problema em falar sobre o endereço ou não tiver residência fixa, poderá ser chamado pelo edital que será publicado nos canais de telecomunicação.

Logo após receber a carta, a pessoa precisa marcar a perícia em até 5 dias, pelo mesmo número de telefone 135.

É importante seguir esse aviso, pois caso o beneficiário perca o prazo da perícia, ele terá automaticamente seus direitos suspensos. Se isso acontecer, ele deve ir a algum posto do INSS e agendar uma nova revisão. No dia da consulta deve ser levado os documentos pessoais, bem como os exames médicos e os atestados. A decisão final dos médicos, se o beneficiário vai ou não continuar com o auxílio do governo, estará disponível no seguinte site do INSS: http://zip.net/bwtBKC.

Sirlene Fátima Oliveira Justo


Confira aqui algumas dicas para conseguir atingir suas metas e crescer profissionalmente na empresa.

Quando se busca sucesso na carreira profissional é necessário compreender dicas e virtudes importantes para alcançar o que se almeja. Em primeira instância, é necessário entender a diferença entre dois termos: eficiência e eficácia.

Sem sombra de dúvida é algo muito comum se deparar com pessoas que vivem na certeza de que entendem o significado destes termos, até o momento que são questionadas verdadeiramente sobre isso .

A eficiência é um termo explicado por diversos autores da administração como conseguir fazer mais com menos. Ou seja, realizar qualquer atividade de interesse em vista de controvérsias. Falta de recursos, tempo, orçamento, mão de obra, entre outros.

Agora a eficácia tem como significado a realização correta de atividades. Por exemplo, executar as atividades conforme uma norma ou procedimento. Em termos profissionais seria como quando os gerentes exigem para que os funcionários executem suas atividades da maneira eficaz para que não gere nenhum problema posterior.

As definições são bem parecidas. Por isso geram confusões.

Depois de entender os conceitos de eficiência e eficácia, fica fácil. Primeiramente para atingir suas metas profissionais, é preciso focar nas atividades que necessitam de eficácia. Definir quais tarefas devem ser feitas corretamente para que não haja nenhum erro que ocasione atrasos na sua meta.

Como evitar atrasos?

É comum acontecer atrasos quando se almeja algumas metas, então acostume-se. Porém, em vista dos diversos fatores e procedimentos, que geralmente não são observados corretamente, em vista de que a forma de se não evitar atrasos é um planejamento antecipado e adequado.

Planejamento:

O planejamento é extremamente importante para que seus objetivos profissionais sejam alcançados. Trace seus objetivos e mantenha-os de forma expressa. Detalhes como: em quanto tempo, o que deve ser feito para alcançar seus objetivos, devem ser anotados para garantir o sucesso.

Responda cada questão e organize-se. Crie listas de tarefas diárias, semanais e mensais que te levarão a curto e longo prazo ao seu objetivo. Construa planilhas também e deixe seus resultados expostos.

Você deve preparar suas atividades em busca do seu objetivo, de acordo com seu modo de vida. Como e quais meios usar para conquistar a sua meta e fazer acontecer cada um sem falta.

Conhecer os seus limites é necessário para não comprometer sua saúde. Não deixe a sua saúde e relacionamentos em jogo, caso contrário, você poderá desequilibrar as outras áreas da sua vida.

Produtividade:

Se você realmente quer alcançar suas metas profissionais com eficiência e rapidez, como demonstramos, é preciso executar as atividades ou tarefas da maneira correta com o menor número de recursos possíveis.

O processo de coaching poderá lhe ajudar. Este processo (coaching) ajuda você a entender, trabalhar e focar apenas no que é realmente importante.

Desta forma, poderá finalmente executar mais com menos. Sendo então eficiente e eficaz, para se tornar mais produtivo.

Por Denisson Soares


Confira aqui qual o valor do salário mínimo neste ano de 2017.

Nesta quinta-feira, dia 29 de dezembro, o presidente Michel Temer assinou o decreto que determina o reajuste do salário mínimo de R$880 para R$937. De acordo com as informações divulgadas até o momento, o novo valor passará a vigorar já a partir do dia 1° de janeiro de 2017. O comunicado sobre o decreto será publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, dia 30.

Seguindo o que dispõe a lei, o reajuste do valor do salário mínimo tem quer ser realizado levando em consideração (tendo como base) a inflação apurada no ano imediatamente anterior e também na variação do PIB (Produto Interno Bruto) dos dois anos anteriores.

De acordo com o texto da proposta orçamentária que foi encaminhada para o Congresso Nacional, o governo estava calculando uma elevação que bateria em R$ 945,80. Mas como a inflação do período apresentou uma taxação menor do que a que estava sendo prevista em um primeiro momento, o valor então foi alterado para R$937,00.

Com relação a estimativa para o INPC em 2016, o cálculo feito pelo Ministério da Fazenda foi de 6,74%. Ainda assim, menor do que a foi prevista em outubro deste ano, quando o percentual apontado foi de 7,5% (por ocasião do envio da Lei de Orçamento Anual). Vale chamar a atenção para o fato de que no acumulado de 2016 até o mês de novembro, o índice do INPC ficou em 6,43%.

De acordo com o Ministério do Planejamento, devido a diversas questões, mas em especial a inflação que foi menor em 2016, o valor que estava sendo previsto para o reajuste do salário mínimo acabou mesmo tendo que ser menor do que a LOA previa. A pasta destaca que a aplicação é fundada e ratifica as observações da legislação.

A regra referente a correção do salário mínimo que foi aprovada pelo Congresso Nacional fica válida até o ano de 2019. É interessante observar que em 2015, o Produto Interno Bruto acabou encolhendo 3,8% e, com isso, o indicador não foi considerado nos cálculos.

O Ministério do Planejamento informou ainda que o reajuste vai incrementar R$ 38,6 bilhões na conta salarial de 2017. Isso representa cerca de 0,62% do PIB. A pasta espera ainda alguma positividade no aumento do consumo, além de um crescimento significativo da economia ao longo de 2017.

Por Denisson Soares


Confira aqui as principais mudanças previstas com a Reforma Trabalhista.

No dia 22 de dezembro de 2016 o governo anunciou uma proposta para que seja feita uma espécie de reforma da legislação trabalhista. A proposta autoriza a formalização de uma jornada de trabalho composta de 220 horas ao mês (lembrando que para meses com cinco semanas).

Ao contrário do que os menos informados começaram a pensar, a jornada padrão de trabalho não foi alterada. Ou seja, continua valendo as 44 horas por semana com 4 horas extras, essa jornada pode chegar até as 48 horas por semana. No caso da proposta apontar para 12 horas de trabalho por dia não há horas extras além desse período. Isso quer dizer que aqui temos oitos horas como jornada normal e quatro horas extras. Destacando mais uma vez que o limite é de 48 horas por semana já inclusas as horas extras.

De acordo com as informações divulgadas até o momento, o texto do projeto será enviado para o Legislativo através de um projeto de lei em caráter de urgência para a tramitação.

Conforme o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, a definição de até 12 horas diárias como carga horária já é prevista na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) para algumas categorias específicas, a exemplo da área de saúde e dos profissionais de segurança pública.

Pontos tratados na Reforma Trabalhista:

Jornada de trabalho

Segundo a proposta, o governo irá manter a jornada padrão de trabalho, sendo de 44 horas por semana com o acréscimo de quatro horas extras. O limite é de 48 horas por semana. Em um único dia não há a possibilidade de que o profissional trabalhe mais do que 12 horas por dia (sendo oito horas com quatro horas extras). O limite semanal é de que 48 horas.

Negociado é superior ao legislado

Essa é mais uma proposta prevista na reforma. Quer dizer que aquilo que for negociado pelos trabalhadores através das centrais digitais será superior ao legislado. Sendo assim, os acordos que forem fechados pelas categorias adquirirão peso legal.

De acordo com o ministro Padilha, diversos pontos poderão ser objetos de negociação por meio de convenção coletiva. Caso eles sejam aprovados também passarão a ter peso de lei. Veja alguns:

  • Pacto para o limite mensal de 220 horas por mês.
  • Parcelamento das férias em “fatias” de até três vezes. Sendo que entre os períodos deverá haver no mínimo duas semanas trabalhadas consecutivamente.
  • Se acordado, a participação no lucro e nos resultados da empresa.
  • Criação e estabelecimento de um plano de cargos e salários.

Por Denisson Soares


Confira aqui algumas dicas do que fazer ao ficar desempregado.

No início a crise era só uma pequena marola, todavia, essa marola cresceu e se transformou em um pesadelo real. O diagnóstico da recessão econômica e industrial foi confirmado, como sintoma, demissões. Muitas demissões. Mas saiba que mesmo nesse período de desemprego você pode usar seu tempo de maneira útil. Confira abaixo algumas dicas do que você DEVE fazer para não entrar em desespero.

1) Finanças.

A primeira coisa a fazer é organizar as finanças. Anote quanto tempo seu dinheiro irá durar. Concentre-se em anotar todos seus gastos e reduzi-los ao máximo. Não é o momento de fazer investimentos, nem mesmo em aspectos pessoais. Mais adiante falaremos como se qualificar de modo gratuito, ou gastando quase nada.

2) Objetividade

Pensar o dia todo no desemprego e ou nos locais que você vai deixar currículo não adianta. Seja objetivo. Anote planos diários de onde você vai deixar seu currículo. Nada adianta ficar oito horas batendo rua e entregando currículo para todo lado. Seja estratégico, aumente suas chances de contratação analisando os possíveis locais que seu perfil se enquadraria. Ao invés de gastar mais tempo entregando currículos, gaste seu tempo elaborando um planejamento estratégico – quais empresas você possui habilitação para trabalhar, quais conhecidos que posso entrar em contato para pedir indicações, afins.

3) Qualifique-se

O terceiro pilar para não cair em desespero com o desemprego é se qualificar. Mas calma! Você sabia que pode se qualificar gastando pouquíssimo ou nada. Isso mesmo. Procure cursos online – e gratuitos – que versem sobre produtividade, sobre alimentação saudável, sobre aprimoramento pessoal. Aproveite o tempo que lhe resta para manter a cabeça ocupada com coisas produtivas. Conforme a mensagem passada por Pedro Bial em seu vídeo Filtro Solar: "Preocupação é tão eficaz quanto mascar chiclete em frente a uma equação de álgebra” (link para vídeo aqui).

Algumas referências você pode encontrar no site Papo de Homem (link aqui) ou no canal do YouTube do Seiiti Arata (link aqui). Com essas duas referências você já terá bastante conteúdo rico para se qualificar. Lembre-se, sua concentração deve ficar nos vídeos gratuitos.

4) Exercício

Faça. Nem que seja uma caminhada de 15 minutos. Sua mente passará a funcionar melhor e o stress reduz bastante quando nos exercitamos diariamente.

Siga esses quatro passos. Acredite neles. Na vida, as coisas são ciclos. Muitas vezes acreditamos que não há saída, mas há. Lembre-se que você já superou inúmeros desafios que pareciam insuperáveis. Acredite, não há porque ter desespero no desemprego. Se você conseguir isso, em breve já conseguirá outro trabalho.

Matheus Griebeler


Mercado busca cada vez mais profissionais de trabalhos manuais.

Há alguns anos nós ouvíamos que os trabalhos manuais estavam chegando ao fim e que seriam os trabalhos intelectuais que dominariam a cena. Ironicamente, o quadro parece estar invertido. A tecnologia conseguiu suprir muito bem os trabalhos intelectuais. Os computadores fazem cálculos com maestria, controlam estoques, fazem relatórios automáticos. Mas e quem vai cuidar do estoque, carregar as caixas, levar a papelada de um lado para outro, construir, cuidar do encanamento, da pintura, da parte elétrica, quem vai escrever os artigos para os leitores?

Enfim, parece-nos que o trabalho unicamente intelectual está fadado aos computadores. Caberá a nós saber manusear softwares, máquinas e afins para desempenhar concretizar os trabalhos intelectuais. Mas uma coisa que tem ficado esquecida nesses tempos é a crescente necessidade de profissionais qualificados que saibam meter a mão na massa.

O mercado está demandando pedreiros competentes, encanadores que resolvam de fato os problemas de vazamento e afins, marceneiros para fabricar móveis e acabamentos, mulheres de limpeza para manter as casas organizadas enquanto marido e mulher trabalham fora, eletricista, instalador de ar-condicionado, dentre outros.

Fato é que estamos vendo uma conjuntura invertida nascer, achava-se que os engravatados eram quem mais recebiam salários, no entanto, hoje, um salário de um concursado no Banco do Brasil ( cerca de R$ 1.800) é menos do que o salário de um pedreiro competente e ou de um limpador de vidros em prédios. Chapistas e atendentes em restaurantes também ganham salários que podem até superar o dos bancários.

Os ventos parecem ter mudado de lado. Nos EUA e Europa isso já havia acontecido. Serviços na construção civil e limpeza eram relegados aos latinos, mas agora, como os empregos minguaram, até os americanos estão reclamando por oportunidade de trabalho nos ditos “serviços manuais”.

Não é demérito para ninguém trabalhar em um serviço braçal, pelo contrário, você está usando uma das maiores maravilhas do mundo para exercer sua função: a força do seu corpo. O ideal é conseguir projetar os trabalhos manuais em uma atmosfera de conhecimento. Ou seja, ser um pedreiro qualificado e experiente, uma faxineira rápida e eficiente, ou encanador que sabe investigar vazamentos e um redator que consegue produzir conteúdo relevante agilmente.

Matheus Griebeler


Confira aqui o que fazer para melhorar a sua produtividade no trabalho durante a semana.

Especialistas costumam ser unânimes com relação ao planejamento de nossas atividades antes que as mesmas sejam executadas. Por exemplo, em um final de semana, sabemos que teremos pela frente dias cheios de desafios. Quem sabe, tomadas de decisões importantíssimas!

Pensar e planejar essas atividades de antemão é meio caminho para que tudo vá bem. É o que todos nós almejamos para uma semana de atividades corriqueiras intensas. E vamos convir, os tempos modernos e nossa vida agitada exigem de fato que tenhamos uma atitude desse tipo.

Esse planejamento pode conter itens diversos, como os citados pelo especialista Nelson Fukuyama (http://www.dicasprofissionais.com.br/planeje-o-seu-tempo-de-trabalho/).

Agora, a novidade é que, segundo Nicolas Cole, consultor da revista Inc, todo esse planejamento pode ser feito naquele momento que, para muitos, é um período chato, entediante e melancólico do final de semana: a noite de domingo!

Para mudarmos essa situação, devemos escolher a noite de domingo para delinearmos nossas tarefas da semana. Cole pontua que este hábito pode até mesmo ser estimulante. A ideia é iniciarmos a semana na segunda, já com tudo bem delineado e esquematizado.

É claro que o consultor também informa uma espécie de “cartilha” para que isso possa ser exercitado. Vamos a ela?

  • Pense em tudo o que você já fez: Não é apenas no futuro que você deve se ater. Também naquilo que você já fez, a fim de definir o que falta ser feito e analisar os motivos pelos quais certas coisas não foram finalizadas;
  • Categorize suas tarefas: Separar aquilo que faz parte do âmbito pessoal do profissional, separar projetos, etc. Isso provocará um ganho de produtividade, segundo Cole;
  • Adiante o que for possível: Algumas tarefas podem ser feitas, sem estresse, no próprio final de semana. Ou seja, haverá um ganho de tempo durante a semana para aquilo que você já conseguiu resolver no domingo;
  • Pense e relaxe: Em outras palavras, analise tudo o que planejou e relaxe.

O especialista também aconselha a ficarmos longe das redes sociais nesses momentos, para que não haja um desvio de pensamentos. São dicas úteis para uma vida profissional e pessoal bastante melhorada!

Dan Dias


Confira aqui algumas dicas de como melhorar o Rendimento no Trabalho.

Tempo! Este é um dos grandes fatores que atrapalham o rendimento de uma pessoa em seu trabalho.

E como o tempo nunca para e tampouco aumenta, temos que nos adaptar a fazer as coisas o quanto antes para que o trabalho possa fluir.

As empresas estão sempre se transformando para melhorar seus produtos e serviços. Assim também nós, no trabalho, temos que aperfeiçoar nossos hábitos diários para ter mais rendimento.

O que é rendimento?

O rendimento está relacionado com produtividade, desempenho e resultados.

É a forma como a pessoa consegue desempenhar seus trabalhos de maneira rápida e eficaz para que gere um resultado.

Quais são os obstáculos para um bom rendimento?

Em tempos em que as empresas estão exigindo cada vez mais qualificações, habilidades, mais vontade e disposição de trabalhar pela organização, talvez, todas estas exigências podem ser fatores para a queda do rendimento.

A falta de habilidade ocasiona erros. A falta de vontade e disposição menos produtividade e por consequência, um péssimo rendimento.

Ou seja, motivos não faltam para o rendimento no trabalho diminuir. Distrações, excesso de cobranças, desorganização, falta de foco e o maior vilão, o estresse.

Como ter mais rendimento?

Quando o assunto é produtividade e o estresse é o maior vilão, o que podemos fazer para obter mais rendimento?

1. Alimentação: Uma dieta balanceada auxilia a diminuir o cansaço e aumenta a disposição no trabalho. Boa saúde é resultado de boa alimentação, inclusive ocasiona menos índices de acidentes de trabalho e atestados médicos.

2. Organização: Operação mesa limpa. Manter mesa e gavetas em ordem facilita no seu dia-a-dia. Encontrar aquele documento que precisa facilmente sem perder tempo.

3. Foco: Analise suas tarefas, crie listas, elimine as que não têm importância e defina quais são as mais urgentes, defina prazos e siga rigorosamente.

4. Pausas: Ao contrário do que muita gente pensa, ficar muito tempo na frente de um monitor sentado não é fator de produtividade. A fadiga pelo excesso pode deixar qualquer profissional menos produtivo. Dê alguns intervalos de tempos em tempos para deixar seu corpo mais revigorado e descansado.

Seguindo estas quatro atitudes será possível aumentar sua produtividade e melhorar seus próprios resultados. Coisas bem comuns de serem feitas, cuja importância não pode ser deixada de lado.

As conquistas são alcançadas por mudanças de atitudes. No entanto, aprender coisas que contribuem positivamente para o trabalho pode favorecer seu crescimento e da sua empresa. E o sucesso é sem dúvida, o resultado dessas transformações.

Marcio Ferraz do Amaral Junior


Incentivo a autonomia na infância pode ajudar a criança a se tornar um bom profissional no futuro.

Em tempos de imediatismo e consumismo, é cada vez maior a preocupação do resgate de valores e vínculos familiares, que atualmente sofrem um processo de subversão. As referências ideais para o desenvolvimento da personalidade da criança, muitas vezes, são direcionadas para outras referências que prejudicam o estabelecimento de valores e características fundamentais para a criança como o senso moral, autocontrole, senso crítico, autonomia, dentre outros.

Esta última característica tem fundamental importância para a independência da criança (quando adulta) e pode ser decisiva para o sucesso profissional e pessoal no indivíduo no futuro. Então, como desenvolver essa característica tão cara para a consolidação da personalidade humana?

O primeiro aspecto a ser considerado é que a criança não nasce com autonomia, ela precisa de referências, de pessoas que ensinem e mostrem o que se deve ou não fazer, além de tutelar a criança até que ela não precise mais de acompanhamento.

O maior erro cometido pelos pais durante o desenvolvimento da criança é a retirada da tutela quando a criança apresenta sinais de autonomia, quando consegue executar certas tarefas sozinhas. Contudo, neste momento, a criança ainda não dispõe de todos os recursos físicos e psicológicos para desenvolver a autonomia de forma eficaz, ela ainda precisa de tutela e controle para que não se distraia com outras coisas e entenda quais são as prioridades.

Após uma série de repetições que se estendem ao longo do tempo sob a tutela e controle dos pais, entre tentativas, erros e acertos, os pais podem retirar paulatinamente a vigilância e o controle, pois a criança já internalizou os motivos pelos quais deve ou não fazer algo, não é só uma mera execução por obrigação. Esses conceitos são reforçados por teóricos da área da pedagogia, como Jean Piaget e Vygotsky, além da psicologia comportamental.

Aconselha-se, portanto, a busca contínua de conhecimento por parte dos pais sobre como educar e criar seus filhos, até que desenvolvam de forma holística as características fundamentais da personalidade e a autonomia, entendida de forma ampla: autonomia moral, intelectual e social, pois só assim os seus filhos poderão alcançar êxito na vida profissional e pessoal, sem depender de auxílio em tempo integral e sem apresentar insegurança em demasia.

Por André César


Confira aqui uma lista com os principais direitos trabalhistas das mulheres.

Devemos tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais, na medida de sua desigualdade. Essa frase, atribuída a Aristóteles, explica bem o princípio da igualdade ou isonomia que permeia o ordenamento jurídico brasileiro. Para permitir que as mulheres entrem no mercado de trabalho em condições semelhantes às dos homens, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) dedicou um capítulo exclusivamente para a proteção da mulher, conferindo-lhe diversos direitos. Afinal, pesquisas comprovam que a despeito de serem maioria, o desemprego é maior entre as mulheres e seus salários mais baixos do que os devidos aos homens.

A maioria das normas de proteção à mulher diz respeito à seu período de maior vulnerabilidade, a maternidade. Dessa forma, a lei buscou compatibilizar essa dupla condição a que estão sujeitas as pessoas do sexo feminino, isto é, a de serem profissionais e mães simultaneamente. Confira quais são esses direitos:

  • Entrevista de Emprego: É vedado ao empregador solicitar à candidata exames médicos que atestem a existência ou não de gravidez, assim como a condição de esterilidade. Essa norma também se aplica após a contratação.
  • Estabilidade: A empregada goza de estabilidade em seu trabalho desde a confirmação da gravidez até 5 meses após o parto. Durante esse período, a trabalhadora só pode ser demitida por justa causa.
  • Consultas Médicas: A gestante pode ausentar-se do trabalho para a realização de exames médicos sempre que for necessário. As ausências não acarretarão descontos no salário, desde que devidamente comprovadas.
  • Transferência: Caso a função desempenhada pela gestante traga riscos a sua saúde, deve ser alocada em outro setor até seu retorno ao trabalho após o parto.
  • Auxílio Doença: A mulher faz jus ao afastamento do trabalho e à concessão de auxílio-doença na eventualidade de gravidez de risco.
  • Licença Maternidade: A licença compreende a ausência do trabalho por 120 dias, contados a partir do 8° mês de gestação ou a partir do parto. Esse benefício também é devido no caso de adoção. Na ocorrência de aborto espontâneo, a mulher faz jus à 15 dias de licença.
  • Intervalo para Amamentar: São concedidos 2 intervalos de 30 minutos durante o trabalho para que a lactante possa amamentar seu filho de até 6 meses.
  • Direito a Creche: Ao empregador é facultado escolher entre pagar o auxílio-creche ou reservar um local adequado para a guarda de crianças no período de amamentação, podendo inclusive realizar convênios com creches.

Fabiano Costa Barbosa


Confira aqui algumas dicas e conselhos para se dar bem na hora de fazer uma apresentação em público.

Muitas pessoas têm problemas para falar em público. Isso vai desde o aluno que terá que apresentar um trabalho até um profissional que terá que lidar com pessoas em uma apresentação ou reunião. Confira aqui algumas dicas para melhorar esse seu lado e falar melhor em público.

Você deve estar preparado para falar:

Nunca se atenha apenas em ter conteúdo para o tempo determinado que deverá falar. Saiba tudo o que conseguir sobre o tema em questão. Se você tiver 15 minutos para a sua apresentação, tenha um conteúdo para falar por ao menos 30 minutos. Trabalhe também sobre a forma que irá explanar o seu conteúdo e que ele seja bem digerido por todos. Se possível, grave você falando sobre o tema e veja depois. Você pode apontar os erros e acertos.

Seja natural:

Mesmo quando você erra em algum momento, mas está se comportando de uma maneira natural e mais espontânea, os seus ouvintes aceitarão a derrapada e ainda continuarão a acreditar no que diz. Nunca apresente uma forma artificial de falar ou a plateia vai duvidar de suas palavras.

Faça um roteiro:

Nunca é bom confiar apenas na sua memória, mesmo ela sendo boa. Quando você acha que tem tudo na mente, no ato a coisa pode ser diferente. Caso esqueça uma palavra e não conte com roteiro, a coisa pode desandar. Faça um roteiro dos principais pontos de sua apresentação. Tente trazer consigo também algumas frases que podem remeter a ideias completas.

Fique de olho para quem vai falar:

Cada público será diferente do outro. Tudo deve ser considerado para a sua exposição. Verifique qual é o nível intelectual das pessoas que irão lhe ver, a faixa etária e se elas conhecem o assunto que você irá explanar. O seu preparo será melhor se observar alguns pontos do público.

Tenha uma linguagem de qualidade:

Nunca deixe escapar um errinho de gramática na exposição. Isso até não vai prejudicar a sua apresentação, mas pode ter certeza que algumas pessoas vão notar. Tire do vocabulário coisas como “ela está MEIA nervosa”, “MENAS”, “A nível de”, entre outros.

Mantenha uma boa postura:

Nunca fique apoiado em algo ou, se tiver sentado, evite deixar as pernas muito abertas ou muito fechadas. É bom se movimentar um pouco para que em algum momento, se certa pessoa estiver desatenta, consiga recuperá-la para a sua apresentação. Equilibre os gestos, nada de excessos. É difícil, mas sempre procure olhar para todas as pessoas da plateia. Nunca fale com as suas mãos nos bolsos ou com os braços cruzados.

Sempre se apresente com emoção:

As suas falas devem conter boa energia, emoção e entusiasmo. Se você não apontar que está interessado no que fala, imagine quem está na plateia lhe observando. A emoção que passa para os ouvintes vai conquistar o público. 


Uso do aplicativo de mensagens requer cuidado no trabalho. Confira aqui algumas dicas de como usá-lo.

O WhatsApp passou a ser a primeira opção dos usuários de celulares para enviar mensagens, deixando o SMS de lado. Porém, esse aplicativo tem outras funcionalidades e estas podem ajudar ou atrapalhar dentro do ambiente de seu trabalho.

Como usar o WhatsApp da melhor forma?

Empresas e profissionais vem adotando esse aplicativo de smartphone para ser um meio a mais de se comunicar com seus funcionários e até algumas breves “reuniões” podem ser feitas através do mesmo. O WhatsApp agiliza e facilita a comunicação. Esse é um bom uso do aplicativo no ambiente de trabalho.

Agora, existem pessoas que devem ter muita atenção no que estão fazendo em suas funções: motoristas, pessoas que lidam com muitas contas e cálculos, operação de máquinas, entre outros. O WhatsApp vai lhe ajudar na maioria das vezes? Não. Por isso, não se deve utilizar o mesmo durante atividades como essa. Deixe para o tempo de descanso e/ou intervalo.

Se a sua função de vez em quando lhe dá a oportunidade de verificar o celular e suas mensagens, sem que isso atrapalhe no desempenho, então saiba utilizar bem o aplicativo. Assim como o WhatsApp, deixe o celular em modo silencioso para não atrapalhar as pessoas ao seu redor com constantes alertas de mensagem.

Evite ficar muito tempo em grupos feitos dentro do WhatsApp. Nele são enviados muitos áudios e vídeos que podem atrapalhar a sua função. O ideal, se você pode, é verificar as mensagens que podem ser mais urgentes ou aquelas de amigos, mas que sejam breves, sem tomar muito do seu tempo. Seu chefe ou supervisor pode verificar que isso atrapalhe o seu trabalho e as coisas podem ficar nada legais para seu lado.

Se alguém pede para você contatar uma pessoa de maneira urgente e você tem esse sujeito no WhatsApp, falarei com ele pelo aplicativo? Não é uma das melhores saídas. Se for algo de seu trabalho, faça o uso do telefone, pois se o fizer pelo app, pode dar uma impressão de pouca importância para o fato tratado.

As empresas hoje são bem aceitáveis em termos de novas mídias e redes sociais. Mas tome cuidado para verificar como cada uma delas vai tratar esse assunto.


É cada vez mais comum no Brasil encontrarmos pessoas que pretendem ter o negócio próprio e se tornar independente. Isso ocorre porque o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e em breve não haverá espaço para funcionários bons, pois eles terão de ser os melhores no que fazem. Desta forma, vamos abordar neste artigo as principais características e vantagens de quem pretende se tornar um funcionário autônomo.

Em primeiro lugar está o fator independência, o qual está mais valorizado por empresas, até por que é um ponto positivo diante da correria do dia a dia. No entanto, são poucas as pessoas que têm essa qualidade e conseguem trabalhar com essa autonomia. Um funcionário independente é considerado aquele que aprende todas as instruções de forma rápida e eficiente e consegue aplicá-las da melhor forma no cotidiano, encarando os desafios da vida sem ter grandes problemas, ou seja, ela consegue se adaptar as circunstâncias e resolvê-las de forma bastante eficaz. Essa capacidade de resolver problemas é o principal destaque do profissional.

É importante salientar que ser independente não significa trabalhar sozinho. Na maioria das vezes é possível ter uma equipe ao lado. Assim, significa dizer que um trabalhador autônomo é aquele que consegue colaborar com um bom resultado final de todos os membros, fazendo o trabalho da melhor forma possível.

Cabe destacar que o mercado de trabalho pode até ser competitivo, porém, ter uma dessas características aumenta bastante as chances de conseguir um bom emprego. Essa liberdade de fazer o horário é o que mais tem levado profissionais a ter o negócio próprio e investir numa microempresa. Ressalte-se que muitas vezes a responsabilidade é maior, porém, o profissional terá grandes chances de ter ganhos maiores que na empresa a qual trabalhava como um simples colaborador.

Entretanto, antes de abrir o próprio negócio é necessário ter alguns conhecimentos básicos de como administrar uma pequena empresa. 

Por Luciana Viturino


O esforço realizado por um grande número de brasileiros reflete uma tendência atual no mercado de trabalho. Cresce o número de estudantes trabalhadores que durante o dia trabalham e a noite voltam à sala de aula no intuito de um crescimento cultural e de olho nas oportunidades do mercado de trabalho cada vez mais exigente.

Porém, é importante informar que tais procedimentos podem trazer a curto e longo prazo grandes distúrbios no metabolismo do corpo humano.

Algumas pesquisas informam que muitas disfunções hormonais são resultado dessa grande carga de concentração que envolve trabalho e estudo.

A grande dúvida que se cria é, se uma pessoa depois de 8 horas de trabalho, chegar à sala de aula com o corpo relaxado e a mente tranquila consegue aprender as matérias ensinadas em uma universidade ou ensino médio? A resposta é não! E alerta-se ainda para um outro agravante: a alimentação.

Mas mesmo diante desse processo, a motivação entra como um aliado capaz de romper barreiras para chegar ao seu objetivo e isso é de suma importância.

Aliando-se então a motivação e uma alimentação balanceada, capaz de oferecer os nutrientes necessários para essa rotina, além de um repouso de no mínimo 8 horas diárias, a conciliação entre o trabalho e o estudo pode deixar de ser uma vilã e se tornar uma parceira inteligente, resultando assim, não apenas em profissionais com diploma na mão, mas em competentes colaboradores no mercado de trabalho, esbanjando conhecimento e boa saúde.

Por Alex Menezes


Atualmente vivemos um período onde o mais forte consegue o mais "desejado", ou seja, vivemos em um mundo contemporâneo que imita a natureza desde sua antiguidade, onde o mais forte obtinha melhores resultados. Seguindo esta analogia chegamos a conclusão que quanto mais no preparamos intelectual, física e psicologicamente, mais vamos ter chances de obter grandes resultados, ou seja, certamente vamos ter facilidade para nos inserirmos na classe assalariada. 

Para sairmos na frente deste mercado de trabalho rigoroso precisamos estar dotados de aparatos que nos diferenciam dos nossos concorrentes. Quanto mais "bagagens" tivermos mais iremos ter grandes chances de sucesso na obtenção de um bom trabalho. Essa bagagem (conjunto de qualidades ou experiências) deve estar repleta de qualificações como: curos técnicos, graduações, especializações, mestrados, ações voluntárias, etc. 

Para obter algumas destas qualificações você não precisa ser rico ou possuir uma condição financeira de alto nível, pode-se recorrer à internet, onde sites disponibilizam cursos grátis e cobram apenas pelo envio do certificado, ou até mesmo ingressar em uma faculdade participante do Programa de Financiamento Estudantil – FIES, onde poderá financiar seu curso de graduação seguindo alguns critérios estipulados pelo próprio programa,  entre outras possibilidades.

Portanto, depende única e exclusivamente de você procurar melhorias para obter grandes conquistas no mercado de trabalho. Nunca desista, muito pelo contrário, insista e persista.

Por Michel Moraes


No ambiente de trabalho a comunicação é essencial. Para tanto, observe algumas dicas:

– Ouvir o que esperamos ouvir. Nem sempre o que nos falam é uma crítica, apenas uma constatação que não foi observada. Anotar o que não agrada e refletir posteriormente será um processo demorado, mas valoroso, para tornar-se um ouvinte mais predisposto a flexibilidade.

– Utilizar palavras de vários significados, com diferentes sentidos para diferentes pessoas.

– Utilizar vocabulário específico.

– Interferência da comunicação não verbal. Dispor de predefinições quanto às pessoas somente perante suas ações, sem estabelecer um diálogo dificultará seus relacionamentos.

– Interferência das emoções. Os acontecimentos diários vivenciados interferem no modo de como tratamos as pessoas, mesmos aquelas que não estão envolvidas no ocorrido.

– Percepções influenciadas pelo grupo. Cada indivíduo é único e, assim, possui sua própria percepção de mundo, das pessoas, de valores éticos e morais.

Por Patricia Gujev


Atualmente o que todos nós buscamos quando analisamos uma oportunidade de emprego, além de salário, benefícios e condições, é principalmente a estabilidade. Esse privilégio é dado graças a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), porém nem todas as empresas adotam essa medida. É muito comum somente funcionários públicos terem esse beneficio.

Porém existem outras medidas que podem fazer com que o funcionário “ganhe” uma certa estabilidade. Participar da CIPA, por exemplo, é uma opção que determina uma estabilidade de 1 ano o que facilita o desenvolvimento do trabalho.

Mas o melhor que se tem a fazer é mostrar um bom desempenho e responsabilidade, assim qualquer cargo será estável.

Por José Alberi Fortes Junior


Ao menos no Brasil, diversas autoridades defendem a redução da carga horária semanal de trabalho de 44 horas para 40 horas. No entanto, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) revela que 20% da população brasileira atua, em suas ocupações, 48 horas por semana, bem a mais do que o estabelecido por lei.

O Portal de Economia UOL indica que gênero e idade são dois pontos cruciais entre outros existentes para determinar a duração do tempo no trabalho. Para a OIT, a população masculina efetua jornadas mais longas, visto que as mulheres, em sua totalidade, precisam dedicar mais horas do seu dia ao lar e à própria família.

Uma das justificativas assinaladas pela Organização Internacional do Trabalho é que os empregadores utilizam as horas extras como maneira de aumentar a produtividade de seus trabalhadores que, por outro lado, conseguem garantir salários mais elevados.

Por isso, existem inúmeros entraves pelo globo para estabelecer novas regras que assegurem ao empregado menos tempo de serviço.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Atualmente as carteiras de trabalho estão sendo emitidas através de um sistema informatizado, e levam cerca de vinte dias para ficarem prontas.

É importante ressaltar ao trabalhador que este documento vai lhe acompanhar por toda a vida, e que será extremamente importante no momento de sua aposentadoria.

Por isso, é fundamental que haja a conscientização de que é preciso conservar e cuidar bem da carteira de trabalho, pois é nela que está registrada toda a história do trabalhador.

Cuidar da carteira envolve não jogá-la em qualquer lugar, evitar o derramamento de líquidos, exposição a chuvas e até mesmo a ação destrutiva de animais domésticos.

Agora, com o sistema informatizado, as carteiras estão visivelmente mais bonitas, organizadas e com aspecto mais limpo, pois não têm mais os diversos tipos de letras e registros manuais.

Só há de se melhorar a questão do prazo para confecção das mesmas, pois muitos trabalhadores reclamam da demora para receberem o documento, visto que isto pode comprometer o futuro deles diante de novos empregos.


Um dos mais comuns motivos para se trabalhar satisfeito citados pelos empregados são as recompensas financeiras e materiais, que muitas vezes são recebidas na forma de gratificações, prêmios e dinheiro.

Mas, a ciência tem revelado por meio de estudos do meio corporativo, que quem tem sua principal motivação baseada em recompensas, não desempenha seu trabalho com melhor qualidade.

Embora a maioria das empresas entenda que quanto mais dinheiro receber o funcionário, mais dedicado ele será, essa idéia parece contradizer o que se pratica hoje no mundo corporativo, pois a visão quantitativa não está de acordo com a visão qualitativa.

Existe distantes diferenças entre motivação intrínseca (que vem de dentro) e motivação extrínseca (que vem de fora).

Quando a motivação é intrínseca, a pessoa demonstra real interesse na atividade e desenvolve alguns atributos como autonomia, propósito e aprimoramento. Essas características fazem a diferença no trabalho no quesito qualidade, e é o que trás os surpreendentes resultados.

Por Zilmara Filisbelo

Fonte: Você S/A

Ponderar e conhecer todas as características de uma equipe antes de começar a delegar as funções e novas atribuições é obrigação de líderes, que são treinados para isso.

Todo o embasamento antes da delegação possibilita uma alta margem de acerto e com isso o mapeamento de resultados é muito mais eficiente, afinal todas as  funções são definas pelas aptidões, o que gera prazer e contentamento de todos em participar do processo.

Para um líder o gerenciamento é mais rápido e mais eficiente, e os objetivos serão mais fáceis de serem alcançados.

Mas, em alguns casos, os erros de atribuição de obrigações, não é necessariamente da chefia, pois quando não existe treinamento nem uma orientação certamente problemas podem ocorrer nesta árdua responsabilidade.

Por José Alberi Fortes Junior


Poucas pessoas qualificadas reclamam da onda de desemprego ou da crise financeira mundial. Isto porque indivíduos que procuraram se especializar ou estudar neste período provavelmente conseguem uma recolocação rápida e eficiente.

A pessoa pode até no primeiro momento perder sua vaga, mas em pouco tempo consegue outra tão boa, ou melhor. Mas para quem não tem qualificação, nem desempenha bem seu trabalho ou função, a recolocação é cada vez mais difícil e justifica-se devido ao fato de cada vez os empregadores estarem sendo mais exigentes.

Portanto, é uma evolução e uma tendência que os empregados sejam cada vez melhores e que para os cargos mais rasos a rotatividade seja maior.

Por José Alberi Fortes Junior





CONTINUE NAVEGANDO: