Segundo pesquisa realizada nos Estados Unidos, pessoas consideradas mais feias possuem outros atributos que os levam a ter mais sucesso profissional.

Chega a ser engraçado, mas um estudo realizado recentemente mostra que os melhores salários do mercado pertencem às pessoas mais feias, que são portanto, mais bem-sucedidas.

Na realidade esse estudo baseou-se em uma pesquisa já realizada nos Estados Unidos. Iniciando-se no ano de 1994 o estudo fez o acompanhamento de 15 mil pessoas do período da adolescência até a fase adulta. Em seguida um outro acompanhamento foi realizado com adultos de 24 até os 32 anos de idade. Fazia parte da pesquisa que os participantes classificassem seus colegas em relação à beleza, para isso eram usadas notas e também era realizado uma análise assimétrica do rosto de cada um. Além de que com os mais velhos foram feitos os levantamentos de seus salários. Após tudo isso os dados recolhidos foram cruzados e o resultado surpreendeu os pesquisadores da Universidade de Massachussetts.

Verificou-se que nesse apanhado de pessoas haviam vários grupos, os classificados muito feios, os feios, os bonitos e os classificados muito bonitos, sendo que os “muito feios”, que significam apenas 2,7% dos entrevistados, eram os que apresentaram os melhores ganhos em sua vida profissional, as melhores remunerações da pesquisa pertenciam a eles.

Os pesquisadores acabaram por concluir que não é uma característica física que aponta a beleza que forma o profissional. Na verdade, esses participantes menos bonitos da pesquisa classificados como “muito feios” possuíam outras competências e características que os fizerem merecedor de uma boa remuneração. Enquanto os classificados como “lindos” não possuíam esse conjunto de competências.

Satoshi Kanazawa e Mary Still, os idealizadores desse estudo, afirmam que o profissional bem-sucedido merecedor do melhor salário ele precisa possuir inteligência, saúde, seriedade no trabalho, ser extrovertido e não ser neurótico. E como se pode observar, o item beleza nem entra nessa lista. Contudo, os “muito feios” parecem possuir essas características mais que os muitos bonitos.

A conclusão final é que para obter no sucesso na vida é preciso muito mais que um rosto bonito, que faça parte dos padrões de beleza. O mundo dos negócios está à procura de profissionais que possuam competência e talento. A beleza com certeza é um item atrativo que pode até abrir portas profissionais, mas que logo se fecham quando o talento não existir.

Sirlene Montes


Pesquisa realizada pela Universidade de Miami afirma que a música pode aumentar a produtividade no trabalho.

O fato de que a música tem um papel fundamental nas nossas vidas já não é novidade desde há muito tempo. Além de fazer bem para a saúde ela ainda nos ajuda estimulando-nos emocionalmente e também intelectualmente. O mais interessante é que a música pode nos ajudar a melhorar o desempenho no trabalho. Ao menos é isso que aponta uma pesquisa realizada pela Universidade de Miami (veja o link da pesquisa no final dessa matéria).

Em resumo, a justificativa maior para o fato de que música melhora o desempenho das pessoas no trabalho e consequentemente a sua produtividade é o fator humor. Afinal, quando ouvimos aquilo que gostamos nos sentimos bem e mais dispostos. De acordo com a pesquisa, funcionários que costumam ouvir os gêneros preferidos até terminam suas tarefas mais rápido e de forma melhor.

Então, vejamos algumas observações de alguns especialistas nessa área e depois fecharemos falando ainda sobre o estudo.

Bom, para aquelas tarefas que sejam relativamente simples o ideal seria ouvir músicas que já conhecemos, já que na maior parte das vezes, apesar de simples, essas tarefas são um pouco monótonas. Então, um pouquinho de animação com o que gostamos!

Na hora de aprender, o indicado é não optar por ouvir músicas que tenham letras complexas (a não ser que sejam suas “mega preferidas” e que você esteja acostumado). Isso porque com o cérebro trabalhando no aprendizado de algo ele ainda teria um trabalho extra para interpretar a letra da música (mesmo que nós nem percebêssemos que ele está fazendo isso).

Para tarefas que envolvam organização entram na lista sons instrumentais com temas de natureza tais como rios, cachoeiras e chuva, já que esse tipo de música ajuda na concentração.

Voltando ao estudo, segundo a professora de musicoterapia Teresa Lesiuk, quando ouvimos músicas que gostamos ou aquelas que auxiliam a nos deixar mais relaxados, as coisas no trabalho evoluem porque os sons ativam uma região específica do cérebro que é responsável por liberar a dopamina, que é responsável pela sensação de prazer em nosso organismo.

Por isso, na hora que o estresse chegar, a reunião foi complicada ou estiver sem ideias no trabalho, coloque sua música predileta. Faça o teste e você verá como sua produtividade começará a melhorar com o tempo.

Para conferir a pesquisa que citamos no início da matéria clique aqui (em inglês).

Por Denisson Soares


Pesquisa realizada pelo Instituto Top Employer apresenta as 26 melhores empresas para se trabalhar aqui no Brasil.

Em tempos que o Brasil enfrenta uma grave recessão econômica, as empresas nacionais ou com filais no país precisam criar alternativas para que a crise não as atrapalhe.

O caminho para que seu desempenho nessas empresas não seja afetado é justamente as oportunidades ofertadas para os funcionários com planos de carreiras e o próprio desenvolvimento enquanto instituição. Levando em consideração essas características, o Instituto Top Employer, sediado na Holanda e com vinte cinco anos de tradição, certificou em março deste ano 26 empresas sediadas no Brasil com o selo Top Employers Brasil 2016.

As 26 empresas estão no ranking por ordem alfabética, já que essa lista não é de pontuação. Mas dentro desse grupo, cinco instituições mereceram destaque, pois foram às melhores avaliadas, são elas: SAS Institute, Tata Consultancy, Deloitte, Vale e Takeda.

Já as instituições presentes no ranking do selo Top Employers Brasil 2016 são: Atento, Avanade, Banco do Brasil, CCB Brasil, Corbion, Cyrela, Deloitte, DHL, Dimension Data, Everis, Kimberly-Clark Brasil, Klabin, Grupo Segurador BB Mapfre, Orange, Oxiteno, PwC, Repsol Sinopec, Saint-Gobain, Samsung, SAS, Sirona, Souza Cruz, Takeda Brasil, Tata Consultancy Services, Technip e Valeo.

Para concorrer a este certificado, as instituições passam por um processo seletivo rigoroso. As empresas que tenham os critérios para a participação do processo precisam primeiramente efetuar a inscrição. A segunda etapa é uma pesquisa, que se refere a um questionário de melhores práticas de Recursos Humanos desenvolvidas na empresa, leva-se em consideração o plano de carreira oferecido, além de se avaliar o panorama que o RH da empresa mantém, como por exemplo, política interna e estratégias para o desenvolvimento.

O terceiro ponto do processo é a validação dessas práticas adotadas nos RH’s das empresas avaliadas. O Instituto faz uma revisão de todas as repostas. Esta etapa chamada de validação, consiste em ver se a empresa dentro do setor de Recursos Humanos segue os critérios estabelecidos pelo Top Employers. O processo seguinte é a auditoria, que é realizada por um auditor terceirizado, essa etapa consiste em verificar se as informações são verdadeiras.

O próximo passo, chamado de processo de avaliação, é um feedback que as organizações que estão em avaliação recebem pelo Instituto, essa fase é de eliminação, até as eliminadas recebem um feedback do que precisa ser melhorado. As que receberam aval em todas as etapas recebem o selo e estão autorizadas a utilizá-lo.

Por Isabela Castro


Pesquisa revela que Terça-Feira é o melhor dia para procurar emprego e enviar currículos.

Você que está procurando um emprego, deve se perguntar: quando é o melhor dia para se enviar currículos?

Pois bem, uma pesquisa feita pelo SmartRecruiters e posteriormente publicada no Business Insider aponta que os melhores dias para se procurar um emprego e enviar o seu currículo é entre terça e quarta, o meio da semana. Ficar em busca de trabalho na sexta ou na segunda, segundo o estudo, não é lá muito produtivo.

O estudo examinou uma seção transversal de maneira aleatória de mais de 270 mil vagas de emprego. O que ficou constatado é que a terça-feira é o dia em que as empresas mais publicam as vagas e anúncios de empregos.

A pesquisa aponta que as chances de encontrar uma vaga, ou ainda fazer cadastro para vagas que surgem, são mais elevadas na terça (em 20%) e na quarta (19,5%). Já na sexta-feira e domingo, até de maneira óbvia, esse percentual é bem reduzido.

O gráfico que foi publicado no estudo dá conta que quase 60% das vagas de emprego são anunciadas entre segunda e quarta, com a terça tendo mais atividade no segmento.

A publicação da SmartRecruiters aponta que as pessoas que se candidatam para uma vaga quando a mesma acabou de abrir tem maiores chances de serem chamados para entrevistas. Quanto maior o tempo que a vaga está em aberto, maior a concorrência. Outro dado interessante da pesquisa é que às 11 horas da manhã é o horário mais popular para as companhias abrirem as chances de emprego nesses dias.

Erros na Hora de Procurar Emprego:

  • Não mande o seu currículo diversas vezes na mesma empresa: Não vai adiantar nada você enviar para vários setores e funcionários da companhia que você anseia uma vaga. Os especialistas chamam isso de pulverização. O ideal é o candidato acessar o canal certo para enviar o seu currículo. O e-mail do departamento de seleção, redes sociais, site da empresa, são alguns dos locais mais apropriados para o envio. Não tenha uma exposição negativa no envio de seus predicados.
  • Esteja sempre preparado: Não vá até uma entrevista sem saber um pouco que seja sobre a companhia e o segmento em que pretende atuar. A internet é um caminho grande que você poderá encontrar muitas informações que lhe ajudarão no momento da conversa com a empresa. Por vezes, o candidato faz a pesquisa destes dados, mas pegam informações que não são úteis para a entrevista, esquecendo de observar os pontos realmente fortes que podem fazer diferença na empresa. Tendo boas informações sobre a companhia será um grande passo para conquistar o recrutador no momento da sua entrevista. Saber um pouco sobre os seus concorrentes também é importante. 


A Ipsos, empresa fundada em 1975 na França, que está no Brasil desde 1997 e que tem como foco de atuação a pesquisa de mercado e a interpretação de dados, está com diversas oportunidades de trabalho abertas em São Paulo. Os interessados em fazer parte da empresa podem se inscrever para uma das funções de Analista de Pesquisa de Mercado (quantitativo), Supervisor de Call Center e Atendente de Call Center.

Os Analistas precisam ter nível superior completo, em qualquer área, domínio do idioma inglês e do pacote Office e experiência com pesquisas e processamento de dados. Serão manipuladas planilhas e softwares de projetos, além de fórmulas em Excel.

Para a área de Call Center os candidatos precisam ter superior completo (Supervisor) e Ensino Médio completo ou em curso (Atendente). Os Supervisores deverão ter experiência em gestão de colaboradores e monitoria e conhecimento de pesquisa de mercado. Sua função será acompanhar e analisar projetos e o desempenho da equipe.

Os salários e benefícios oferecidos pela Ipsos são compatíveis com o mercado e as inscrições podem ser feitas pelo site da empresa www.ipsos.com.br.

Por R. Oliveira


De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem), até o Natal estima-se que 139 mil vagas de trabalhos temporários sejam oferecidas tanto no comércio quanto na indústria brasileira.

Isto representa um aumento de 11% em relação ao ano de 2009, onde foram oferecidas 125 mil vagas de trabalho. A pesquisa concluiu ainda que, das oportunidades temporárias de trabalho, 30% delas deverão ser ocupadas por jovens que terão o seu primeiro emprego e a possibilidade de efetivação de contrato para este ano está prevista em um número 26% maior do que o ocorrido no Natal de 2009. A pesquisa foi efetuada pelo Instituto de Pesquisa Manager (Ipema).

Por Elizabeth Preático

Fontes: G1, Pernambuco.com


Você é estudante de doutorado e quer aproveitar a oportunidade de intercâmbio em outro país? O Programa Internacional de Bolsas de Pesquisa da Nova Zelândia está com 100 vagas para estudantes estrangeiros em 2011.

O programa de pesquisa tem duração de 3 anos em caráter de dedicação exclusiva a fim de ajudar os alunos no desenvolvimento da tese e demais trabalhos científicos.

Para se inscrever, é necessário que os candidatos estejam cursando Programas de Pós-Graduação no país, além de apresentar nível de proficiência em inglês por meio de exames específicos do IELTS e TOEFL.

Inscreva-se pelo site Education New Zeland e adquira essa experiência de pesquisa internacional.

Por Camila Porto de Camargo





CONTINUE NAVEGANDO: