Se você foi selecionado para participar de uma Dinâmica de Grupo, parabéns! Mas você sabe como deve agir para cativar a atenção de quem recruta? Como ter um bom desempenho? Fique atento às dicas a seguir.

Primeiramente, a sua roupa deve ser discreta e confortável, não apenas para ter uma boa apresentação, mas também porque algumas dinâmicas envolvem movimentação. Outra dica importante: Não pense que as atividades são meras brincadeiras e joguinhos sem sentido, ao contrário, é uma estratégia para avaliar o comportamento dos candidatos.

O que os profissionais observarão em você é o seu perfil e se ele é adequado para assumir aquela vaga em aberto. Você deve mostrar a sua postura profissional. Desse modo, evite: gírias, prejudicar seus concorrentes durante a realização das atividades em grupo, exagerar para obter destaque, não participar, demonstrar timidez e mentir.

Embora cada cargo exija determinadas habilidades, existem algumas mais visadas: capacidade para trabalhar sob pressão, tomar iniciativa, saber trabalhar em equipe, liderança e boa comunicação. Boa Sorte!

Por Melisse V.


O que leva uma pessoa formada em publicidade atuar na área administrativa? Ou um técnico de informática atuando na área comercial? Necessidade ou ato de coragem?

Algumas mudanças de ares e alteração de rotinas de trabalhos são feitas por pessoas corajosas, que têm perfis dinâmicos e que a graduação ou cursos completados não eram exatamente o que queriam, mas o que a oportunidade permitiu.

Outros, por falta de oportunidades na sua área de formação, optam por empregos em outras áreas para sobreviver. A médio ou longo prazo causa desconforto e muita frustração. Se especializar e manter-se atualizado é uma forma de voltar a atuar no ramo de preferência.

Por José Alberi Fortes Junior


Antes de tudo, vale dizer que avaliar é mensurar ou medir alguma coisa. Portanto, podemos dizer que quando o desempenho do colaborador é avaliado, é feita uma medição, baseada em padrões pré-estabelecidos, relacionada ao modo de execução da atividade ou cumprimento de uma meta esperada.

Na avaliação são considerados dois padrões: o Ideal, de acordo com as metas estabelecidas, e, o Real, de acordo com o verificado. Comparando estes padrões, chega-se a certas conclusões ao conjunto das quais é dado o nome de Avaliação de Desempenho.

Muitas pessoas temem até mesmo o nome desta ferramenta, mas o objetivo ao utilizá-la não é o de impor temor aos colaboradores ou pressioná-los em qualquer sentido e sim o de melhorar todo o âmbito, seja de produção, comportamental ou relacional do trabalho. Envolve, portanto muito mais que o produto ou os valores financeiros, envolve, também, o colaborador como força de trabalho e como ser humano com potencial e limitações.

Sempre, após a conclusão da avaliação, o superior chamará o colaborador para o feedback que tem por objetivo mostrar, além dos seus pontos fracos, os pontos fortes e abrir caminho para as melhoras rumo a excelência.

Por Lindomar Vieira

Quando um funcionário é transferido de cidade, normalmente vem à mente uma série de dificuldades e mudanças. Mudar de casa, deixar seu lar, amigos e até a família pode gerar conseqüências desastrosas para o colaborador.

Alguns se adaptam facilmente ao novo ambiente, porém isso depende de seu gênio e de sua personalidade, não é regra nem exceção. Aos que têm espírito de aventura e são dinâmicos, uma transferência pode motivar e melhorar ainda mais seu desempenho, mas o contrario também pode acontecer, causando queda enorme de rendimento.

O líder, em alguns casos, não tem como avaliar e prever a adaptação, mas o funcionário tem que ter em mente que sua opinião é importante e fundamental, por isso antes de aceitar, pondere todos os prós e contras antes de começar a fazer as malas.

Por José Alberi Fortes Junior

reconhecimento de realizações e conquistas não precisa ser feito somente por gratificações e bonificação financeira. Por vezes um elogio ou um agradecimento em frente aos colegas de trabalho basta para criar uma motivação.

Brindes, doces e folgas são formas baratas de reconhecer e motivar seu colaborador, pequenas ações também servem para criar modelos de comportamento, como por exemplo, elogiar o “Paulo” por ser mais simpático, o “João” por ser o mais pontual, a “Cíntia” por ser a mais engraçada etc.

Sendo assim, a forma de motivação não é tão importante quanto à ação de fazê-lo.


A motivação pessoal é um grande desafio para qualquer profissional, principalmente, depois de um longo período trabalhado na mesma empresa.

A empolgação que se mantém para realizar suas funções é um dos diferenciais para conseguir admiração e ser bem visto pela chefia. Manter-se empolgado ao longo da carreira interfere diretamente nas promoções e no bom relacionamento com os colegas de trabalho.

Mantendo essa animação, além de contagiar todos ao seu redor, o candidato também executa suas tarefas diárias com maior presteza, empolgação, clareza e acima de tudo boa vontade. Portanto relacionar-se bem e manter-se motivado contagia qualquer pessoa.


Empresas especializadas em treinamento de motivação e lideranças utilizam várias técnicas para medir a motivação e organização de cada funcionário em trabalhos de equipe.

Circo, navegação, eco-turismo, paintball ou simplesmente execução de um churrasco são usados como laboratório para que as motivações para situações corriqueiras sejam mensuradas.

Isso auxilia diretorias e departamentos de recursos humanos a avaliar e poder comparar seus colabores. Motivadores e motivados têm desempenho superior e normalmente apresentam um futuro promissor, pois é a imagem que os executivos procuram.





CONTINUE NAVEGANDO: