Confira aqui algumas dicas para utilizar na temida entrevista de emprego.

Muitas pessoas ficam tensas na hora de participarem de uma entrevista de emprego, principalmente se for a primeira entrevista. É normal ter um pouco de nervosismo nesse momento, mas não é nenhum bicho de sete cabeças. Algumas coisas podem ser feitas para que você se sinta melhor no momento da da seleção, aumentando as chances de se sair bem e conseguir a vaga almejada. Confira abaixo algumas dicas:

Se atente ao horário: Não há nada mais deselegante do que chegar a uma entrevista de emprego atrasado. Lembre-se que imprevistos podem acontecer, principalmente se você depende de transporte público, então é melhor sair de casa com antecedência, do que chegar atrasado e causar uma má impressão no entrevistador.

Perguntas também podem ser feitas: Tenha em mente que você não precisa apenas responder às perguntas do recrutador. Você também pode fazer perguntas e isso é até bom, pois demonstra que você tem realmente um interesse pela empresa e pela vaga em questão. Tome cuidado apenas para não levantar questões exageradamente ou perguntar coisas inúteis.

Tenha bom senso nas redes sociais: É claro que quem está exposto nas redes sociais não tem 100% de privacidade. Muitos recrutadores visitam os perfis dos candidatos no Facebook, por exemplo, para ver certos tipos de comportamento e opiniões. Portanto, muito cuidado com o que publica por lá e pense bem antes de postar qualquer coisa que te exponha negativamente, principalmente comportamentos que vão de encontro aos valores da empresa em que você deseja trabalhar.

Tenha coerência na hora de escolher as vestimentas: Na hora de ir para a entrevista, escolha uma roupa confortável, limpa, que não seja vulgar e que combine com o que você quer trabalhar. É lógico que se você quer trabalhar em um estúdio de tatuagem, por exemplo, você não vai chegar lá de terno e gravata, bem como não vai de bermuda para um escritório de advocacia. Tenha cuidado com a higiene pessoal, evite exagerar no perfume ou chegar na entrevista com cheiro de cigarro.

Pesquise sobre a empresa antes: Não vá para a entrevista sem saber nada sobre a empresa antes. Uma boa ideia é entrar no site da empresa, ler sobre a missão e os valores e conhecer um pouco sobre sua cultura organizacional.

Fique atento à postura e não fale gírias: Você sabia que a linguagem corporal das pessoas pode dizer muita coisa e principalmente expressar o que elas estão sentindo? Cumprimente o entrevistador, sorria, tenha uma boa postura, nada de ficar curvado ou sentar com as pernas abertas, dando uma impressão de cansaço ou preguiça. Também tome cuidado para não deixar escapar algumas gírias durante a entrevista, principalmente se você tem bastante costume em utilizá-las no seu cotidiano.

Seja você mesmo: Por fim, não finja ser uma pessoa que você não é só para agradar ao recrutador e conquistar a vaga, não invente mentiras absurdas, seja autêntico e sincero.

Por Nathalia Henderson


Opiniões dos especialistas da área são divergentes, mas a maioria diz que o assunto deve ser abordado na reta final da seleção.

Entrevistas de empregosempre dão um frio na barriga e trazem alguns questionamentos como, por exemplo, a questão salarial. A dúvida que sempre surge: "Em que momento da entrevista se deve falar sobre o salário?".

Especialistas da área de Recursos Humanos têm opiniões divididas, mas a maioria (cerca de 30%) diz que o assunto deve ser abordado na reta final da seleção. Esses dados foram tirados de um estudo realizado em 2014, feito pela Robert Half. Nesse estudo foram consultados 1.675 diretores de RH. Além dos 30% que acham que o salário deve ser abordado no final do processo seletivo, 27% disseram que só se deve abordar a pretensão salarial a partir da segunda entrevista e 14% diz que o candidato não deve abordar o assunto e sim, o empregador. Mas uma grande parte acredita que o momento ideal para isso é a primeira entrevista (29% deles).

Abordar a questão salarial logo de cara, é complicado. Claro que é importante saber, afinal, ninguém quer trabalhar de graça ou ser mal remunerado. Acontece que isso pode passar uma imagem ruim, pode parecer que o interesse maior é o salário e não a função, o que a empresa tem a oferecer e tudo mais – considerando, é claro, a forma de abordagem, porque em algum momento isso será necessário.

Especialistas dão dicas para a abordagem e para negociação de salário:

1.  Fique por dentro dos números:

O candidato deve estar muito bem informado sobre as tendências salariais – considerando o cargo, a cidade e o mercado. Consultar fontes como pesquisas e publicações, bem como consultar colegas de trabalho e recrutadores ajuda bastante.

2. Esteja munido de argumentos:

Bons argumentos derrubam até as barreiras mais resistentes. O candidato deve estar preparado para falar sobre suas competências e sobre o quanto pode ser útil e o quanto pode colaborar com a empresa.

3. Não se precipite na conversa:

O candidato deve estar a par de todas as funções do cargo e do que esse cargo representa na empresa, deve estar certo de que esclareceu todas as dúvidas antes de começar a falar sobre a remuneração.

E a dica mais valiosa é ‘ter feeling’, saber a hora exata de trazer o assunto à conversa ou de perceber que o assunto será abordado pelo entrevistador.

Por Elia Macedo


Para falar sobre seus pontos fracos em uma entrevista, é preciso se conhecer e ser sincero com o recrutador. É preciso dizer também o que está fazendo ou o que pretende fazer para melhorar os pontos fracos que foram citados.

É na entrevista de emprego que o candidato tem a oportunidade de mostrar para a empresa que ele é o candidato certo para a vaga, porém o recrutador pede para que ele fale sobre seus pontos fracos e isso, para a grande maioria dos candidatos, é um duro golpe porque ele está ali para mostrar as suas qualidades e convencer a empresa que é o melhor candidato, porém, ao enumerar seus pontos fracos poderá estar colocando tudo a perder.

Mas é melhor estar preparado para este momento porque as empresas vão te pedir para falar sobre seus pontos fracos durante a entrevista de emprego e é melhor que você esteja muito bem preparado nesta hora.

Não há uma fórmula a ser seguida para se dar bem nesta hora, o que acontece é que a empresa quer saber se você tem um bom autoconhecimento, então para não fraquejar, o indicado é que você faça uma autoanálise e veja com sinceridade quais são os seus pontos fracos.

Responder com sinceridade e enumerar com tranquilidade os seus pontos fracos, mostrará ao recrutador que você se conhece muito bem e não tem problema em falar dos pontos fracos e isso é tudo que o recrutador quer de você!

Mas fique atento a este momento, porque citar seus pontos fracos e baixar a cabeça se sentindo um inútil é o caminho certo para você ser reprovado e não conseguir a tão sonhada vaga. Porque o recrutador perguntou pelos seus pontos fracos, mas tem algo que ele quer saber, só que não vai lhe dizer, que é o que você pretende fazer ou já está fazendo a respeito dos pontos fracos citados.

Se você disser, por exemplo, que não domina um segundo idioma, estará enumerando um ponto fraco, mas o que você pretende fazer a respeito? Por isso é tão importante a autoanálise, porque se você detecta com antecedência que um dos seus pontos fracos é a falta de um segundo idioma, poderá tomar uma providência, por exemplo, iniciar um curso de inglês ou espanhol. Assim, neste momento da entrevista de emprego, quando você enumerar seus pontos fracos, irá dizer também o que está fazendo a respeito. Com isso, você vai mostrar ser uma pessoa sensata, que está atenta ao seu crescimento profissional, que tem consciência de seus defeitos, seus pontos fracos, mas que está trabalhando para melhorá-los.
Agora você entendeu porque dissemos que não há respostas prontas para este momento, cabe a cada candidato, fazer sua autoanálise com antecedência, verificar seus pontos fracos e tomar providências para melhorar como pessoa e como profissional.

Se você agir desta forma, no momento da entrevista de emprego, irá agir naturalmente e com certeza, vai conquistar o recrutador com sua sinceridade e também com a sua postura.

Por Russel


Quando somos convocados para uma entrevista de emprego, começamos logo a formular o que precisamos falar na hora, e muitas vezes essas falas que achamos ideais são nada mais do que discursos prontos. Esses "diálogos ensaiados" geralmente não impressionam mais os recrutadores, pois todos eles já estão bem acostumados a ouvir as mesmas coisas em todas as entrevistas de emprego. Mas, o que fazer para fugir desses discursos prontos? Você pode tentar seguir as seguintes dicas:

– Se o recrutador pedir para falar mais sobre o que você acha de você mesmo: Primeiramente, antes do mais nada, você deve falar a verdade, somente a verdade, evite mentiras e omissões, pois uma hora ou outra o recrutador pode acabar descobrindo, seja através de um comportamento seu ou uma outra atitude que passar despercebida.

– Se o recrutador perguntar quais são seus maiores defeitos: Fale exclusivamente de você. Explique verdadeiramente quais são seus defeitos e que está disposto a melhorá-los para aprender com eles.

– Se pedirem para que você fale sobre seus pontos fortes (ou lado positivo): Aqui você pode falar por exemplo, as expectativas que você tem sobre você mesmo para o futuro, e não discursos que todos já falam, como "eu sou detalhista", "perfeccionista" ou "dou o melhor de mim", pois isso eles já estão cansados de ouvir. Fale sobre o que você gostaria de ser e como irá mostrar seus resultados dentro da empresa, independente da sua condição no momento, pois isso pode atrair o recrutador.

É muito importante também que você cite experiências do passado, pois isso pode te ajudar. Fale do que te ajudou a superar obstáculos, pressões de ex-chefes e momentos de dificuldades em sua carreira.

Algumas pessoas têm medo de expor situações do passado, mas, muitas vezes são elas que nos ajudam a superar diversos problemas do cotidiano, principalmente quando envolve trabalho. Enfim, nessa hora pode valer tudo, menos mentir e exagerar no discurso.

Por Daniela Almeida da Silva


É chegado o grande dia, o tão sonhado processo seletivo para aquela empresa “mega”, onde você tanto desejou trabalhar e a ansiedade toma conta do candidato. Mas se o entrevistado se preparou previamente, a tendência é que tudo aconteça conforme o desejado. Mas como se preparar se não existe uma regra para o que será perguntado na entrevista de emprego? Simples, algumas perguntas são quase sempre repetidas ao candidato. Sabendo o que irá dizer, as chances de sucesso se ampliam. 

Fale um pouco sobre você. Essa pergunta é praticamente obrigatória nas entrevistas de emprego e, com certeza, é a que causa maior nervosismo. Fale de forma segura e direta, seja sucinto e valorize seus resultados profissionais. A não ser que seja perguntado, não comece um longo e enfadonho monólogo sobre sua vida pessoal, isso poderá demonstrar que o candidato quer desviar do assunto mais importante: seu perfil profissional. Procure não exagerar nos gestos e contenha suas mãos se você for daquelas pessoas que falam gesticulando muito. Geralmente, esse tipo de comportamento denuncia uma ansiedade e nervosismo que podem atrapalhar na hora do entrevistador avaliar e tirar suas primeiras impressões em relação ao candidato.

Outro questionamento muito comum é perguntar o motivo pelo qual o candidato enviou o currículo para aquela empresa. De posse de todo conhecimento prévio feito sobre a instituição, o candidato poderá entrelaçar seus objetivos profissionais com o perfil da empresa. Demonstrando ao entrevistador interesse e compatibilidade de ideias em relação ao contratante e aproximando seus objetivos dos da companhia, suas chances de sucesso serão muito grandes.

No mais, seja simpático e gentil, demonstre interesse e foco no que está sendo apresentado e solicitado seja na entrevista, seja na dinâmica em grupo. E, principalmente, jamais aumente ou conte uma mentira sobre seu perfil profissional. Lembre-se, o entrevistador é uma pessoa treinada e poderá perceber facilmente um deslize desses. 

Por Taty Tesch


A busca por emprego quase sempre gera um sentimento de ansiedade e excesso de expectativa, juntamente com a necessidade de se ter um emprego que o faça sentir-se útil e fornece-lhe o sustento. É bastante comum que o candidato ao encontrar a oportunidade de se candidatar a uma vaga de emprego, leve consigo toda essa carga antes mesmo da realização da entrevista, levando em consideração que o processo seletivo por si só já causa um certo desconforto para a maioria das pessoas. Mas como evitar que essa carga de "pré-seleção" não influencie na entrevista de emprego?

Seguem dez dicas que poderão te ajudar numa entrevista de emprego:

1. O primeiro passo é se candidatar à vaga certa! Analise o perfil divulgado e certifique-se de que está de acordo a ele, isso eliminará 50% dos desafios numa entrevista de emprego. Ter certeza de que você é a pessoa certa para a vaga anunciada, favorece o seu estado emocional.

2. Seja pontual, estamos cansados de saber que o nosso país tem um sério problema de mobilidade, que tal sair com uma boa margem de antecedência? A pontualidade reflete o seu compromisso e comprometimento.

3. Busque equilíbrio emocional, não adianta você ficar "pré-ocupado" com o que vai acontecer na entrevista. Pesquisas afirmam que 90% das coisas que nos levam a ficar preocupados, não acontecem.

4. Tenha um currículo claro e verdadeiro. Procure colocar informações verídicas sobre locais e experiências anteriores, evite colocar muitas informações e os coloquem em uma ordem cronológica, isso ajudará o selecionador e a você mesmo a ter uma linha clara da sua trajetória profissional.

5. Evite comparações, você é singular, mesmo que pense que é parecido com todos os outros candidatos concorrentes. Não entre na onda de mudar a sua apresentação porque a maioria dos candidatos falam muito ou pouco, seja criativo e seja você mesmo.

6. Mostre interesse! A falta de entusiasmo e interesse é um dos aspectos mais apontados pelos selecionadores como o aspecto mais prejudicial na hora da entrevista.

7. Desenvolva uma boa comunicação oral e postura, você tem à sua disposição uma gama de possibilidades de aprimorar a sua fala e a sua postura. Leia livros e revistas, entre em um grupo de teatro, leia em voz alta, assista vídeos que deem dicas, existe uma série de opções que a internet dispõe a todos os seus usuários. Lembre-se que o selecionador não é o seu amigo ou familiar, gírias não serão bem-vindas.

8. Vista-se adequadamente, sempre há uma roupa apropriada para cada ocasião. Evite roupas curtas, camisetas, sandálias, maquiagem pesada e cabelo bagunçado. Desfazer uma má impressão dá trabalho.

9. Fuja dos extremismos! Como diz o ditado, ninguém é perfeito. Exponha os seus defeitos como pontos a serem melhorados ou desenvolvidos e exalte as suas qualidades, evite o "Eu sou nota 10" ou "Eu sou nota 0".

10. Desenvolva um bom trabalho em equipe. Cada vez mais as empresas utilizam as dinâmicas de grupo para identificar melhor o perfil do candidato, a busca por profissionais que saibam trabalhar em grupo é essencial. Escute os seus colegas, se posicione de forma clara e tranquila, evite entrar em discussões desnecessárias e trate a todos com gentileza e respeito.

Por Tamires Assis


Uma entrevista de emprego com certeza é o primeiro passo para se ter acesso a uma vaga de trabalho que está em aberto numa determinada empresa. Algumas empresas ainda utilizam um processo seletivo mais avançado além da própria entrevista, que é para avaliar as habilidades de cada candidato de uma forma mais diversificada.

Mas é na entrevista que muitas pessoas cometem equívocos e são logo eliminadas, por mais que tenham se desempenhado bem nas outras etapas do processo seletivo.

A entrevista de emprego é como uma porta de entrada, ou muitas vezes, de saída, para uma empresa. É através dela que é possível descobrir muitas coisas que estão "encobertas" pelos candidatos, seja um comportamento, uma atitude, ou qualquer outro hábito. Digamos que nesse ponto, algumas empresas exageram muito. Elas praticamente "espremem" o candidato. Querem saber tudo sobre todos, colocando o candidato muitas vezes em uma 'saia justa'.

É fato que temos que estar preparados, mas, e se mesmo assim surgir alguma situação ou improviso no momento, em que exija mais do que um simples preparo para a ocasião? A única saída é evitar falar. Sim, evite falar do que falar muito e no fim das contas não falar nada (no sentido de ficar tagarelando). Pelo menos assim você corre menos risco.

Por exemplo, se te perguntarem do seu ex-chefe, diga apenas que você não tem nada para falar sobre ele, já que sua convivência era apenas profissional e não pessoal. Daí você pode acrescentar outras coisas que sejam relevantes para aquele momento e que não te comprometam, como "ele era um bom profissional" ou "aprendi muito com ele". Tome muito cuidado com os adjetivos, pois o recrutador poderá pedir para você explicar mais sobre isso.

Enfim, saiba que palavras são pensamentos e também comportamentos não verbalizados, logo, você deve tomar muito cuidado com elas. Aprenda a se expressar com o pouco do que com o muito, isso dirá muito sobre quem você é.

Por Daniela Almeida da Silva


São muitas as empresas que aderem a processos seletivos para avaliar candidatos para uma determinada vaga, programa de estágio ou trainee. A maioria desses candidatos são jovens universitários ou pessoas recém-formadas em cursos superiores e que estão em busca de uma oportunidade de carreira.

Seja qual for a situação, todos passarão pelas mesmas etapas e serão avaliados da mesma forma. Portanto, aperte o cinto e bola para frente nessa viagem que talvez seja só de ida, mas antes, acompanhe algumas dicas para você se sair bem:

– Descubra por meio de pesquisas como é o processo seletivo da empresa para a qual você foi convocado. Para isso, informe-se a respeito de como são aplicados os testes, as dinâmicas, e outras etapas. Não se esqueça também de se atualizar em conhecimentos gerais e sobre a área que você vai atuar.

– Pesquise informações sobre a empresa e fique por dentro de toda a sua política de atuação, bem como os valores, a cultura e os demais aspectos relevantes.

– No primeiro dia da etapa presencial, passe uma imagem de quem está bastante interessado no processo. Chegue mais cedo do que o horário marcado para que você se familiarize com o lugar e se sinta confortável na sala de espera.

– É comum surgir alguma ansiedade na hora. Desde que isso não atrapalhe seu desempenho, você pode considerar isso saudável para sua proteção. Portanto, não se desespere.

– Seja amigável com os outros candidatos para não parecer que você está num campo de batalha. Isso irá aumentar sua autoconfiança. Enfim, se você está preparado para esse momento, saberá onde quer chegar. Por isso, confie sempre em seu potencial, e tenha certeza de que é capaz.

Se em algum momento você achar que não foi bom o suficiente, acredite que você deu o melhor de si, e que até o momento você foi um vencedor.

Por Daniela Almeida da Silva


Preocupar-se apenas com o diálogo e com o currículo impresso em um processo seletivo não é suficiente. Candidatos que almejam, de fato, sucesso nas futuras entrevistas de emprego precisam atentar-se também à linguagem corporal.  

De acordo com especialistas, os gestos e modos de agir, muitas vezes, contam muito mais do que a conversa entre o recrutador e o candidato. Confira a seguir algumas dicas que podem auxiliar – e muito – em suas próximas entrevistas de emprego. 

– Sorriso:

Sorrir demonstra receptividade e simpatia, duas qualidades buscadas em um profissional. Porém, é interessante manter-se o mais natural possível, visto que um sorriso forçado pode ser pior do que uma cara mal humorada. 

– Convicção: 

Além de falar com convicção durante a entrevista, é importante também manter um tom de voz estável e tranquilo. Quando o recrutador observa nuances e alterações na voz, pode interpretar como nervosismo e insegurança do candidato. 

– Excesso de gesticulação: 

Mexer muito com as mãos durante uma entrevista – além de sinal de nervosismo – pode transferir a atenção do entrevistador para os gestos, deixando o conteúdo da conversa em segundo plano. Evite também apontar para o recrutador: tal ação representa agressividade! 

– Boa postura: 

Mantenha-se sentado e apoiado corretamente na cadeira, nunca se esparramando, aos olhos do entrevistador, pode soar como desleixo. Quando for questionado, responsa sempre com a cabeça levantada, alinhada aos ombros: abaixá-la pode significar insegurança e medo. 

– Braços cruzados: 

Poucos sabem, mas o simples ato de cruzar os braços pode fechar futuras – ou até atuais – oportunidades. Isso porque cruzá-los demonstra que o candidato não está aberto e receptivo ao diálogo e, consequentemente, à nova oportunidade. 

– Aperto de mão: 

É preciso ter cuidado ao apertar a mão do entrevistador, já que fazê-lo com muita força representar arrogância e agressividade e, quando fraco demais, representa falta de sinceridade. Para não errar, o ideal é um aperto de mão discreto e firme.

Como dizem há algum tempo, um gesto vale mais do que mil palavras. E essa máxima é presente, também, nos processos seletivos.

Mantenha-se atento! 

Por Tati M.


Você se sente preparado para uma entrevista de emprego quando é convocado? De acordo com Padmaja Ganeshan-Singh, consultora de carreiras, quem se sente mais preparado para uma entrevista tem a probabilidade de causar uma boa primeira impressão logo no primeiro dia do processo seletivo. Para se dar bem, o candidato precisa demonstrar alguns conhecimentos do ramo da empresa, além de ideias de como ele poderá atuar para melhorar os resultados.

Abaixo estão listadas 6 atitudes esperadas de você na entrevista:

1. Entender perfeitamente a descrição da vaga: você precisa ter todas as informações sobre a vaga para qual está concorrendo. É interessante que ao menos você tenha parte dos requisitos exigidos, para enfim, estar preparado verdadeiramente para as seguintes perguntas: Por que você gostaria de ser contratado? Você é capaz de se dedicar a esta vaga? Você concorda com as exigências?

2. Esteja sempre disponível: se a empresa te procurou é porque tem certeza que estará disponível não apenas para fazer a entrevista, mas também para conversar ao telefone nesse momento. Caso não esteja disponível naquele momento, peça encarecidamente que o recrutador te ligue em um horário que seja adequado para ambos.

3. Esteja ciente de seus objetivos: quais são seus objetivos para esta vaga? Qual a sua pretensão salarial? Você tem flexibilidade? Por qual motivo se candidatou a esta vaga? Quando você poderá começar? Essas e outras são as principais perguntas que um entrevistador deve fazer, e para respondê-las é preciso estar devidamente preparado, pois isso ajudará vocês dois a definirem metas e expectativas corretas, economizando tempo para os dois.

4. Dê exemplos: se você informar uma determinada experiência, com certeza será questionado sobre isso. Para que você não se perca em suas menções, tenha em mente alguns exemplos para mostrar ao recrutador para que ele saiba que você é o profissional certo.

5. Seja cordial e demonstre todo o seu interesse não só pela vaga, mas pelo trabalho também: se você tiver contatos importantes em sua rede profissional e tiver que mencionar, seja cordial nessa hora. O interesse no trabalho e nas atividades dele ajudam a fazer seu marketing pessoal na hora da entrevista, por isso, demonstre que tem intenção de fazer seu papel para trazer resultados para a empresa.

6. Seja uma pessoa curiosa: o entrevistador sempre esperará que você tenha alguma pergunta a fazer. Nesse caso, pergunte sobre as próximas etapas da seleção ou por quanto tempo será a contratação. Essas são algumas perguntas inteligentes e que podem ser feitas na hora.

Por Daniela Almeida da Silva


Atenção marinheiros de primeira viagem numa entrevista de emprego! Mesmo que tenha um milhão de dúvidas no momento da seleção, seja criterioso e pense antes de fazê-las. Algumas delas são verdadeiras armadilhas para quem está procurando um emprego.

Quando se fala sobre entrevistas, seja de emprego, de estágio ou trainee, na maior parte das vezes se indica como o solicitador da oportunidade deve se comportar, o que ele deve dizer e como precisa agir. Bem, neste texto serão ditas algumas coisas que os candidatos não podem, em nenhuma hipótese, perguntar ao seu entrevistador.

Não é legal que você solicite ao recrutador que ele fale sobre a empresa para a qual está selecionando. O porquê é simples, se você fizer essa pergunta demonstrará que não se ocupou em procurar informações acerca da empresa, isso já mostra desinteresse.

Outra pergunta que não pode fazer é aquela relativa ao período de férias. Querer saber na entrevista quando e quanto tempo terá de férias determina que você está desmotivado e não está nem ligando para o trabalho. Também está vetada qualquer solicitação de benefícios.

Questões sobre possibilidades de aumento não devem ser feitas. Se o recrutador falar alguma coisa, ouça, nada mais.

Não pergunte sobre a importância da assiduidade na organização, pega mal. Você nem começou e já está querendo faltar! Será quase impossível conseguir a vaga se começar logo de cara pedindo essa informação. Outra questão que não pode ser abordada é a que se refere no home office.

Se você fez direitinho a tarefa de casa, deverá saber quais são os concorrentes da empresa, assim como os seus pontos fortes e fracos (até mesmo por dedução), portanto, não vale perguntar nada a respeito desses pontos.

Algumas outras perguntas que devem ser evitadas são as referentes às festas da empresa, processo de avaliação dos profissionais da empresa, se as informações que você der na entrevista serão checadas.

Algo que você não pode fazer de forma alguma, não perguntar nada. Questionamentos fazem parte do processo seletivo, se você não fizer nenhuma o entrevistador poderá ficar com dúvidas quanto o seu interesse real na vaga.

Por Melina Menezes


As dinâmicas de grupo se tornaram uma das etapas principais de alguns processos seletivos, especialmente para estágios e trainees, pois são postos que exigem mais dos participantes, por ser o primeiro ingresso deles no mercado de trabalho. 

Diante disso, às vezes, é comum  demonstrar um certo temor, ansiedade ou até mesmo pânico, já que muitas vezes algumas empresas exageram nessa etapa. 

Para fugir dessas emoções que só te atrapalham, acompanhe as dicas a seguir:

– Procure chegar antes do horário marcado:

Chegue uma hora antes de começar a dinâmica, e quando entrar na sala para iniciar a dinâmica, procure sentar entre as pessoas e não em uma cadeira separada dos demais, pois isso demonstrará introversão.

Não seja um "bobo alegre" mas também não seja tímido demais, pois essas atitudes quando demasiadas ou em falta podem demonstrar comportamentos inesperados e inerentes à você.

– Comunique-se:

Fale abertamente sobre as questões impostas na dinâmica, sem interferir as opiniões das outras pessoas, mas seja criativo, um tanto audacioso e ousado na medida certa. Vale lembrar que exageros nunca são bem vistos. 

Quando você for questionado sobre alguma coisa, mantenha a postura e utilize de argumentos que demonstram atitude e bons conhecimentos no assunto, já que você está ali porque de alguma forma interessou a eles.

– Demonstre seu interesse:

Demonstre todo o seu interesse, entregue-se totalmente e faça a diferença entre os demais, mantendo sempre a ética e o respeito.

Você estará sendo observado o tempo todo, por isso, muito cuidado com certos comportamentos.

– Mostre que tem competência:

Mostrar competência é diferente de querer se aparecer. Quando você só quer aparecer, normalmente não há respeito pelos demais, você só pensa na sua opinião e se torna muito invasivo. Seja educado, compreensivo e saiba expor suas ideias com sutileza, e na hora certa.

Enfim, mais do que nunca, você deve aprender a ter controle sobre suas emoções para não deixar elas agirem na hora errada, pois as pessoas podem perceber e o momento tende a ficar mais tenso ainda. Se for possível, faça sessões de relaxamento dias antes da dinâmica, pois pode ajudar muito. 

Por Daniela Almeida da Silva


Hoje em dia, para conquistar um bom emprego é necessário saber algumas regras para se sair bem na entrevista e vender o talento da melhor maneira possível. É nesse momento que o empregador irá ter o primeiro contato com o futuro empregado da empresa. Assim, é importante causar uma boa primeira impressão para agradar o entrevistador e demonstrar que você atende às exigências da vaga.

Diante disso, o candidato precisa se preocupar desde a roupa usada até a expressão corporal ao responder as perguntas. O primeiro fator a ser levado em conta é a aparência, uma vez que a primeira impressão é a que fica. Por isso, utilize roupas de acordo com a política e a cultura da empresa. Em seguida aproveite para conhecer e pesquisar sobre ela, pois esse pode ser o diferencial na sua entrevista e fazer com que você seja contratado.

Além disso, aprenda a mostrar seu valor, pois isso também agrega valor à empresa e é isso que eles procuram em um candidato. Outro fator de fundamental importância na hora da entrevista é a mentira. Jamais faça isso, porque pode te prejudicar e ser muito constrangedor. Assim, seja verdadeiro e diga aquilo que você não sabe fazer.

Preste muita atenção à sua expressão corporal, pois o corpo diz muito sobre você e do que você diz na entrevista. Os gestos, a postura, as pernas cruzadas, tudo mostra verdadeiramente o que você é e sente. O marketing pessoal é muito importante e revela se você é egocêntrico ou se irá desenvolver um trabalho magnífico. As redes sociais são um reflexo de você e certamente os entrevistadores vão pesquisar por elas para poder conhecer melhor o futuro funcionário. Por isso, preste muita atenção ao que você está postando nas redes sociais. Algumas vezes é melhor pensar bem se está sendo profissional e agregando valor ao seu currículo, pois como o próprio nome já diz é uma rede social, a qual milhares de pessoas podem ter acesso.

Por Luciana Viturino


A famosa frase “a primeira impressão é a que fica” nunca sai de moda no mundo corporativo.  Se o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo também cada vez mais os candidatos a uma vaga de emprego tem que estar dispostos a passarem uma boa imagem de si mesmos logo de “cara”.

A maneira como o candidato se veste, a sua pontualidade e comportamento do mesmo podem ser pontos fundamentais que irão determinar se ele é a pessoa certa ou não para a vaga.

Um bom passo para quem deseja se dar bem em uma entrevista de emprego ou ao menos não passar uma má impressão é começar a se preparar antes para o que está por vir. Isso inclui as perguntas do recrutador, as dinâmicas e outras fases que as seleções costumam ter. Chegar antes do horário marcado para a entrevista, conhecer bem a empresa e sua atuação no mercado são alguns “itens” nos quais o candidato deverá prestar atenção. Outra questão é que no momento de destacar suas qualificações o candidato passe a imagem de segurança. Abaixo listamos algumas dicas simples para quem vai participar de uma entrevista de emprego e não quer se dar mal.

1 – Currículo atualizado, bem elaborado e com informações relevantes.

Como sabemos o currículo é o cartão de visitas do candidato. Muitos recrutadores já descartam o candidato por coisas simples como erros de digitação ou ainda currículos que mais parecem o estudo de algum assunto (com mais de duas páginas). É bom tomar cuidado com as informações. Colocar aquilo que realmente é importante é que é o ponto base.

2 – Conquistas, pontos fortes e pontos fracos.

Saber sobre si mesmo dá ao candidato uma maior segurança. Muitos deixam para pensar nisso já no momento da entrevista. O que de fato é um erro. Definir antecipadamente aquilo em que se é bom, saber o que foi conquistado de antemão torna mais fácil a “venda” da imagem do profissional.

3 – Cuidado com os cumprimentos.

Tem gente que acredita que fazer um cumprimento forte, efusivo é uma boa forma de passar uma boa imagem. Isso é um grande engano. Simplicidade e naturalidade são mais indicados e mais seguros.

4 – Cuidado ao falar sobre seu chefe e seu emprego anterior.

Se for para destacar pontos em que você contribuiu ou resultados apresentados pelo chefe graças a uma iniciativa sua tudo bem. O que não vale é “descer o pau” na empresa e no antigo chefe. A primeira coisa que o recrutado vai pensar é: “É isso que ele vai fazer se sair daqui. Não quero ninguém sujando o nome da empresa ou o meu!”. Então muito cuidado com isso.

5 – Vestuário.

Esteja bem vestido de acordo com a empresa em que vai ser entrevistado. Algumas empresas são mais “liberais” enquanto que outras são muito conservadoras. É a velha dica: vista-se decentemente e discretamente.

6 – Mantenha contato visual com o recrutador.

Ao manter o contato visual com o recrutador o candidato demonstra que está prestando atenção ao que o mesmo está dizendo. Quem fica de cabeça baixa passa uma imagem de tristeza e timidez, coisa que nenhuma empresa quer em seu quadro de profissionais.

7 – Pergunte.

Não faz mal nenhum fazer perguntas no momento certo ao entrevistador. Isso vai mostrar que realmente há um interesse de sua parte em relação à vaga e à empresa.

8 – Desligue o celular.

Acho que não é nem preciso dizer o motivo. A entrevista é sua e sua grande chance. Interrupções poderão tirar você do jogo. Isso é válido tanto para o momento da entrevista quanto para outras fases como as dinâmicas de grupo, por exemplo.

Por Denisson Soares


Ninguém aprecia aquela incomoda sensação de estar sendo avaliado por alguém. E para muitos essa sensação se assemelha à sensação ao se submeter a uma entrevista de emprego, por isso essa é uma etapa tão temida para quem busca sua colocação no mercado de trabalho.

A grande incógnita que mora na cabeça de um candidato é quais são as respostas para garantir a vaga. A resposta para isso é que não há respostas certas ou erradas em uma entrevista de emprego. Isso dependerá do perfil que a empresa busca não considerando apenas características técnicas, mas também (e principalmente), comportamentais.

Para alguns responder a questionamentos como: “Quais são seus pontos fortes e onde você enxerga chances de desenvolvimento”, “O que você almeja para os próximos cinco anos” são verdadeiras palavras cruzadas para embaralhar a mente de quem já está tenso com a sensação de ser analisado.

Para ajudar na hora de responder a algumas perguntas daremos a seguir dicas que podem proporcionar maior confiança durante a entrevista:

1.       QUAIS SÃO OS SEUS PONTOS FORTES?

A esta pergunta é indispensável sinceridade sempre buscando ilustrá-los exemplificando situações cotidianas que podem torná-los favoráveis à empresa. Evite se prolongar muito na resposta, uma característica e um exemplo rápido bastam para análise do recrutador. Outra dica é evitar usar os fadados: perfeccionismo, liderança, trabalho em equipe etc.

2.       QUAL É O SEU MAIOR DEFEITO?

Este é um dos pontos mais críticos, porque apontar defeitos podem criar uma imagem não muito real do profissional. A dica para responder a este questionamento é citar um ponto a desenvolver e qual ação você tem desempenhado para melhorar este aspecto negativo.

3.       ONDE VOCÊ SE VÊ DAQUI CINCO ANOS? E DAQUI DEZ ANOS?

Uma pesquisa antecipada sobre a hierarquia da empresa é fundamental para esta resposta, pois garante o prévio conhecimento dos cargos existentes dentro daquela organização. Citar que deseja ser Diretor de Marketing em uma empresa que não possui o cargo pode não cair bem. Uma opção também é manter o foco naquilo que você deseja está fazendo neste período e não em cargos específicos.  

Por Jaime Pargan


Uma prática cada vez mais comum entre os RH’s de empresas é a realização de entrevistas por meio de telefone. O que muitos candidatos não imaginam é que aquelas perguntas aparentemente inofensivas já fazem parte do processo de seleção das empresas, muito menos que muitas pessoas não seguem para a próxima etapa de seleção.

As entrevistas por telefone são consideradas para que as empresas poupem  tempo em seus processos e possam otimizar seus recursos disponibilizados nos casos de entrevistas presenciais. Comumente esta etapa de seleção é usada pelas empresas para realizarem algumas verificações como se o candidato possui ou não conhecimentos citados no currículo, disponibilidade e pretensão salarial. As entrevistas via telefone são mais comuns nas primeiras etapas dos processos seletivos e pode ser que as empresas faça uso desta oportunidade também para passar mais informações sobre as vagas, como benefícios oferecidos, salários etc, além de verificar também se há de fato interesse do candidato por meio da forma com que o mesmo se porta mediante as perguntas realizadas, se o candidato tem domínio da língua, bem como as palavras empregadas durante a entrevista.

Em entrevista fornecida ao site G1, a coordenadora de recrutamento & seleção da Talent Group, empresa de recrutamento, seleção e terceirização de mão de obra, Janaína Andrade, diz: “A entrevista por telefone ainda não é utilizada por todas as empresas, no entanto, é uma tendência a ser seguida. O mercado anda muito aquecido e, muitas vezes, o profissional que enviou o currículo para a oportunidade não possui os pré-requisitos imprescindíveis, porém, isso só poderá ser confirmado através de uma análise detalhada do currículo e tirando todas as dúvidas com o candidato no contato telefônico”.

Embora a entrevista por telefone não seja utilizada para avaliações detalhadas do candidato, as avaliações básicas são sem dúvida bem analisadas, portanto, é de suma importância coerência e disposição do candidato para conseguir impressionar o recrutador e garantir a vaga pretendida. 

Por Jaime Pargan


A busca por uma colocação no mercado de trabalho nos dias de hoje não é tarefa fácil. Mesmo depois de anos de estudos e uma vasta experiência é ter uma grande necessário uma grande disposição, que começa com a divulgação do currículo nas agencias de emprego, sites de recrutamento, sites de empresas e até entrega de currículo porta a porta nas empresas. Isso tudo com objetivo de conseguir uma chance para participar de entrevista de emprego.

Muitas pessoas passam por essas etapas na procura de um novo emprego, mas acabam sendo eliminados na primeira faze da entrevista, e se perguntam o que tem de errado com eles.

Uma entrevista não é um simples bate-papo que se tem com um amigo. Para obter um bom resultado no processo seletivo, o candidato deve se preparar para se apresentar na entrevista.

São regras simples e certeiras, como tomar cuidado com o horário (procurar chegar com antecedência); conhecer a empresa através da internet (assim terá assunto a debater com o entrevistador); para não pecar no vestuário é importante se apresentar de maneira formal, sem muitas cores, estampas, excessos de perfume e acessórios, também deve se atentar a higiene pessoal e limpeza das roupas, cabelos e unhas devem estar limpos e alinhados.

O ideal é se apresentar de calça social preta e camisa branca e jamais ir mascando chicletes; é importante também ser autêntico, não mentir em relação à formação acadêmica, experiências profissionais e outras mentiras que no momento da entrevista podem até passar por verdadeiras, mas na possível contratação será facilmente descoberta no decorrer do dia a dia de trabalho. Por último, uma regra básica para todas as situações da vida não só em entrevista: é importante ser bom ouvinte para se ter a oportunidade de ser ouvido, e também olhar nos olhos daquele que fala, pois assim demonstra sinal de atenção e certeza.

Muitos se apresentam de maneira inadequada: usam bonés, chegam com fone de ouvido, falam gírias, vestem-se mal com excesso de decotes e roupas curtas e muitas vezes se expressam mal, perguntando diretamente referente salário e benefícios (isso é uma informação importante, mas será dada em algum momento, não é necessário perguntar).

Por Vanessa Ribeiro da Silva


O momento de fazer uma entrevista de emprego para muita gente é a parte mais complicada. Os erros são inevitáveis para os despreparados. Confira alguns dos mais comuns em relação à linguagem corporal de acordo com autora especialista no tema.

O emprego dos sonhos bate bem na sua porta. Você fez tudo que podia e conseguiu, mesmo assim ainda falta passar por uma parte um tanto complicada: a entrevista com quem é o responsável pelo recrutamento. Agora imagine que você se deu bem nessa entrevista e bem no fim acaba encerrando suas chances de ser contratado mesmo sem perceber. Apesar de parecer estranho isso acontece frequentemente. Um aperto de mão fraco, o olhar sem foco entre outros fatores da linguagem corporal podem passar despercebidos para o entrevistado, mas não para o entrevistador.

De acordo com a especialista no assunto Tonya Reiman, autora do livro intitulado “O Poder da Linguagem Corporal” esses erros mesmo que pareçam sem importância podem acabar com as oportunidades de qualquer pessoa em muitas ocasiões.

A escritora deu uma entrevista ao portal de notícias G1 e citou alguns dos erros mais comuns no que diz respeito à linguagem corporal. Abaixo apontamos alguns deles segundo a autora.

– Má Postura: de acordo com a autora muita gente não percebe, mas a entrevista de emprego já começa na sala de espera para a entrevista. Ficar desleixado na cadeira não é uma boa opção;

– Aperto de Mão: a dica é que ao apertar a mão do entrevistador seja natural, nada de muito fraco ou forte de mais. Um detalhe importante é que o entrevistador deve ser o primeiro a estender a mão e não o entrevistado;

– Contato com os olhos: ter contato visual. O famoso olho a olho é muito importante. Caso o candidato não faça isso, o entrevistador tenderá a supor que o candidato é inseguro dentre outros pontos;

– Inquietação: ficar passando a mão no cabelo, no rosto ou algo do tipo que dê a entender certa inquietação não é conveniente. Geralmente quando se faz isso é porque mesmo que inconscientemente precisamos de um certo autoconforto. E essa é uma mensagem que o entrevistador levará para o lado negativo.

Por Denisson Soares


A entrevista de emprego é um divisor de águas no que tange ao mercado de trabalho. E, seja bem como for, todo mundo quer receber um feedback após a realização de uma entrevista de emprego. Sendo assim, pois, o leitor deve estar se  perguntando: e quando esse retorno não vem? Pois bem, aqui vamos trazer dez dicas sobre como proceder quando este tipo de coisa acontece.

1 – Iniciativa:

Isso mesmo, é preciso ter iniciativa e, após alguns dias da entrevista, o candidato possui sim o direito de entrar em contato com a empresa por meio de um e-mail.  Tentar reforçar sua vontade de conseguir a vaga.

2 – Simpatia:

Seja simpático, mesmo que você esteja chateado ou não goste do empregador. A postura é fundamental em todos os ambientes de trabalho.

3 – Planejamento:

Planeje tudo com calma. Não adianta ficar ligando e mandando e-mails o tempo todo. Isso fará com que você fique com a imagem de alguém chato e irritado. Faça tudo dentro de um plano bem traçado.

4 – Feedback  na hora:

Sim, se for possível, solicite que o entrevistador forneça uma devolutiva assim que o processo terminar; basta prestar atenção se a recepção foi boa e se é plausível atuar dessa forma.

5 – Rede Social:

Acesse o seu networking e veja se outras empresas ou profissionais possuem informações sobre o processo de seleção que você participou.

6 – Aceite a realidade:

O fato de você não ter recebido uma resposta pode, é claro, revelar que você não foi selecionado. Então aceite esse fato e parta para outra.

7 – Outro foco:

Se o setor de Recursos Humanos não lhe responde, uma dica é tentar mudar de foco e se comunicar de forma direta com a chefia.

8 – Não é pessoal:

Tenha consciência de que, se você foi ‘’eliminado’’, não significa incompetência. Cada vaga tem um perfil almejado pela organização.

9 – Informe o empregador:

Informe o empregador que você está participando de outros processos seletivos; isso mostra que você está focado no mercado de trabalho.

10 – Experiências:

Não receber um feedback mostra muito sobre a dinâmica de trabalho de uma empresa.

Por Juan Wihelm


Conseguir um emprego nos dias de hoje exige bastante qualificação na área desejada. Todavia, alguns candidatos parecem não se importar com isso e levam tudo na brincadeira. Em pesquisa feita pelo site CareerBuilder 2,2 mil recrutadores contaram as situações mais inéditas que já encontraram durante entrevistas de emprego.

Em algumas delas foram encontrados os seguintes fatos: revelar ter tomado calmante, pelo fato de ter achado que a entrevista não revelaria muito de sua personalidade; ir com uma máscara do personagem Star Trek; parar a conversa com o recrutador, atender a chamada de telefone e confirmar entrevista em empresa concorrente; ir à entrevista com trajes de corrida dizendo que vai se exercitar logo após; pedir um abraço ao recrutador; levar um gravador a fim de deixar guardado cada momento da entrevista; levar álbum de fotos pessoais; ir vestido de super-homem dizendo ser o herói dele mesmo; acessar Facebook e não se importar com nada; bater o carro na porta da empresa na qual faria a entrevista de emprego; no momento em que o recrutador começa a discutir a respeito de benefícios odontológicos, tirar a dentadura e mostra-la; ficar com fones de ouvido durante todo o tempo; recrutador pedir para um dos entrevistados impressioná-lo e um deles ateia fogo no jornal que estava em sua mão; dizer no momento da entrevista que pensa que a filha não é dele; pedir ao recrutador o telefone e o e-mail da recepcionista por ter gostado muito dela.

São situações bizarras que já ocorreram em diversas entrevistas e que reprovam inúmeros candidatos. Em uma entrevista é necessário possuir muita cautela e um pouco de compostura e ética, pois trabalho não é lugar para brincadeiras ou piadas, e, é nesse momento que o recrutador tem a oportunidade de saber com quem estará lidando. As atitudes do candidato influenciarão o modo de agir dentro da empresa.

Por Luciana Viturino


A dificuldade de conseguir um emprego começa com a apresentação de um currículo fora dos padrões ou mal feito. Além disso, um dos passos mais importantes para a reinserção do profissional é o comportamento durante as entrevistas, que é considerado um fator decisivo para passar na frente dos concorrentes e assumir a vaga desejada.

Neste momento, qualquer erro pode ser determinante. Um olhar desinteressado, falhas na linguagem corporal, entre outros aspectos, são considerados fatais de acordo com a empresa de pesquisas CareerBuilder. No levantamento que realizou, mais de 50% dos entrevistados apontam falhas como atender ao telefone no meio da entrevista, mandar mensagens de celular e vestir-se de forma imprópria para a ocasião.

Entre outras falhas dos entrevistados, a pesquisa deu exemplos marcantes do que não se deve fazer:

– Uma entrevistada solicitou o adiamento do início do emprego para ganhar mais presente de Natal.

– O entrevistado disse que teve que se obrigar a deixar um emprego bancário, pois sentia constante tentação em roubar dinheiro da instituição.

– Mesmo com o entrevistador ouvindo o barulho do toque, o candidato negou estar com o celular no bolso.

Por Marcelo Araújo


Muitas pessoas se perguntam se há uma fórmula para participar de entrevistas de emprego. Nunca sabemos como nos vestir, ou como nos portar, não sabemos o que a empresa espera que façamos ou qual o perfil está buscando.

Na verdade, não há fórmula secreta, além da nossa sinceridade e tranquilidade.

Tranquilidade é um ponto crucial. Nunca ter medo do não. Pois no momento da entrevista, durante todo o processo, até que se diga o contrário, temos tanto a chance de conseguir ou não. Portanto, não devemos sofrer por antecedência. Uma boa alimentação e noite de sono, já garantem um nível de tranquilidade maior. Outra forma do candidato obter tranquilidade é se informar sobre a empresa: o ramo de atividade, a quantidade de funcionários, os maiores clientes, a missão, a visão.  A maioria das empresas disponibiliza tais informações no web site.

Outra dica é não usar roupas coloridas ou decotadas, curtas e transparentes no caso das mulheres. Não usar bonés e roupas de moletom. Procure algo mais sóbrio, para que o entrevistador (a) note seu intelecto e força de vontade, não desviando a atenção.

E como comprovar, por exemplo, que sabemos utilizar ferramentas sem ao menos conhecê-las ou que desempenhamos funções que não condizem com o cargo que exercemos anteriormente? Enfim, como provar que algo é verdade, quando não é? Portanto não devemos, jamais, mentir. Transparência é a alma do negócio, já diz o ditado.

Por Aline Neves


Para quem é recém-formado e busca uma oportunidade de trabalho, deve ficar atento aos Programas de Trainees, pois são ótimas chances de conseguir uma efetivação no mercado. Veja as dicas para obter um bom desempenho.

Você deve mostrar que conhece a empresa na qual tem interesse em trabalhar. Pesquise na internet informações como: principais concorrentes e o tipo de produto que desenvolvem.

Nas etapas do processo seletivo, evite chegar atrasado. Responda as perguntas de modo claro e procure destacar suas características. As empresas buscam de jovens graduados um perfil que envolve as seguintes habilidades: liderança, criatividade, boa comunicação, gostar de trabalho em equipe e ter postura formal.

Você também deve entender as diferenças: trainee é um funcionário, diferente do estagiário. No caso do trainee, o programa visa formar líderes, já no estágio, o objetivo é oferecer conhecimento ao estudante. A carga horária do estágio é de até 6 horas, já a do trainee é de 8 horas diárias.

Fique atento às oportunidades. Boa Sorte!

Por Melisse V.


Um assunto polêmico e que gera diversas dúvidas na população é o “nome sujo”, será que ele pode atrapalhar ou influenciar de forma negativa a vida de um candidato a uma oportunidade de trabalho?

De acordo com especialistas no assunto, toda pessoa que por algum motivo tem o seu nome citado em cadastros de inadimplentes não pode de forma alguma impedir o individuo de assumir uma vaga, principalmente as de concursos públicos.

Mas vale ressaltar que, se a restrição estiver especificada no edital do concurso vale procurar a instituição ou até mesmo a Justiça para esclarecer e garantir o seu direito de participação.

Em casos onde houver impedimento ou que gere uma situação de embaraço para o candidato, ele deve procurar imediatamente a comissão do concurso e se possível acionar um advogado para a situação seja resolvida.

Já durante uma entrevista de emprego o melhor é não esconder o problema caso seja questionado a respeito, explique calmamente a situação e se for o caso, diga que pretender sanar a divida e resolver sua situação com o órgão credor assim que possível.

Certas situações são mais comuns do que se imagina, o importante é sempre manter a calma e procurar os seus direitos.

Por Milena Evelyn


Muita gente acredita que é na hora do “frente a frente” com o entrevistador que será definida a contratação. Sendo assim, é comum pessoas usarem o encontro para dizer o que pensam, o que sabem ou não fazer ou ainda o que almejam da vida. Saiba: a atitude é completamente errônea.

O primeiro passo para se preparar para a entrevista é conhecer um pouco a empresa que está oferecendo as vagas. Não adianta fazer todo o processo seletivo se não está interessado na vaga ou não tem ideia da sua função. Então pesquise na Internet e assim não será pego de surpresa quando forem requisitadas perguntas como “por que você quer trabalhar conosco?” ou “por que devemos contratar você?”, extremamente frequentes nesses encontros.

Nunca minta no currículo ou pessoalmente com histórias mirabolantes, pois poderá ser requisitado para executar algumas das funções de seus contos. Além de ficar em saia justa, poderá ter uma péssima recomendação para outras empresas. A mentira mais comum é sobre os idiomas, então tome cuidado: seu entrevistador pode ser fluente em alguma língua estrangeira citada no currículo, e mais uma vez seu emprego pode ir por água abaixo.

Seja sincero sempre. Caso não saiba fazer alguma coisa, diga a verdade, mas informe que está trabalhando nisso e pretende fazer cursos em breve. Seja sempre positivo e tudo vai dar certo.

Por Lidianne Andrade


O modo de se vestir, de se comportar, abordar temas, tudo isso e muito mais, são fatores preponderantes para uma boa entrevista de trabalho. Nem todas as pessoas já sabem como se portar diante destes assuntos.

Pois bem, o Centro de Apoio ao Trabalho de São Paulo, está recebendo inscrições dos interessados em participar das suas oficinas sobre comportamento em entrevistas de emprego. Os alunos terão aulas de marketing pessoal, identificação do perfil profissional, orientação e planejamento de carreira, economia doméstica e empreendedorismo.

Para ser um dos participantes desses cursos você deverá apresentar mais 16 anos de idade. As orientações irão acontecer nas unidades do centro na Lapa, Interlagos, Luz, Jabaquara, Casa Verde, Penha e Itaim Paulista. Para efetuar o seu cadastramento, vá até uma das unidades citadas do centro, munido de RG, carteira profissional e CPF.

Para verificar os endereços do Centro de Apoio ao Trabalho, acesse o site da Prefeitura de São Paulo.

Não perca essa boa oportunidade. 

Por Oscar Ariel


Quantas e quantas vezes não fomos até uma entrevista de emprego, esperamos com humor glacial uma longa lista de candidatos entrarem e saírem da sala de entrevista, para ouvirmos um simpático e superficial “Entraremos em contato”?

A regra de etiqueta das entrevistas de emprego prega que você que não obteve uma resposta pode , e deve, ligar para questionar o empregador desatento e omisso.

Não responder coisa alguma aos candidatos aos cargos oferecidos pelo estabelecimento pega, e muito, mal a empresa. Um simples “não” faz com que um esperançoso candidato siga sua vida e pare de enviar currículos para o mesmo lugar que já decidiu-se por outro profissional.

Já sabe então, não fica feio nem é deselegante correr atrás de uma resposta. Mas lembre-se não insista, pois com isso perde a oportunidade de no futuro ao invés de passar uma imagem de prestativo e interessado, passar-se por chato e inconveniente.

Por Teresa Almeida


Muitas empresas e profissionais de recursos falam dos erros que os candidatos cometem nos processos seletivos. Este post dará algumas dicas para que você se sinta mais seguro e saia à frente dos concorrentes quando participar de processos seletivos.

Fique sempre consciente de que você está sendo avaliado todo o tempo, por isso tenha uma boa postura e comportamento. A primeira impressão é a que fica, por isso cuide da sua imagem pessoal. use o seu melhor português e seja claro ao se comunicar, por isso pense e prepare-se antes, em casa mesmo no que vai dizer e como.

O seu corpo também fala, então cuide da sua postura. Não cometa excessos e nem fale mal de outros profissionais ou empresa que você trabalhou antes. 


A etapa da entrevista e muito importante para qualquer um que busque sua recolocação no mercado de trabalho, e por isso mesmo e a fase mais temida por muitos candidatos.

A pressão e o “frio na barriga” são normais, mas não pode deixar que atrapalhe e comprometa seu desenvolvimento e não permita que demonstre todo o seu potencial.

Para ajudar estes candidatos, diversas empresas de recrutamento e seleção possuem programas de TREINAMENTO PARA ENTREVISTAS.

Esse programa tem por objetivo treiná-lo e capacitá-lo a enfrentar qualquer tipo de entrevista de emprego.

O treinamento mais comum e feito com o auxilio da web, onde o candidato depois de fazer uma entrevista on-line, recebera e-mail informando seus pontos positivos e o que se deve melhorar.

Com isso, ao chegar à entrevista o candidato terá mais calma e tranqüilidade e só irá se beneficiar de sua experiência.

Por José Alberi Fortes Junior


Apenas ver um anúncio de vaga de emprego e mandar currículo é pouco seguro para o candidato. Primeiramente, porque a opção de aceitar um emprego deve ser vista como um projeto a médio e longo prazo. Além disso, em uma entrevista de emprego o principal critério dos recrutadores costuma ser o conhecimento que o candidato tem sobre a empresa e o cargo aberto.

Uma rápida investigação é mais segura. Por telefone ou pela internet, colha informações sobre a agência de recursos humanos e a companhia onde pensa trabalhar. Faz bem levantar dados como número de funcionários, abrangência territorial, produtos e serviços que elas fornecem e histórico dessas companhias.

Vale inclusive dar uma olhada na Justiça para saber se ela habitualmente é processada por antigos funcionários e fornecedores. Se sim, é sinal de que os trabalhadores devem sofrer prejuízos dentro dela. Nem todas as ofertas valem a pena.

Karina Gonçalves


Para quem deseja uma vaga em empresas multinacionais e em vagas que exigem inglês fluente ou avançado, é cada vez mais comum a entrevista em língua estrangeira, o que permite a avaliação mais precisa dos interessados.

Antigamente, quando a prova acontecia, era escrita e causava muitos problemas, afinal um conhecimento mais instrumental facilitava o acesso de pessoas sem a fluência na língua falada.

Para quem está enferrujado, a dica é ouvir muitos filmes e procurar seus velhos livros, para relembrar pelo menos com o vocabulário mais básico, para que na entrevista algumas perguntas mais simples possam ser respondidas, mesmo que de uma maneira bem superficial.

Por José Alberi Fortes Junior


Um grande terror para os candidatos são as famosas dinâmicas de grupo, onde psicólogos avaliam o desempenho e a desenvoltura dos candidatos.

Infelizmente algumas dinâmicas não conseguem desenvolver o potencial de alguns candidatos, que são eliminados nesta fase.

Um ponto a ser avaliado é em situações que a primeiro momento seriam constrangedoras, mas não ligue para isso, é melhor se constranger diante do grupo do que perder a tão esperada vaga.

As dinâmicas são montadas a fim de relaxar, descontrair, demonstrar características pessoais e mostrar qualidades e defeitos, que dependendo da dinâmica fica mais fácil avaliar estes pontos.

Por José Alberi Fortes Junior.


Evite se candidatar a qualquer vaga ou oportunidade de emprego quando esta aparece. O foco é fundamental para que não ocorram erros e desgaste por parte do candidato e dos entrevistadores.

Verificar quais as restrições, quais as exigências e quais os salários são pontos a serem analisados para que somente havendo realmente perfil e interesse haja a presença para a entrevista.

Quando se cria foco na vaga de emprego, melhor é a disposição e vontade para que o encanto ao entrevistador ocorra por parte do candidato. Faça, portanto, uma análise bem crítica de todas as vagas a que vai mandar o seu currículo.

Por José Alberi Fortes Junior.


Uma entrevista de emprego mostra muito mais de você do que um pedaço de papel com informações sobre sua profissão.

1-Em uma entrevista você tem que mostrar tranqüilidade e que tem habilidade para o cargo, pulso firme, paciência entre outras qualidades para o cargo desejado.

2- Lembre-se que a imagem é seu cartão de visita. Então quando for procurar um emprego, não use roupas coloridas, transparentes ou decotadas, as saias justas ou mini e até mesmo as bijuterias grandes.

3- De nada adianta estar bem vestido, cumprimentar direito se na hora de expor suas idéias usa muitas gírias, fala com erro de concordância ou mesmo fazer piadinhas de mal gosto.

Quando for a uma entrevista de emprego, preste atenção na reação do entrevistado, não fique contando vantagem, mostre o que você sabe sem se tornar inconveniente.


Geralmente a hora da entrevista é um momento crucial para o candidato. Por isso uma boa dica alem de paciência e calma é pesquisar um pouco da empresa pela internet para não cometer nenhuma “gafe”. O que também ajuda muito é tentar pensar o que poderia ser perguntado e responder com clareza, transparência e objetivamente.

Quando perguntado, por exemplo, sobre suas fraquezas ou defeitos não hesitar em responder, afinal todos temos nossos defeitos. Vestir-se adequadamente sempre foi fundamental para concorrer a vaga, Sem atrasos e nem erros de português. Calma e tranqüilidade são as verdadeiras chaves para essa conquista.

Por José Alberi Fortes Junior


Durante o processo seletivo, é exercitado um sentimento do candidato: a paciência. A espera da resposta é algo que incomoda e causa angústia para o concorrente, porém esta espera não deve causar uma precipitação para que o candidato aceite propostas menos vantajosas.

Aguardar o tempo que o entrevistador pediu é fundamental para testar a paciência e para que decisões erradas não aconteçam. Isso também fará com que propostas sejam aceitas e posteriormente descartadas.

Depois de passado o prazo de contato, nada impede que o interessado ligue para o entrevistador e solicite o feedback. Isso será importante para que ele possa buscar novas oportunidades e não cometa os mesmos erros no processo seletivo.

Por José Alberi Fortes Junior


Quando se busca uma vaga de emprego, a apresentação e a despedida na entrevista são fundamentais. É a imagem que fica de você, de sua simpatia e formalidade.

O cumprimento é fundamental, é o seu cartão de visita, é a porta de entrada, portanto seja confiante. O aperto de mão é importante, portanto use de firmeza, não precisa ser um cumprimento apenas de encostar a mão ou aquele que praticamente quebra os ossos.

A educação também é fundamental, se você estiver sentado quando o entrevistador chegar, levante-se e o cumprimente, se for o contrário, vá até ele e aperte sua mão. Seja simpático tanto na despedida quanto na entrada, use do seu sorriso.

Por José Alberi Fortes Junior

Há pessoas que são, por natureza, falantes e extrovertidas, muito comunicativas, isso é bom na vida cotidiana, pois permite um bom relacionamento interpessoal e popularidade.

Falar demais não significa dizer a verdade e nem o necessário ao momento. Antes de falar é preciso ouvir atentamente a pergunta que está sendo feita e notar os detalhes apresentados.

A entrevista é um momento importantíssimo dentro do processo seletivo para um emprego e nunca se vai a ela para falar e falar de si, conforme pensam alguns. O entrevistado precisa ter em mente que lhe serão feitas perguntas objetivas que merecem respostas igualmente objetivas.

É preciso ser educado e deixar que o selecionador expresse aquilo que precisa saber sobre o candidato para, só então, falar alguma coisa. Falar demais pode ser muito bom na informalidade do dia-a-dia, mas é ruim num processo seletivo. Quem muito fala poderá passar muito mais tempo conversando, pois acabará ficando mais tempo desempregado.

Por Lindomar Vieira

Dentre tantos detalhes, a apresentação pessoal e verbal é uma das etapas fundamentais para a conquista de uma vaga em uma grande empresa.

A linguagem utilizada, as vestimentas e até mesmo como se portar na hora de uma entrevista e também como agir dentro da empresa são ações que devem ser policiadas e contidas, pois são dessas ações realizadas que a chefia vai formular a personalidade profissional do funcionário.

São essas atitudes que irão demostrar o quão entregue e interessado está e o quanto vai se dedicar para e pela empresa. Sendo assim, tranquilidade, sinceridade e otimismo contam muito para se destacar dentre os demais.


Processos seletivos são comuns na maioria das empresas e organizações. O avanço na hierarquia é um objetivo normal, corriqueiro e compreensível de todo funcionário. Então como fazer para se destacar neste mundo de tanta concorrência?

Primeiramente a postura profissional é fundamental, pois é o inicio da seleção, com a comprovação de bom histórico profissional. Depois disso é importante ter consciência que todas as ações e atitudes podem acrescentar ou desqualificar sua avaliação.

Mostrar-se motivado, criativo, dinâmico, entusiasmado e consciente de suas novas possíveis atribuições são fundamentais para que seu potencial possa ser observado e que seus diferenciais possam ser levados em conta para uma promoção.


A roupa usada numa entrevista de emprego diz muito sobre o candidato, podendo fazer muita diferença nos casos em que a empresa precisa decidir entre 2 candidatos igualmente qualificados, por exemplo.

O ideal é vestir-se de acordo com o cargo pretendido, assim, estagiários e diretores têm regras distintas quanto ao estilo de vestimenta, mas na dúvida é sempre bom optar por roupas clássicas, com as quais é difícil errar.

Fazem parte do traje clássico a famosa dupla camisa e calça social para eles, e terninhos para elas. Mas cuidado com as cores: use cores sóbrias, neutras, caso contrário a roupa pode depor contra você.

E atenção redobrada aos acessórios: nada de usar excesso de jóias, colares, anéis e brincos muito grandes. Decotes, saias curtas, roupas desfiadas, regatas e chinelos devem ser evitados, sempre. Perfumes podem ser usados, com moderação.  Aliás, em se tratando de roupa para entrevista de emprego, moderação é palavra-chave.


As entrevistas de emprego propõem, às vezes de forma bem sutil, perguntas que, uma vez mal respondidas, acabam com as chances do candidato. Por exemplo, muitas empresas insistem em perguntar os motivos que levaram o candidato a escolher determinada empresa.

Para essa pergunta é sempre bom ter uma resposta pronta: pesquise sobre a empresa a que está tentando se empregar, leia sobre suas áreas de ação, que atividades realiza, como é vista pelo mercado, etc.  Essa procura pode ser feita visitando o site institucional da empresa, e se você tiver oportunidade, converse com funcionários que poderão fornecer informações valiosas sobre e a empresa e o ambiente de trabalho.

Responda as perguntas de maneira sucinta e coesa, e procure sempre valorizar sua pessoa e seu perfil profissional, deixando claro que fazer parte dessa empresa é objetivo de muitos profissionais, devido ao posicionamento desta no mercado em sua área de atuação.





CONTINUE NAVEGANDO: