A tentativa desesperada por uma vaga de emprego, algumas vezes, leva o candidato a fornecer no currículo alguns dados irreais. Trata-se, desejavelmente, de um grande desejo ou necessidade e não de uma intenção desonesta.

A busca constante por emprego, num longo período, gera ansiedade, estresse e outras características psíquicas que, após uma análise criteriosa, justificam uma ação questionável.

O currículo é o principal instrumento de registro das experiências, formações e qualificações do profissional. A exatidão das informações deve ser real. Observações sem comprovação de dados demonstrarão a possível empresa contratante, durante uma checagem, o indício de um candidato sem comprometimento.

Então, cuidado! Não permita que desejos sobreponham-se sobre suas escolhas de conduta de caráter.

Por Patricia Gujev


Todos sabem que não é preciso nem agradável ser um puxa-saco para agradar o chefe. Acertar na dose requer um pouco de equilíbrio. Mas não precisa ser muito exagerado em modéstia a ponto de deixar em branco seu bom trabalho.

Chefe gosta que pense como chefe, que aja como empreendedor. Não adianta ser competente se não tiver a confiança do seu superior. Eis algumas dicas simples para conquistá-lo:

– Procure antecipar as necessidades dele e até mesmo exceder suas expectativas, saiba o que ele quer e, também o que não quer;

– Evite quebra de braço, não é por que você começou a pensar como chefe que vai competir com ele;

– Não diga sim para tudo o que ele diz, eles também gostam de ser confrontados, principalmente por quem oferece soluções;

– Esqueça o relógio, se você fica acompanhando o ponteiro até marcar 18 horas, isso denota falta de comprometimento;

– Cuidado com exageros, saiba se vender e aceitar elogios, mas não se torne arrogante querendo ser melhor do que seus colegas.

Por Zilmara Filisbelo

Fonte: Guia do Empreendedor

As pessoas que se tornam excelentes profissionais e executivos não tem como diferencial algum segredo que só eles sabem ou um super anjo da guarda.

O que eles tem é absurdamente simples: sabem extrair das pessoas o melhor que elas tem, não ficam se esforçando em tentar mudar as pessoas.

Existe um abismo entre o pensamento convencional e o estilo dos melhores administradores. Tenha em mente que dinheiro apenas atrai as pessoas, mas não as mantém satisfeitas, não as inspira. Vale também citar aquele jargão ‘trate as pessoas como gostaria que fosse tratado’, para isso é preciso conhecer bem a si mesmo e as pessoas ao seu redor.

Há regras que devem ser quebradas, mas com cuidado, não existe um único  caminho correto a ser seguido por todos. Os melhores executivos sabem onde estão e onde querem chegar, sem ter necessidade de controle sobre coisas que estão nas mãos de outras pessoas.

Por Zilmara Filisbelo

Fonte: Guia do empreendedor

Geralmente a hora da entrevista é um momento crucial para o candidato. Por isso uma boa dica alem de paciência e calma é pesquisar um pouco da empresa pela internet para não cometer nenhuma “gafe”. O que também ajuda muito é tentar pensar o que poderia ser perguntado e responder com clareza, transparência e objetivamente.

Quando perguntado, por exemplo, sobre suas fraquezas ou defeitos não hesitar em responder, afinal todos temos nossos defeitos. Vestir-se adequadamente sempre foi fundamental para concorrer a vaga, Sem atrasos e nem erros de português. Calma e tranqüilidade são as verdadeiras chaves para essa conquista.

Por José Alberi Fortes Junior


Ambos querem dizer a mesma coisa, Trajetória de vida. Antigamente, principalmente em meios acadêmicos, costumava-se dizer que currículo era mais simples, um breve resumo da sua carreira, serve para dar uma base do que você já fez na vida. Em geral, destacava apenas habilidades e experiências principais. Curriculum Vitae, com um nome mais pomposo, em latim, era algo mais elaborado, com mais detalhes da carreira acadêmica e profissional, durante toda a vida. O curriculum mostrava nos mínimos detalhes todas as suas habilidades. Este documento podia conter várias páginas, já um simples Currículo deveria conter no máximo duas e relatar só experiências mais recentes.

Nos dias de hoje, no entanto, é comum que um e outro sejam sinônimos, sendo a forma em latim mais usada para dar título ao documento e a forma aportuguesada para referenciá-lo de maneira coloquial. O antigo Curriculum Vitae, mais elaborado, por exemplo, virou Currículo na Plataforma Lattes. Já os currículos curtos viraram Curriculum Vitae nas candidaturas a empregos.

Então, o que fazer?

Nossa dica é seguir os padrões de mercado ou do empregador. Quando estiver descrevendo suas três últimas experiências e últimas formações acadêmicas para se candidatar a um emprego, chame-o de Curriculum Vitae, já que é o padrão do mercado. No entanto, em sua carta de apresentação, não faz mal algum chamá-lo de currículo no corpo do e-mail.

Por exemplo, é praxe usar no e-mail a frase “Segue em anexo meu currículo”, mas o título do documento anexado ser “Curriculum Vitae”.

Está claro?


Cada vez é mais difícil de arrumar emprego direto em posições de lideranças e chefias. As grandes empresas hoje preferem promover antigos colaboradores e através de processos seletivos internos, podem ser bastantes críticos, pois conhecem já o histórico profissional de todos.

Outro fator favorável para a promoção em vez da contratação de chefias é a motivação que estes processos geram. Criam a filosofia no funcionário de sempre estar em evolução, estudando e se aprimorando.

Mas a contratação externa também ocorre, mas agora elas são muito criteriosas e no período de experiência são testados quase todos os requisitos. Portanto, continue enviando os currículos, afinal um bom profissional não será nunca deixado de fora.

Por José Alberi Fortes Junior

Empresas especializadas em treinamento de motivação e lideranças utilizam várias técnicas para medir a motivação e organização de cada funcionário em trabalhos de equipe.

Circo, navegação, eco-turismo, paintball ou simplesmente execução de um churrasco são usados como laboratório para que as motivações para situações corriqueiras sejam mensuradas.

Isso auxilia diretorias e departamentos de recursos humanos a avaliar e poder comparar seus colabores. Motivadores e motivados têm desempenho superior e normalmente apresentam um futuro promissor, pois é a imagem que os executivos procuram.


As entrevistas de emprego propõem, às vezes de forma bem sutil, perguntas que, uma vez mal respondidas, acabam com as chances do candidato. Por exemplo, muitas empresas insistem em perguntar os motivos que levaram o candidato a escolher determinada empresa.

Para essa pergunta é sempre bom ter uma resposta pronta: pesquise sobre a empresa a que está tentando se empregar, leia sobre suas áreas de ação, que atividades realiza, como é vista pelo mercado, etc.  Essa procura pode ser feita visitando o site institucional da empresa, e se você tiver oportunidade, converse com funcionários que poderão fornecer informações valiosas sobre e a empresa e o ambiente de trabalho.

Responda as perguntas de maneira sucinta e coesa, e procure sempre valorizar sua pessoa e seu perfil profissional, deixando claro que fazer parte dessa empresa é objetivo de muitos profissionais, devido ao posicionamento desta no mercado em sua área de atuação.


Além de contribuir para o crescimento pessoal sendo uma experiência sem igual, o trabalho voluntário está sendo considerado um diferencial principalmente para quem está em inicio de carreira.

Freqüente nas entrevistas ou nos testes pré-entrevista as empresas querem saber se o candidato já teve ou tem experiências de atuação de trabalho voluntario, o fato é que, arranjar um tempinho a mais para trabalhar em Associações, Fundações e Organizações Não-Governamentais dá mais maturidade tanto como pessoa quanto como profissional.

No fim ajudar a quem precisa é mão dupla de lucro, ganha quem é ajudado e ganha quem ajuda, por isso, não custa nada dar uma mãozinha a quem necessita.





CONTINUE NAVEGANDO: