Nova proposta visa alterar a idade mínima de aposentadoria para as mulheres, que cai de 65 para 62 anos. Para homens continua a valer os 65 anos e o tempo mínimo de contribuição permanece sendo 25 anos.

A Reforma da Previdência é um assunto que tem dado o que falar no Brasil. O governo tem apresentado novas propostas, deixando a população um tanto quanto confusa com o que de fato vai vigorar.

Na manhã da última terça-feira, dia 18 de março, o deputado Arthur Maia, atual relator da Previdência Social, divulgou um esboço acerca de seu entendimento sobre as alterações das normas previdenciárias. Contudo, a proposta conclusiva, tem estimativa de apresentação no dia 19 (quarta-feira), sendo assim, até que divulguem as normas oficiais, as regras ainda podem ser alteradas.

Segundo o esboço do deputado Arthur Maia, que foi vazado para a imprensa, a regra geral aponta idade mínima de 62 anos quando para aposentadoria de mulheres, enquanto a aposentadoria de homens permanece com idade mínima de 65 anos.

Para ambos os gêneros, de acordo com o relator, o tempo mínimo de contribuição permanece sendo 25 anos. Essas normas seriam válidas para o setor privado, isto é, o INSS, e também para servidores públicos, que possuem regimentos próprios.

A idade mínima de 62 anos para a aposentadoria de mulheres, foi confirmada pelo presidente da comissão especial de reforma da Câmara, Carlos Marun, ainda na terça-feira (18), sendo que essa definição era uma das principais questões em discussão para a conclusão das novas diretrizes da reforma.

Esse acordo se deu apenas durante a manhã, quando Michel Temer reuniu líderes da base do governo para discutir a questão. A previsão da saída final do relatório era para o mesmo dia, porém foi prolongado para o dia seguinte (quarta-feira) às 9h, para que o relator tivesse mais tempo de ajustar as mudanças de última hora, finalizando o texto.

A apresentação será feita na comissão especial da Câmara. Além das mudanças acerca da idade mínima de aposentadoria para mulheres, haverá mudanças também em outras áreas do texto original, apresentado pelo governo.

Por Carolina B.


INSS retorna com as revisões de benefício. Aposentados por invalidez com mais de 60 anos não serão chamados.

O ano de 2016 foi marcado por uma grande turbulência no setor econômico, fazendo com que o governo tivesse que rever algumas situações com o intuito de cortar gastos. Contudo, com o final do ano chegando, logo em novembro acabou-se as consultas para rever se os benefícios do INSS estão realmente sendo bem aplicados. Mas a partir do dia 16 de janeiro, a rotina refazer perícias e reavaliar casos volta com tudo.

Esse processo funciona da seguinte forma, aqueles que estão recebendo aposentadoria por invalidez ou então auxílio doença há aproximadamente dois anos, vão passar por uma nova perícia médica. Isso porque, anualmente, há várias pessoas que tentam enganar os médicos do INSS se fazendo de doentes. Não é pouco o número de pessoas que chegam à instituição apoiados em muletas ou cadeiras de roda mas saem andando logo no passeio. É importante ressaltar que, aqueles com mais de 60 anos que estão aposentados por invalidez não estão sujeitos a essa reavaliação.

Cerca de 2.100.000 vão receber o chamado para uma nova consulta. O mais assustador é que a grande maioria beneficiária está perdendo os auxílios. Não há necessidade dos beneficiários ligarem para marcarem as consultas pois o próprio INSS está cuidando disso, mandando a data das revisões por meio de cartas. Basta que usuário esteja sempre atualizando seu endereço e telefone no sistema, seja pelo site http://zip.net/bvtCFV ou pelo telefone 135.

Aqueles que tiverem problema em falar sobre o endereço ou não tiver residência fixa, poderá ser chamado pelo edital que será publicado nos canais de telecomunicação.

Logo após receber a carta, a pessoa precisa marcar a perícia em até 5 dias, pelo mesmo número de telefone 135.

É importante seguir esse aviso, pois caso o beneficiário perca o prazo da perícia, ele terá automaticamente seus direitos suspensos. Se isso acontecer, ele deve ir a algum posto do INSS e agendar uma nova revisão. No dia da consulta deve ser levado os documentos pessoais, bem como os exames médicos e os atestados. A decisão final dos médicos, se o beneficiário vai ou não continuar com o auxílio do governo, estará disponível no seguinte site do INSS: http://zip.net/bwtBKC.

Sirlene Fátima Oliveira Justo


Confira nesta matéria o calendário do INSS 2017.

Na quinta-feira, dia 10 de novembro, a Secretaria de Previdência Social realizou a divulgação do calendário no qual são baseados os pagamentos para o ano de 2017 dos benefícios do INSS, que segundo o órgão, atingem mais de 33 milhões. O calendário que foi publicado pela previdência pode ser acesso aqui:

O mês de janeiro tem sua folha de pagamentos iniciado no dia 25, tendo como término o dia 7 de fevereiro.

Os valores continuam sendo depositados da mesma forma que nos anos anteriores, ou seja, a prioridade é dada para os beneficiários que ganham até o piso da previdência, que é de um salário mínimo, sendo realizado nos últimos cinco dias úteis do mês.

Em compensação, para os beneficiários que ganham mais de um salário mínimo, o depósito começa a ser efetuado nos cinco dias (úteis) iniciais de cada mês.

Para ter o conhecimento do de pagamento do benefício, os segurados devem fazer a verificação do último número de seu cartão, desconsiderando o dígito.

Lembrar também que o segurado deve se atentar em qual dia cairá a data de seu pagamento, pois em caso de feriado, o mesmo só será creditado na conta no próximo dia útil. No caso do mês de fevereiro de 2017, o dia de pagamento cairá no dia do Carnaval, então as transferências acontecerão até o dia 24 e serão retomadas no dia 2 do mês de março. E no último mês de 2017, por causa do Natal, o pagamento de dezembro será efetuado até o dia 21, sendo reiniciado no dia 26.

Conforme informações repassadas pela Previdência, os benefícios acabam injetando na economia interna aproximadamente R$ 37 bilhões.

É bom lembrar que o INSS faz a transferência da parcela primária do décimo terceiro salário em agosto, sendo pago no próximo mês, setembro. O valor é relativo à metade do benefício extra, apenas para os segurados que começaram a ser beneficiado pelo INSS a partir do mês de janeiro. Se isso ocorreu, o valor pago será proporcional ao tempo de assegurado. O beneficiário pode sanar suas dúvidas por meio do 135.

FILIPE R SILVA


Seleção oferece 950 vagas de nível médio e superior. Salários chegam a R$ 7 mil.

O INSS, Instituto Nacional do Seguro Social, anunciou o tão esperado edital de concurso público que proverá 950 vagas para os cargos de Técnico do Seguro Social e Analista do Seguro Social. A remuneração irá variar de R$ 4.886,87 para o cargo que exige nível médio a R$ 7.496,09 para cargo que exige nível superior, para cumprimento de carga horária de 40 horas por semana.

O certame irá disponibilizar 950 vagas, onde 800 são para Técnico do Seguro Social e as outras 150 para Analista do Seguro Social.

O edital de número 01/2015 foi publicado no DOU (Diário Oficial da União) e está sob responsabilidade do Cebraspe/Cespe (Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos).

As inscrições deverão ser realizadas pela internet, no site da organizadora no link: http://www.cespe.unb.br/concursos/inss_2015, das 10 horas do dia 4 de janeiro até o último minuto do dia 22 de fevereiro de 2016, levando em consideração o horário oficial de Brasília/DF. A taxa de inscrição está no valor de R$ 80,00 para cargos de nível superior e para nível médio será de R$ 65,00.

No momento da inscrição o concorrente deve escolher pelo cargo/gerência-executiva que pretende concorrer e definir uma cidade para a realização da avaliação, a qual não poderá ser alterada mais tarde.

O concurso contará somente com provas objetivas, que serão realizadas no dia 15 de maio de 2016, no turno da manhã, com duração de 3 horas e meia para todos os cargos de Analistas e no período da tarde para Técnico. O gabarito preliminar estará disponível depois das 19 horas do dia 17 de maio de 2015.

As avaliações serão aplicadas em diversas cidades importantes do país, como capitais e cidades pertencentes a regiões metropolitanas.

O prazo de validade deste certame será de 12 meses, ou seja, um ano, os quais serão contados a partir da data de publicação do edital de homologação do resultado final, passível de prorrogação.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Antes de saber como pedir o auxílio-doença o trabalhador primeiro deve saber o que é e quem se enquadra nos requisitos exigidos.

Em primeiro lugar o auxílio-doença é um benefício que é concedido pela Previdência Social àqueles trabalhadores que são segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Via de regra, o benefício do auxílio-doença é liberado para quem fica impedido de exercer suas funções profissionais devido a causas advindas de doença. Isso só é válido se a pessoa não puder trabalhar por mais de 15 dias consecutivos. Neste caso quem determina o período em que o trabalhador deverá permanecer afastado recebendo o benefício é o Perito Médico.

Quem tem direito:

Para ter direito de receber o auxílio-doença o trabalhador precisa ter contribuído para Previdência Social pelo período mínimo de 12 meses. No caso daquela pessoa que por algum motivo deixou de contribuir (fazer o pagamento) a lei prevê que as contribuições feitas no período anterior só serão consideradas válidas caso o mesmo efetue o pagamento de no mínimo quatro parcelas que, se somadas ao que foi pago antes, cheguem ao total de doze parcelas pagas.

Entretanto, há algumas classes de doenças onde esse prazo não é exigido. Dentre estas estão as seguintes: alienação mental, tuberculose ativa, hanseníase, espondiloartrose anquilosante, cardiopatia grave, doença de Parkinson e paralisia irreversível e incapacitante.

Para os trabalhadores que possuem suas carteiras de trabalho assinadas, os primeiros quinze dias são pagos pelo empregador. A Previdência Social então, paga a contar a partir do 16° dia de afastamento do trabalho. No caso das demais classes de segurados o que inclui o doméstico, a Previdência é que é a responsável por pagar o auxílio desde o início da incapacidade e durante o período em que a mesma existir. De qualquer maneira, nos dois casos é preciso que se faça o requerimento junto à Previdência.

A suspensão desse benefício só acontece a partir do momento em que o segurado recupera a total capacidade e está habilitado a voltar ao trabalho. Também pode acontecer o caso de se transformar em aposentadoria por invalidez.

Já no caso daquele trabalhador que ao se filiar à Previdência Social, já possuir uma doença ou algum fator que poderia gerar o auxílio não se enquadra entre aqueles que têm o direito de receber o benefício. Porém, caso ocorra o agravamento de alguma enfermidade devido ao trabalho exercido, o INSS leva em consideração o fato de que o trabalhador neste caso poderá receber ajuda.

Para saber mais sobre o requerimento do benefício acesse o site da Previdência Social.

Por Denisson Soares


O INSS – Instituto Nacional do Seguro Social do estado do Rio Grande do Sul está recebendo inscrições para diversas vagas temporárias para o cargo de Médico Perito, os quais irão atuar enquanto durar a greve dos servidores, que já se arrasta por mais de 3 meses.

Candidatos devem possuir formação superior completa.

As inscrições podem ser feitas até o dia 23 de setembro de 2010, na sede do INSS de Caxias do Sul (Rua Visconde de Pelotas, 2280), ou nas Agências da Previdência Social das cidades para que se destinam as vagas, sendo elas: Canela, Vacaria, Garibaldi, Veranópolis, Nova Prata, Bento Gonçalves e Farroupilha.

Inicialmente a contratação será por um período de 4 meses, sendo que o mesmo pode ser extendido.

Diversos outros estados também estão realizando processos seletivos semelhantes. Todas as informações sobre os mesmos podem ser encontradas aqui.

Por Thiago Martins


O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) está com processo seletivo aberto para preenchimento de vagas temporárias para Engenheiros.

São 190 oportunidades, em diversas cidades do país, para formados em Engenharia Civil e Engenharia Elétrica. Os contratados terão salário de R$3.800,00 e o contrato terá vigência de um ano, mas existe a possibilidade de que esse prazo seja prorrogado.

Para inscrição a taxa é de R$60,00 e o candidato deve acessar o site: www.cespe.unb.br, até o dia 10 de fevereiro de 2010.

Ao término do governo Lula, a alta taxa de empregabilidade de engenheiros é geral em todo país. Algumas empresas chegam a passar por escassez de profissionais especializados.

Karina Gonçalves





CONTINUE NAVEGANDO: